Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-10-28T15:14:52-03:00
Lucia Camargo Nunes
Seu Dinheiro compara

Em busca de um carro por assinatura? Não feche o contrato antes de ler isto

Veja tudo o que você precisa saber antes de fechar o aluguel de um carro por mais de 12 meses nas maiores locadoras do país, com dicas para não errar na escolha

1 de novembro de 2021
6:07 - atualizado às 15:14
Imagem do carro Citroen C4 Cactus
Citroen C4 Cactus, um dos carros que as locadoras oferecem para assinatura - Imagem: Divulgação

A assinatura de veículos vem crescendo no Brasil. De acordo com a associação que reúne as locadoras de automóveis, a Abla, mais de 80 mil pessoas assinam carros no país atualmente.

Cerca de 8% dos cerca de 1 milhão de veículos colocados à disposição das locadoras fazem parte desta modalidade. A entidade estima que a demanda pelo serviço pode dobrar no médio prazo.

A pandemia intensificou o serviço de carros por assinatura. Em um primeiro momento, as pessoas queriam fugir dos transportes públicos, mas não podiam ou não queriam gastar com um automóvel.

Agora, a assinatura ganha novo impulso porque, na falta de carros novos nas lojas e preços cada vez mais elevados, os consumidores preferem alugar por um prazo mais longo.

A assinatura se difere do aluguel porque prevê o uso por um tempo mais prolongado. O chamado RAC (sigla de Rent A Car) é cobrado por dia ou por um período maior, mas a pessoa não consegue escolher o carro (apenas a categoria), que também não é necessariamente novo. O custo por mês também é maior se comparado ao aluguel de longo prazo.

Como funciona a assinatura de veículos

A modalidade garante ao usuário um carro novo, em alguns casos do jeito que quiser. Embutido na mensalidade, a locadora inclui desde o uso, a documentação, taxas e impostos, seguro, revisões, manutenções previstas por desgaste e assistência 24 horas.

Os planos a partir de 12 meses presumem uma franquia de quilometragem. Quanto maior o tempo de contrato, menor a mensalidade porque o custo comercial e a depreciação, reduzida a cada ano, ficam diluídos. É por isso que a mensalidade de um mesmo carro tem valores diferentes quando se compara um plano de 24 com outro de 48 meses.

Vale ressaltar que essa modalidade de contrato não prevê o uso por motoristas de aplicativo. Neste caso, é preciso fazer uma assinatura específica para a função profissional e não violar os termos do contrato.

Muitas pessoas se perguntam se vale mais a pena alugar ou comprar um veículo. Esta reportagem está destinada a quem já optou pela assinatura, que tem a comodidade como principal vantagem em relação à aquisição de um carro próprio.

A pesquisa

São vários os detalhes a serem avaliados antes de decidir por qual locadora assinar um veículo. O Seu Dinheiro escolheu as maiores – Localiza, Movida e Unidas – e esmiuçou o que cada uma oferece para ajudar nessa escolha.

Por causa do momento de crise de oferta vivido pelas montadoras, com a falta de componentes e paralisação das linhas de montagem, a cotação dos veículos muda a cada dia: desde a oferta até o preço. Portanto, os valores indicados nesta reportagem, coletados entre a primeira e segunda semana de outubro, podem mudar a qualquer momento, assim como o modelo escolhido.

A pesquisa se baseou em dois modelos que estavam em oferta nas três locadoras: o compacto Hyundai HB20 1.0 Evolution e o SUV Citroën C4 Cactus 1.6 Feel.

Durante a apuração, duas locadoras deixaram de ter a versão Evolution do HB20, apenas a Vision (ligeiramente inferior em oferta de equipamentos) e uma delas excluiu o T-Cross, que havia sido cotado um dia antes, por falta de oferta.

O que os carros por assinatura têm em comum

Poucas regras são comuns entre as locadoras. Mas em geral, todas incluem as manutenções preventivas (revisões) e corretivas (indicadas no manual), desde que essas corretivas estejam previstas como desgaste natural e não por mau uso.

Por exemplo, o usuário terá de arcar com trocas de óleo ou outros fluidos do carro (freio, radiador, etc.) fora das revisões, reparos de pneus que não são por desgaste natural, chaveiro, estacionamentos, pedágios, polimento e higienização, entre outros serviços. 

Além disso, multas por infrações de trânsito são de responsabilidade do motorista, incluindo pontuação e pagamento.

Outro ponto importante na hora de avaliar os serviços são as condições em caso de perda total ou furto e roubo do veículo: além de o usuário ter de pagar a coparticipação (de um carro de R$ 150 mil ela pode representar R$ 7.500, por exemplo), não é possível cancelar o contrato.

A rescisão, aliás, merece muita atenção: os valores pela devolução antecipada do veículo chegam a representar metade da mensalidade até o fim do contrato.

10 Dicas importantes antes de assinar um automóvel

1 - Qual carro escolher?

Escolha um veículo e faça uma simulação no site das locadoras para saber quanto seria sua mensalidade – planeje um valor que você pode comprometer todo mês. Se tiver dúvidas de qual carro escolher em meio a tantas opções, avalie suas necessidades: tamanho (cabe na minha garagem?), espaço interno (vou levar quantas pessoas?), volume do porta-malas, acessórios e, claro, potência do motor para calcular o gasto com combustível.

2 - Quanto vai custar?

O valor da assinatura embute documentos, manutenções preventivas e de desgaste, impostos e seguro. Além da mensalidade, o usuário terá gastos com combustível, estacionamento, lavagem, pedágios e, eventualmente, algo inesperado, como um conserto por avaria (quebra de uma roda após passar por buraco, sem ter de acionar o seguro) ou coparticipação de seguro (a antiga franquia).

3 - Conheça o carro antes de assinar

O carro tem apelos emocional e de status. Se você não conhece o modelo, tente fazer um test drive (em uma concessionária ou de algum conhecido que tenha o veículo) antes de fechar negócio. É importantíssimo dirigi-lo, entender seu comportamento, saber todos os acessórios que o veículo oferece e ter certeza que ele se adequa às suas expectativas. Depois de assinado o contrato você não poderá trocar de carro.

4 - Calcule quanto andará por mês

Considere quantos quilômetros você roda mensalmente. Esta informação é fundamental para escolher a franquia do plano. Sempre deixe uma margem para viagens ou passeios, porque o custo da quilometragem excedida pode ser elevado.

5 - Planeje-se!

Quanto maior o tempo do plano, menor o valor da mensalidade. Mas lembre-se: que a desistência antes do término do contrato gera uma multa pesada.

6 - Atente-se aos reajustes

Nem todos os planos são de parcelas fixas por todo o contrato. Informe-se sobre reajustes da mensalidade e o impacto que isso pode ter no orçamento.

7 - Fique seguro

Verifique as opções de seguros, coberturas e valores de coparticipação em casos de sinistro.

8 - Demora na entrega

Devido aos problemas atuais de oferta, há espera de até seis meses por modelos zero quilômetro. Por isso, é bom se planejar ou escolher uma locadora que tenha planos diferenciados por um aluguel provisório enquanto seu carro não chega.

9 - Aumentos constantes

Os preços dos carros e dos planos têm passado por reajustes frequentes e as cotações podem variar em um prazo bastante curto. Sem urgência, mas se tiver certeza de que é aquele carro que quer pelo valor cotado, não protele: na sua próxima pesquisa ele pode estar mais caro. Vale a pena também barganhar um desconto.

10 - Leia atentamente o contrato, sem pressa

Este é um serviço de alto valor mensal e de longo prazo, o que significa uma despesa importante em seu orçamento. Não deixe passar uma dúvida, consulte os atendentes quantas vezes precisar e só assine quando tiver certeza de que entendeu e concordou com tudo.

Qual a melhor locadora?

Com serviços cada vez mais similares, não é fácil escolher por qual locadora assinar. O quesito preço é importante, mas não definitivo. E, atualmente, o menor tempo de espera pode ser um fator decisivo.

Das três locadoras pesquisadas, a Unidas (LCAM3) teve maior destaque por oferecer qualquer tipo de veículo do jeito que o cliente quiser (sempre sujeito a espera). Movida e Localiza preferem oferecer o que têm de disponível em estoque e com entrega mais rápida.

A Unidas também é menos restrita a quem pode assinar: enquanto Localiza e Movida exigem maiores de 21 anos, a Unidas é mais flexível e aceita qualquer pessoa com habilitação. Na prática, facilita a vida de pais que querem assinar para filhos maiores de 18 anos ao invés de comprar um carro.

Limitar a mensalidade a 30% da renda familiar, como faz a Unidas, é uma boa forma de racionalizar o serviço e evitar inadimplência, assim como oferecer seguro-desemprego (apesar de ser pago).

Os planos da Unidas também são os mais completos – de 12 a 48 meses, sem limite nem custo por motoristas adicionais.

O destaque da Movida (MOVI3) é o carro reserva grátis por 15 dias durante o plano, em caso de manutenção. Os demais cobram por isso.

Sobre seguros e coberturas, a Movida é a que cobra menos por uma proteção mais completa e pela coparticipação, afinal, o assinante arca com um valor pré-determinado em qualquer evento adverso. Unidas e Localiza cobram 5% sobre o valor de mercado do carro, o que em geral supera os valores da Movida.

Movida e Unidas são mais flexíveis em casos de quilometragem excedida e não reajustam as mensalidades durante o plano, deixando a despesa mais previsível. A Localiza se baseia no IPCA para reajustar a mensalidade a cada 12 meses, o que pode ser preocupante em tempos de inflação elevada.

Custos de rescisão são assustadores

Os valores por rescisão de contrato são assustadores nas três, mas dos males o menor: a porcentagem da multa é decrescente e menor na Unidas.

Entre os diferenciais, a Localiza (RENT3) traz mais vantagens com as parcerias comerciais, oferta de película nos vidros sem custo e programa de carbono sem custo.

A Unidas, por sua vez, oferece serviço de entrega do carro em domicílio, leva e traz nas revisões e parcerias com direito a descontos.

Escolha a sua

Unidas é melhor por: oferta de veículos, aceitar jovens a partir de 18 anos, limitar a mensalidade a 30% da renda, oferecer seguro-desemprego, planos mais completos (de 12 a 48 meses), flexibilidade se exceder quilometragem, mensalidades a preço fixo, menor multa por rescisão, serviços de entrega do carro e leva e traz e descontos por parcerias.

A Movida é melhor ao: oferecer carro reserva por 15 dias sem cobrar, ter opção adicional de seguro mais em conta e menores valores de coparticipação, flexibilidade na quilometragem e também não ter reajuste nas mensalidades durante todo o plano.

A Localiza precisa ter melhor preço para superar as vantagens oferecidas pelas concorrentes: o programa Meoo oferece de melhor apenas boas parcerias comerciais (como a que garante 50% de desconto na mensalidade do tag automático de pedágio), instalação de película nos vidros sem custo, assim como programa de descarbonização sem onerar o cliente.

Qual o serviço de assinatura mais barato?

Em pesquisa realizada nos sites de cada locadora por 2 modelos (um econômico e um SUV) idênticos, a Movida leva vantagem de preço nos dois casos - levantamento feito em 17/10/21.

Valores e previsão de entrega oscilam a cada dia. Portanto, pesquisar preços é fundamental. E não deixe de barganhar diretamente com a locadora escolhida um possível desconto, o que no final das contas pode fazer uma boa diferença.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies