Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-23T10:35:23-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Sobrevivendo ao fogo

Bitcoin é imune à inflação? Especialistas explicam como moeda pode ser usada para escapar do dragão

O dragão da inflação assusta, mas o herói dessa jornada pode salvar seus investimentos no final do dia

15 de julho de 2021
6:03 - atualizado às 10:35
Bitcoin Renascimento Fênix Fogo Cidade
Imagem: Shutterstock, com intervenção de Andrei Morais

O medo inflacionário segue como um dos principais temores do mercado como um todo. No Brasil, dados inflacionários apontam que a disparada de preços deve vir para ficar, de acordo com o IBGE.

E o dragão está aterrorizando todos os países do mundo. Tanto aqui como no exterior, ele mostra suas garras, bate as asas e engole o poder de compra das pessoas por todo o canto. Não há escapatória.

Mas existe um ativo que pode salvar a todos, um ponto de salvação, onde a besta mítica não alcança. Sim, o bitcoin pode ser considerado um ativo imune à inflação. Entretanto, é preciso levar algumas coisas em consideração.

Emissão

As criptomoedas nasceram com a ideia de ser um sistema financeiro autônomo, sem a necessidade de um banco central por trás. Dessa forma, para colocar novos bitcoins na rede, é preciso realizar o processo de mineração, que você pode conferir clicando aqui.

Esse processo basicamente lança novos bitcoins em rede, valida as transações e torna todo o processo mais seguro. Não há um lastro por trás, diferentemente do que acontece com as moedas tradicionais.

Em teoria, os BCs só podem emitir papel moeda a partir de um lastro, em ouro ou dólar, como é mais comum. "Em teoria", porque não é exatamente assim que acontece no dia a dia.

Os Bancos Centrais estão sujeitos às políticas monetárias, que podem mudar com o tempo. O BC pode começar a imprimir mais moeda mesmo sem ter um lastro para ela, o que diminui o poder de compra daquele dinheiro.

Traduzindo e simplificando, o Banco Central pode "criar" dinheiro, mas o bitcoin tem um limite possível de rede de 21 milhões de unidades. Por ser um ativo limitado, chamamos a criptomoeda de "deflacionária".

Isso quer dizer que o poder de compra da moeda aumenta com o passar do tempo. A partir do momento em que o último bitcoin for lançado em rede, a lei de oferta e demanda devem passar a imperar, reforçando a característica deflacionária desse tipo de ativo.

Blindado contra inflação

O controle inflacionário é uma das questões que preocupa os especialistas com El Salvador adotando o bitcoin como uma das moedas oficiais do país.

Como o país não controla a emissão da criptomoeda, se for necessário injetar mais dinheiro na economia, como o programa de estímulos do governo americano tem feito com o dólar, não será possível, a menos que se compre mais moeda. 

Toda moeda sofre oscilações com a economia, seja de característica inflacionária ou deflacionária. Entretanto, existem situações em que o bitcoin sai ganhando no poder de compra frente a outras moedas.

O poder de compra do bitcoin ainda é pequeno frente ao dólar, mas é mais constante do que a moeda norte-americana. O mesmo vale para o real ou qualquer outro dinheiro emitido pelo Banco Central.

Casos no mundo

Em países da África, onde as economias são constantemente abaladas por choques inflacionários, o uso de bitcoins já é comum. Mesmo a América Latina tem exemplos parecidos: Venezuela e Argentina usam criptomoedas devido ao pequeno poder de compra de suas moedas locais.

Os moradores desses países veem que, cada vez o bolívar venezuelano ou o peso argentino compra menos artigos. Por outro lado, o bitcoin segue valorizado e valendo muito, apesar das oscilações.

Na fogueira

Diferentemente de outros ativos, as criptomoedas ainda não sofreram sua “prova de fogo”, sobrevivendo a diversos cenários econômicos. Apesar disso, os especialistas seguem otimistas sobre o uso do bitcoin como uma reserva de valor e diversificação da carteira para segurar a alta da inflação dos últimos tempos. 

Vale lembrar que o investimento em criptomoedas é altamente arriscado e os especialistas recomendam cautela na hora de colcoar dinheiro em algum projeto.

*Colaboraram com esta matéria: André Franco, especialista em criptomoedas da Empiricus, Bruno Milanello, executivo de novos negócios do Mercado Bitcoin, Guilherme Nunes, Chief Strategic Officer do Capitual.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas tentam uma recuperação, com representantes do Fed no radar; Ibovespa acompanha ata do Copom e vendas no varejo

Os investidores locais ainda aguardam a divulgação do IPCA de abril para recalibrarem suas apostas para os juros no final do ciclo de aperto monetário

Valeu, Jerome

Impacto do Fed: Big techs perdem mais de US$ 1 trilhão em valor de mercado em apenas 3 sessões

Entre as principais big techs, só a Apple perdeu mais de US$ 200 bilhões desde quarta-feira, quando o Fed elevou a taxa de juro

IR 2022

Preciso declarar meu sistema de energia solar no imposto de renda?

Sistemas fotovoltaicos podem ser considerados benfeitorias ao imóvel; veja como informar seus painéis solares na sua declaração de imposto de renda 2022

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Onde vai parar a inflação? Entenda por que o mercado ainda não conseguiu precificar os riscos derivados da alta dos preços – e dos juros

Juros e inflação devem aumentar nos próximos anos, levando várias economias a flertar com risco de recessão ou estagflação entre 2023 e 2024

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) é varrido por onda de perdas que engoliu as bolsas globais; veja por que as criptomoedas desabam

O bitcoin, que tem uma forte relação com os mercados de ações internacionais, não resistiu e entrou na noite desta segunda-feira flertando com a casa dos US$ 30 mil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies