Menu
2021-01-08T18:10:23-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
BOAS NOTÍCIAS

Produção industrial tem sétimo mês de alta, crescendo 1,2% em novembro

Resultado vem dentro do esperado pelo mercado, com setor acumulando expansão de 40,7% desde maio de 2020

8 de janeiro de 2021
9:51 - atualizado às 18:10
Produção de Automóveis
Fábrica da Mercedez-Bens em Iracemápolis, SP - Imagem: Epitácio Pessoa/Estadão Conteúdo

A produção industrial registrou crescimento pelo sétimo mês consecutivo, expandindo 1,2% em novembro, na comparação com outubro, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (8) pelo IBGE.

O resultado veio dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 0,56% até crescimento de 2,80%, com mediana positiva de 1,3%.

De acordo com o IBGE, após sete meses de alta, o setor acumulou crescimento de 40,7%, eliminando a perda de 27,1% registrada entre março e abril, quando o agravamento das medidas de isolamento social levou a produção ao nível mais baixo da série histórica.

“Com esses resultados, o setor industrial se encontra 2,6% acima do patamar de fevereiro”, diz trecho do comunicado.

Em relação a novembro de 2019, a indústria avançou 2,8%. Com isso, o setor acumula perda de 5,5% no ano e queda de 5,2% em 12 meses.

Por setores

O avanço de 1,2% da produção industrial entre outubro e novembro alcançou todas as quatro grandes categorias econômicas e 17 dos 26 ramos pesquisados, segundo o IBGE.

O destaque de novembro foi o grupo Veículos automotores, reboques e carrocerias, cuja produção aumentou 11,1%. Com este desempenho, ele acumulou alta de 1.203,2% em sete meses consecutivos de crescimento na produção, superando em 0,7% o patamar de fevereiro. 

Outras contribuições positivas relevantes para a indústria vieram dos segmentos:

  • Outros produtos químicos (5,9%);
  • Confecção de artigos do vestuário e acessórios (11,3%);
  • Máquinas e equipamentos (4,1%);
  • Impressão e reprodução de gravações (42,9%);
  • Couro, artigos para viagem e calçados (7,9%);
  • Bebidas (3,1%);
  • Produtos de metal (3,0%);
  • Outros equipamentos de transporte (12,8%) e;
  • Metalurgia (1,6%)

Por outro lado, entre as nove atividades que tiveram queda, o principal impacto negativo em novembro veio de Produtos alimentícios (-3,1%), que acumula redução de 5,9% em dois meses de queda, eliminando a alta de 4,0% registrada entre julho e setembro.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Esquenta dos mercados

Mercado amanhece pessimista após fala de Powell e espera (com medo) o PIB dos EUA

Outra coisa que deve ficar no radar dos investidores é a divulgação do IGP-M, que deve voltar a acelerar, juntamente com o déficit do governo central e o desemprego.

mais uma pra bolsa

Distribuidora de medicamentos avalia IPO

Elfa Medicamentos atua no mercado de distribuição de medicamentos para hospitais e é controlada por fundos do Patria Investimentos

NÚMEROS DA PANDEMIA

Brasil registra 1.283 mortes por covid-19 em 24 horas

Número total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no país chegou a 8.996.876, segundo Ministério da Saúde

Não tem mais desculpa

As opções conservadoras para ganhar mais de 100% do CDI com liquidez diária

Com a Selic tão baixa, algumas instituições financeiras de médio porte passaram a oferecer investimentos de renda fixa conservadora que pagam mais de 100% do CDI com liquidez diária; saiba onde encontrá-los

agora vai?

Caixa Seguridade retoma análise de oferta de ações

Empresa também pretende aderir ao Novo Mercado, segmento de mais alto padrão de governança corporativa da B3; processo havia sido interrompido no ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies