Menu
2021-05-24T14:17:35-03:00
Estadão Conteúdo
Economia dos EUA

Fed prevê alta inflação, mas vê expectativas ‘ancoradas’ nos próximos meses

Uma das diretoras do banco central dos EUA garantiu que a instituição agirá caso o movimento inflacionário saia do controle

24 de maio de 2021
13:41 - atualizado às 14:17
Edifício do Fed em Washington
Edifício do Fed em Washington - Imagem: Shutterstock

Diretora do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Lael Brainard disse nesta segunda-feira que espera leituras altas de inflação nos próximos meses, devido ao processo de reabertura da economia, após as restrições impostas por conta do coronavírus, além de gargalos na cadeia produtiva. Os comentários foram feitos durante evento virtual.

No entanto, a dirigente ponderou que as expectativas de longo prazo dos índices de preços permanecem "bem ancoradas" e que a tendência aponta para o predomínio de forças desinflacionárias.

De qualquer forma, ela garantiu que o Fed agirá caso o movimento inflacionário saia do controle.

Criptomoedas

Sobre criptmoedas, Brainard alertou para o risco de que a popularização das stablecoins leve a uma fragmentação do sistema de pagamentos, ao disseminar o uso de diferentes formas de dinheiro privado.

Stablecoins são moedas virtuais atreladas a qualquer ativo estável, criadas com o objetivo de controlar a volatilidade das criptomoedas. Como podem ser emitidas por qualquer ente privado, elas carecem da proteção legal das divisas públicas, o que pode expor consumidores e empresas a risco, de acordo com Brainard.

"Uma predominância de dinheiro privado pode introduzir riscos de proteção ao consumidor e estabilidade financeira devido à sua volatilidade potencial e ao risco de comportamento semelhante ao de uma corrida", explicou ela.

Segundo a dirigente, para tentar atenuar esses riscos, o Fed estuda uma possível adoção de moeda digital emitida por banco central (CBDC, na sigla em inglês).

"Ao introduzir dinheiro seguro do banco central que seja acessível a famílias e empresas em sistemas de pagamentos digitais, um CBDC reduziria o risco da contraparte e a proteção do consumidor associada e os riscos de estabilidade financeira", ressaltou.

Brainard acrescentou que as CBDCs podem melhorar a inclusão financeira e ajudar a preservar a transmissão da política monetária. Para ela, os Estados Unidos precisam liderar as discussões sobre padrões internacionais dessas divisas.

"O Federal Reserve continua comprometido em garantir um sistema de pagamentos seguro, inclusivo, eficiente e inovador que funcione para todos os americanos", concluiu, acrescentando que a instituição abrirá uma consulta pública sobre o tema.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

O melhor do Seu Dinheiro

A rima das commodities, último capítulo da novela da MP da Eletrobras e outros destaques

A história não se repete, mas rima. Se Mark Twain fosse um analista do mercado financeiro, provavelmente seria um grande especialista em ciclos econômicos. Logo no começo da crise da covid-19, quem ousasse falar em investir em commodities ou ações de empresas produtoras de matérias-primas seria taxado de louco. As cotações de todas elas — […]

SINAIS DO BC

COMPARATIVO: Veja o que mudou na ata da reunião do Copom

Veja o que mudou e o que permanece igual na ata da última reunião do Copom — o BC elevou a Selic em 0,75 ponto percentual, para 4,25% ao ano

Outro escorregão

Bitcoin perde os US$ 30 mil, menor patamar desde janeiro; Confira como anda o mercado cripto

Isso motivou a queda das dez principais criptomoedas do mercado, em especial do Dogecoin, que cai quase 25%

Percepção positiva

Abegás defende contratar térmicas e diz que MP da Eletrobras é ‘alavanca’ para mercado de gás

A associação afirma que a MP irá contribuir para geração de renda, com distribuição de royalties e fundo de participação, impulsionando a economia e gerando empregos

Cabo de guerra

Cresce movimento contrário à divisão da Oi Móvel entre Vivo, TIM e Claro

Empresas concorrentes e associações reforçam tese de que o mercado e a infraestrutura de serviços de telecomunicações ficarão com alta concentração

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies