Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-11T19:08:26-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
EFEITO COVID

Segunda onda da covid-19 leva prejuízo ao balanço da Intermédica (GNDI3), mas analistas seguem otimistas; veja as razões

Com a fusão com a Hapvida em vias de acontecer e a Intermédica mostrando crescimento mesmo durante a pandemia, o prejuízo do segundo trimestre não assustou os analistas

11 de agosto de 2021
16:18 - atualizado às 19:08
intermédica, setor de saúde
Imagem: Shutterstock

Mesmo que o segundo trimestre de 2021 tenha contemplado a chegada da segunda onda da covid-19 ao Brasil, boa parte das empresas conseguiram contornar os efeitos negativos da pandemia e apresentar bons números em seu balanço. Esse não foi o caso das operadoras de saúde, e a Qualicorp (QUAL3) e a NotreDame Intermédica (GNDI3) são exemplos disso.

Lá no início da pandemia, em 2020, as operadoras de saúde se beneficiaram com a queda da realização de procedimentos eletivos e internações, mas agora a coisa mudou de figura. No caso da NotreDame, a companhia sentiu o impacto do aumento de custos das internações hospitalares, prolongadas pela covid-19, e alta frequência de exames gerada pela pandemia - tanto em hospitais da própria rede da operadora como também nos credenciados.

O resultado foi negativo em um dos principais indicadores para empresas do setor de saúde - a sinistralidade. A companhia viu o índice crescer 18 pontos percentuais, a 82,7%, na comparação com o ano passado. O impacto disso foi que, mesmo com o crescimento de quase 23% na receita líquida, para R$ 3,1 bilhões, a empresa viu o seu lucro do mesmo período do ano passado se transformar em um prejuízo de R$ 9,9 milhões. Para a empresa, o tratamento de pacientes de covid-19 impactou a sinistralidade em cerca de R$ 358 milhões no período.

O avanço visto na receita contou com um empurrãozinho da consolidação de algumas aquisições, como LifeCenter, Climepe, BioSaúde, MediSanitas e Grupo Hospital Londrina. No comparativo com o mesmo período do ano passado, a NotreDame Intermédica viu o seu número de leitos avançar cerca de 30%, a 3.696, e o de hospitais ir para 31. Já o número de beneficiários totaliza cerca de 7 milhões.

No início do dia, as ações da companhia chegaram a recuar mais de 2%, mas fecharam em queda de 0,44%, a R$ 77,28.

O que dizem os analistas sobre Intermédica

  • BTG: Para os analistas do BTG Pactual (recomendação de compra e preço-alvo de R$ 99), os resultados foram fracos, mas se trata de uma situação atípica, que dificilmente deve se repetir no futuro. Com a vacinação avançando no Brasil, os analistas do banco esperam que os impactos sentidos nos primeiros meses de 2021 não se prolonguem para a segunda metade do ano. A expectativa para a fusão da companhia com a Hapvida também deve impulsionar os papéis já que, para a instituição, a operação ainda não se encontra totalmente precificada.
  • Ativa Investimentos: A Ativa Investimentos (recomendação de compra e preço-alvo de R$ 105,40) destaca que o Ebitda (R$ 131,6 milhões) e o lucro líquido ficaram bem abaixo das expectativas da corretora, mas que a Intermédica conseguiu mostrar uma melhora em suas despesas gerais e administrativas. Além disso, os analistas da casa também destacam a sólida agenda de aquisições, que trouxeram mais de 695 mil beneficiários para a base no último trimestre.
  • Credit Suisse: Embora os analistas do banco suíço (recomendação de compra e preço-alvo de R$ 105) já esperassem um trimestre fraco, os números não afetam a visão positiva que a possível fusão com a Hapvida deve trazer, já que os efeitos da covid-19 são de caráter transitório e devem impactar muito menos os resultados dos próximos meses. Para o Credit, a Intermédica segue mostrando um bom desempenho de crescimento e tem tudo para acelerar o ritmo em breve.
  • XP Investimentos: Outra casa que enxerga os impactos da covid-19 como transitórios e está otimista com as perspectivas de sinergia com a Hapvida é a XP Investimentos (recomendação de compra e preço-alvo de R$ 110).
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Mais uma na lista

Corretora de criptomoedas Huobi Global, uma das maiores do mundo, restringe negociações na China

A plataforma também informou que retirará gradualmente as contas existentes no gigante asiático até o fim de 2021

Uma nova gigante tech

Infracommerce (IFCM3) dispara 10% com “aquisição transformacional”; outras techs sentem o baque e caem

A Infracommerce (IFCM3) acertou a compra da Synapcom, ganhando escala no B2B — e pagando um preço relativamente baixo pela rival

NOVO SUSTO

Em crise de liquidez, concorrente da Evergrande esboça pedido de apoio a governo de cidade chinesa

Notícia provocou queda acentuada nas ações da Sunac, que fecharam hoje no nível mais baixo em 4 anos

Crédito disponível

Com juros salgados, Caixa libera empréstimo de até R$ 1.000 no aplicativo Caixa Tem; veja condições

O crédito ficará disponível para assalariados, autônomos, beneficiários de programas sociais e de políticas públicas de distribuição de renda

Bolsa hoje

Destaques do Ibovespa: frigoríficos e empresas ligadas a commodities lideram altas em dia de recuperação; Locaweb (LWSA3) é maior queda

Confira os destaques do pregão desta segunda-feira (27) e não deixe de acompanhar as principais notícias do dia na nossa cobertura de mercados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies