Menu
2021-03-25T10:32:43-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
ouro líquido

Gasolina faz IPCA-15 registrar maior leitura para março desde 2015

IPCA-15 registra alta de 0,93%, levando leitura acumulada em 12 meses a superar limite superior da meta de inflação

25 de março de 2021
9:32 - atualizado às 10:32
Combustível
Combustível mercados - Imagem: Shutterstock

O Comitê de Política Monetária (Copom) vai ter muito trabalho para manter a inflação sob controle em 2021, como ficou evidente na prévia do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de março, que registrou a maior leitura para o mês desde 2015.

O IPCA-15 apresentou alta de 0,93% em março, 0,45 ponto percentual acima de fevereiro, 0,48%, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (25) pelo IBGE.

Apesar de ser uma alta expressiva, ela ficou abaixo da mediana das estimativas dos economistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, de alta de 0,96%. A faixa de projeções ia de alta de 0,83% a crescimento de 1,06%.

No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA-15 aponta alta de 5,52%, acima da mediana das estimativas dos economistas (5,56%), superando o limite superior da meta de inflação, de 5,25%.

O IBGE informou ainda que o IPCA-E, o acumulado trimestral do índice, foi de 2,21% nos primeiros três meses do ano, a maior taxa para um primeiro trimestre desde 2016, quando foi de 2,79%.

Combustíveis, outra vez

A inflação segue sendo pressionada pela alta dos preços dos combustíveis, especialmente a gasolina. Foi ela quem teve o maior impacto individual no IPCA-15 de março, de 0,56 ponto percentual (p.p.), ao subir 11,18%, nono mês consecutivo de alta dos preços.

Também houve altas no etanol (16,38%), no óleo diesel (10,66%) e no gás veicular (0,39%).

Olhando para os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito deles apresentaram alta em março. O maior impacto (0,76 p.p.) e a maior alta (3,79%) vieram dos transportes, que aceleraram em relação a fevereiro (1,11%), justamente por conta dos combustíveis.

O segundo maior impacto no IPCA-15 de março foi do grupo habitação, com alta de 0,71% e contribuição de 0,11 p.p. no resultado do mês. Destaque para o gás de botijão, que aumentou 4,60% e adicionou 0,05 p.p na pesquisa. É o décimo mês consecutivo de alta dos preços.

Gás encanado (2,52%) e taxa de água e esgoto (0,68%) também aceleraram em relação a fevereiro, quando registraram 1,19% e 0,45%, respectivamente.

O grupo de alimentação e bebidas viu um aumento de 0,12% dos preços, desacelerando em comparação com fevereiro (0,56%).

Os alimentos para consumo no domicílio caíram 0,03% após sete meses consecutivos de alta, sobretudo por conta das quedas de tomate (-17,50%), a batata-inglesa (-16,20%), o leite longa vida (-4,50%) e o arroz (-1,65%). No lado das altas, as carnes aumentaram 1,72%.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

pandemia

Covid-19: número de mortes sobe para 361,8 mil no Brasil

Nas últimas 24 horas, foram registradas mais 3.459 mortes no país

seu dinheiro na sua noite

Petróleo, minério e tudo que há de bom

Entre o fantasma do Orçamento com pedaladas, a besta da PEC “fura-teto”, o gigante da CPI da Covid e o monstro da pandemia, o Ibovespa conseguiu hoje engatar a terceira alta seguida e fechar acima dos simbólicos 120 mil pontos, marca que o índice não via desde fevereiro. Mas como pode? Bem, mais uma vez […]

hoje não

Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

Segundo a Cia. Hering, a proposta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

FECHAMENTO

Commodities em alta levam o Ibovespa acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro; dólar recua

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego com as commodities para se manter no azul

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies