Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-07T09:35:49-03:00
Estadão Conteúdo
REVIRAVOLTA

Marfrig reverte prejuízo em lucro líquido de R$ 279 milhões no 1º trimestre

O resultado consolidado é o melhor já registrado pela Marfrig em um primeiro trimestre, quando sazonalmente o período é mais desafiador para o setor de proteína animal.

12 de maio de 2021
11:47 - atualizado às 9:35
Embalagem de carne bovina
Imagem: Shutterstock

A Marfrig Global Foods encerrou o primeiro trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 279 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 137 milhões registrado em igual período do ano passado, informou ontem a companhia.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) ajustado teve avanço anual de 39,7%, para R$ 1,708 bilhão, ante R$ 1,223 bilhão em igual período do ano anterior. Além disso, a margem do Ebitda ficou em 9,9%.

A receita líquida aumentou 27,7% nos primeiros três meses do ano, de R$ 13,502 bilhões em 2020 para R$ 17,236 bilhões em 2021.

De acordo com a empresa, a dívida líquida caiu 8,5%, de RS 19,385 bilhões para RS 17,747 bilhões no período. Dessa forma, a alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado, passou de 3,56 vezes no primeiro trimestre de 2020 para 1,76 vez de janeiro a março deste ano.

Em entrevista, o vice-presidente de Finanças e de Relações com Investidores da Marfrig, Tang David, acrescentou que em 2021 a empresa pretende acelerar a amortização de um empréstimo "term loan" em até US$ 280 milhões.

Ele comenta, ainda, que o custo médio da dívida líquida da companhia segue diminuindo e chegou ao menor patamar histórico, tendo passado de 5,81% no primeiro trimestre de 2020 para 4,66% nos primeiros três meses deste ano.

No trimestre anterior, o último do ano passado, esse custo estava em 5,70%. "Encerramos o trimestre com caixa na ordem de US$ 2 bilhões, suficientes para cobrir vencimentos até 2026. Além disso, o prazo médio da dívida passou de 3,4 anos para 5 anos. Com isso, temos 70% da dívida para o longo prazo", comenta o executivo.

O resultado consolidado é o melhor já registrado pela Marfrig em um primeiro trimestre, quando sazonalmente o período é mais desafiador para o setor de proteína animal. A companhia atribuiu os ganhos à melhora operacional e à diversificação geográfica da produção e dos mercados aos quais atende.

A operação América do Norte, capitaneada pela National Beef, foi, novamente, o destaque. O segmento teve a melhor performance da história da empresa, em razão da oferta abundante de gado e da forte demanda por produtos à base de carne bovina.

A unidade registrou receita líquida de R$ 12,7 bilhões (US$ 2,3 bilhões) no primeiro trimestre, avanço de 30,1% em relação a igual período do ano passado, quando a receita foi de R$ 9,736 bilhões. O Ebitda ajustado ficou em RS 1,523 bilhão, alta de 87,5%.

Além disso, o lucro bruto avançou 75,3% ante o ano anterior, para US$ 1,85 bilhão. A National Beef ainda representa 73% da receita líquida total da Marfrig e aumentou de 80% para 89% a sua participação no Ebitda consolidado.

Já a Operação América do Sul, que engloba Brasil, Argentina, Uruguai e Chile, ainda enfrenta desafios. A empresa destaca que houve ganhos de eficiência, aumento nos volumes de vendas e nos preços, mas, ainda assim, isso não foi o suficiente para compensar o aumento recorde no custo da matéria-prima.

Assim, o Ebitda ajustado do segmento recuou 54,6%, de R$ 464 milhões para R$ 211 milhões. A margem caiu 7,7 pontos porcentuais na mesma base comparativa, para 4,6%.

Já a receita líquida na América do Sul cresceu 21,4% de janeiro a março deste ano, para R$ 4,573 bilhões. Isso foi possível em razão da alta de 5,7% no volume de vendas, do aumento de 17,6% nos preços para exportação, do aumento de 39,2% no preço médio do mercado doméstico e em função da melhora no desempenho de industrializados da empresa.

Do total, 60,4% dessa receita são provenientes das exportações, que tiveram China e Hong Kong novamente como os principais destinos, responsáveis por 64% dos embarques internacionais da companhia no continente.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

CARNE FORTE

Marfrig sobe mais de 5% hoje, mas ainda deve saltar 60% nos próximos meses, projeta Bank of America

O Bank of America recalculou as projeções financeiras para o próximo ano e vê a empresa lucrando muito mais do que o previsto no cálculo anterior

DESTAQUES DO DIA

Varejo abaixo do esperado derruba Magazine Luiza (MGLU3), mas companhias aéreas sobem forte com vacinas eficazes contra a ômicron

Enquanto o Magalu recua mais de 8%, as empresas do setor aéreo aproveitam para engatar uma recuperação

bitcoin (BTC) hoje

O rali de fim de ano do bitcoin (BTC) derrapou. E você, novato em criptomoeda, pode ser o culpado

O movimento de queda do bitcoin das últimas semanas veio dos novos investidores em cripto, chamados de short-term holders, segundo a Glassnode

DE OLHOS BEM FECHADOS

O IPO do cheque em branco chega ao Brasil: Alvarez & Marsal quer fazer oferta pública para lançar Spac na B3

Modalidade existe há mais de 20 anos nos EUA, mas ainda é inédita no Brasil; entenda como funciona

EXILE ON WALL STREET

Ele ainda vai te trazer boas lembranças: o Tesouro Direto em seu ano de ouro para a rentabilidade

Conheça o Super Renda Fixa, que apresenta as melhores oportunidades para investir na modalidade, seja nos títulos do Tesouro ou nos de emissores privados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies