Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-23T10:35:23-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Sobrevivendo ao fogo

Bitcoin é imune à inflação? Especialistas explicam como moeda pode ser usada para escapar do dragão

O dragão da inflação assusta, mas o herói dessa jornada pode salvar seus investimentos no final do dia

15 de julho de 2021
6:03 - atualizado às 10:35
Bitcoin Renascimento Fênix Fogo Cidade
Imagem: Shutterstock, com intervenção de Andrei Morais

O medo inflacionário segue como um dos principais temores do mercado como um todo. No Brasil, dados inflacionários apontam que a disparada de preços deve vir para ficar, de acordo com o IBGE.

E o dragão está aterrorizando todos os países do mundo. Tanto aqui como no exterior, ele mostra suas garras, bate as asas e engole o poder de compra das pessoas por todo o canto. Não há escapatória.

Mas existe um ativo que pode salvar a todos, um ponto de salvação, onde a besta mítica não alcança. Sim, o bitcoin pode ser considerado um ativo imune à inflação. Entretanto, é preciso levar algumas coisas em consideração.

Emissão

As criptomoedas nasceram com a ideia de ser um sistema financeiro autônomo, sem a necessidade de um banco central por trás. Dessa forma, para colocar novos bitcoins na rede, é preciso realizar o processo de mineração, que você pode conferir clicando aqui.

Esse processo basicamente lança novos bitcoins em rede, valida as transações e torna todo o processo mais seguro. Não há um lastro por trás, diferentemente do que acontece com as moedas tradicionais.

Em teoria, os BCs só podem emitir papel moeda a partir de um lastro, em ouro ou dólar, como é mais comum. "Em teoria", porque não é exatamente assim que acontece no dia a dia.

Os Bancos Centrais estão sujeitos às políticas monetárias, que podem mudar com o tempo. O BC pode começar a imprimir mais moeda mesmo sem ter um lastro para ela, o que diminui o poder de compra daquele dinheiro.

Traduzindo e simplificando, o Banco Central pode "criar" dinheiro, mas o bitcoin tem um limite possível de rede de 21 milhões de unidades. Por ser um ativo limitado, chamamos a criptomoeda de "deflacionária".

Isso quer dizer que o poder de compra da moeda aumenta com o passar do tempo. A partir do momento em que o último bitcoin for lançado em rede, a lei de oferta e demanda devem passar a imperar, reforçando a característica deflacionária desse tipo de ativo.

Blindado contra inflação

O controle inflacionário é uma das questões que preocupa os especialistas com El Salvador adotando o bitcoin como uma das moedas oficiais do país.

Como o país não controla a emissão da criptomoeda, se for necessário injetar mais dinheiro na economia, como o programa de estímulos do governo americano tem feito com o dólar, não será possível, a menos que se compre mais moeda. 

Toda moeda sofre oscilações com a economia, seja de característica inflacionária ou deflacionária. Entretanto, existem situações em que o bitcoin sai ganhando no poder de compra frente a outras moedas.

O poder de compra do bitcoin ainda é pequeno frente ao dólar, mas é mais constante do que a moeda norte-americana. O mesmo vale para o real ou qualquer outro dinheiro emitido pelo Banco Central.

Casos no mundo

Em países da África, onde as economias são constantemente abaladas por choques inflacionários, o uso de bitcoins já é comum. Mesmo a América Latina tem exemplos parecidos: Venezuela e Argentina usam criptomoedas devido ao pequeno poder de compra de suas moedas locais.

Os moradores desses países veem que, cada vez o bolívar venezuelano ou o peso argentino compra menos artigos. Por outro lado, o bitcoin segue valorizado e valendo muito, apesar das oscilações.

Na fogueira

Diferentemente de outros ativos, as criptomoedas ainda não sofreram sua “prova de fogo”, sobrevivendo a diversos cenários econômicos. Apesar disso, os especialistas seguem otimistas sobre o uso do bitcoin como uma reserva de valor e diversificação da carteira para segurar a alta da inflação dos últimos tempos. 

Vale lembrar que o investimento em criptomoedas é altamente arriscado e os especialistas recomendam cautela na hora de colcoar dinheiro em algum projeto.

*Colaboraram com esta matéria: André Franco, especialista em criptomoedas da Empiricus, Bruno Milanello, executivo de novos negócios do Mercado Bitcoin, Guilherme Nunes, Chief Strategic Officer do Capitual.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

COMPRA PROGRAMADA

‘Vale Gás’: Ultragaz cria cartão que permite ‘congelar’ o preço e parcelar a compra do gás de cozinha

O GLP é um dos derivados de petróleo afetado pela alta do dólar frente ao real e pela valorização da commodity no mercado internacional

SALTO COM FINANÇAS

Itaú (ITUB4) escala 53 posições em ranking e se torna único brasileiro entre 500 marcas globais mais valiosas; veja lista completa

Além de figurar entre as marcas mais valiosas, o Itaú conquistou uma posição na lista dos 250 principais CEOs ou “guardiões de marca”

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Volatilidade a mil com decisão de juros do Fed, reabertura do fundo da Dynamo e nova aquisição da Petz: veja o que mexeu com o mercado hoje

O bom humor nos mercados era tanto nesta quarta-feira (26) que nem parecia dia de decisão de juros pelo Federal Reserve, o banco central americano. As bolsas americanas e europeias operavam em alta, ainda em clima de recuperação das perdas do início da semana, e o Ibovespa subia mais de 1,5%, ainda puxado pela entrada […]

Por que choras, Elon Musk?

Tesla (TSLA34) entrega balanço de gala, mas escassez de insumos produtivos azeda noite da montadora de Elon Musk e ações despencam em NY

O resultado da montadora veio recheado de recordes no quarto trimestre, mas os investidores concentraram-se em outra linha do balanço

Fechamento Hoje

NY desanda após fala de Powell, mas Ibovespa ainda consegue fechar em alta de quase 1%; dólar sobe na reta final

Decisão de juros do Federal Reserve até que agradou os mercados, mas discurso duro do presidente da instituição virou o humor dos mercados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies