Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-05-25T18:26:32-03:00
Estadão Conteúdo
Contrariou Powell

Fed poderá começar a debater em breve redução na compra de ativos, diz vice-presidente

Os presidentes das distritais de Dallas e Filadélfia também defenderam o início do debate sobre o programa de QE do banco central norte-americano

25 de maio de 2021
14:46 - atualizado às 18:26
Fed compra de ativos
Imagem: Shutterstock

O vice-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Richard Clarida, reconheceu nesta terça-feira (25) que a autoridade monetária pode começar a debater a redução do programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês) em breve.

"Poderá haver algum momento nas próximas reuniões em que começaremos a discutir as compras de ativos", disse o dirigente em entrevista ao Yahoo Finance.

Para Clarida, contudo, o momento exato de retirar os estímulos à economia dependerá dos dados que forem divulgados a partir de agora. "Queremos fazer mais progresso substancial no emprego e na estabilidade de preços", afirmou.

O dirigente, que tem direito a voto nas reuniões do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), também disse que a nova "função de reação" do Fed, mais baseada em resultados macroeconômicos, está sendo "bem entendida" pelo mercado.

Recentemente, os presidentes das distritais de Dallas, Robert Kaplan, e Filadélfia, Patrick Harker, defenderam o início do debate sobre a redução das compras de ativos, em meio aos temores de escalada da inflação.

A postura dos dirigentes contraria o discurso capitaneado pelo presidente do Fed, Jerome Powell, de que ainda não é hora de se debater esse assunto.

Inflação transitória

O vice-presidente do Federal Reserve afirmou também nesta terça-feira que seu cenário-base indica inflação "transitória" nos Estados Unidos. "Se a pressão inflacionária se provar mais persistente, temos ferramentas para contê-la", declarou o dirigente em entrevista ao Yahoo Finance.

Segundo Clarida, o Fed olhará "cuidadosamente" os dados de inflação nos próximos meses, já que os indicadores estão "especialmente confusos" no momento.

No entanto, ele argumentou que a pressão sobre o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) é causada principalmente pela reabertura da economia, após a crise gerada pela pandemia de covid-19.

O dirigente também afirmou que manter as expectativas de inflação ancoradas é "essencial" para a estabilidade de preços.

Na visão de Clarida, a perspectiva para a economia dos EUA é "muito positiva", e o Produto Interno Bruto (PIB) do país deve crescer mais de 6% este ano, "talvez até 7%".

Criptomoedas

O vice-presidente do Federal Reserve afirmou ainda que, em sua visão, as criptomoedas não substituem o dinheiro. Na entrevista ao Yahoo Finance, ele argumentou que esses ativos não funcionam como reserva de valor ou meio de troca, duas das principais características do dinheiro.

Ao ser questionado sobre os riscos atuais à estabilidade financeira, Clarida disse que todos são "gerenciáveis".

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O Ibovespa na contramão do mundo, o impulso das commodities, a pressão dos servidores públicos e tudo o que agitou os mercados nesta terça

Nada como uma perspectiva de aperto monetário para segurar o desempenho dos ativos de risco. E nesta terça-feira (18), os mercados financeiros americanos voltaram do feriado colocando nos preços a expectativa dos investidores com a alta dos juros e a redução dos estímulos monetários nos Estados Unidos. O resultado foi uma disparada nos juros futuros, […]

Fechamento Hoje

Ibovespa sobrevive a mar vermelho no exterior e consegue fechar em alta; avanço nos retornos dos Treasuries pesa nos juros e no câmbio

Principal índice da B3 lutou para se manter no lado positivo ao longo de todo o pregão, com ajuda das commodities; dólar, porém, também fechou em alta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies