2021-09-21T15:01:21-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Paparazzi digital

Muito além do bitcoin: Conheça o BitClout, a rede social que paga em criptomoedas pelos seus posts

A nova rede ganhou os holofotes do mundo cripto hoje com a divulgação do nome do CEO da companhia. Até então, Nader Al-Naji era conhecido como Diamondhands

21 de setembro de 2021
13:23 - atualizado às 15:01
A empresa ganhou os holofotes após a identidade do misterioso CEO ser revelada - Imagem: Divulgação / Montagem

As redes sociais tomaram conta da nossa vida. É quase impossível passar um dia sem Twitter, Facebook ou mesmo Whatsapp, “trabalhando” de graça para essas gigantes ao postarmos nossas fotos e pensamentos nas plataformas.

Mas e se você pudesse ser remunerado — e com  criptomoedas de acordo com a sua popularidade na rede?

É o que se propõe a fazer a BitClout, que promete transformar em moeda os posts e curtidas publicados na plataforma.

“O bitcoin é o dinheiro descentralizado. O BitClout é a rede social descentralizada”, afirma a apresentação da empresa.

A nova rede ganhou os holofotes do mundo cripto hoje com a divulgação do nome do CEO da companhia. Até então, Nader Al-Naji era conhecido apenas pelo pseudônimo Diamondhands (“Mão de diamante”, em tradução livre).

BitClout, a rede social criptográfica

O BitClout está conectado à blockchain "Decentralized Social" (DeSo) e isso permite que a rede social seja descentralizada. Quando o usuário cria uma conta, ele recebe um número de tokens que crescem conforme a pessoa ganha mais seguidores e podem se valorizar negociando eles.

Como costuma acontecer no mundo do bitcoin e das criptomoedas, esses tokens podem ser negociados e, conforme a demanda, aumentar ou diminuir de valor. Para conseguir entender melhor como funciona o BitClout, nós abrimos uma conta na rede social e explicamos o passo a passo de como fazer.

Na fase inicial, o usuário converte ganha o equivalente a US$ 13 (R$ 68,90) em $DESO ao se inscrever para negociar na rede. Para conseguir negociar dentro do BitClout, o investidor-usuário deve comprar a criptomoeda nativa da blockchain da DeSo com símbolo “$DESO”, anteriormente chamado de CLOUT.

Para criar uma conta, o usuário precisa apresentar documentos como passaporte, carteira de motorista e outros. Essas informações são necessárias para evitar a criação de perfis falsos (que podem acabar embolsando alguns dólares por conta).

Além disso, para conseguir fazer alterações no perfil, como colocar uma foto, mudar a descrição ou o nome da conta, também é preciso desembolsar alguns centavos dólares (entre US$ 0,07 e US$ 0,09). 

Para conseguir negociar dentro da rede, o usuário deve comprar criptomoedas, que podem ser negociadas por corretoras, ou usar uma carteira (wallet) nativa da conta. O BitClout não possui anúncios e tem uma cara parecida com  o Facebook, onde é possível postar frases, fotos e vídeos.

De acordo com o Coin Market Cap, a criptomoeda $DESO registra uma alta de 6,01% na manhã desta terça-feira (21), valendo US$ 78,42 (R$ 416,70). 

Quem é Nader Al-Naji, CEO da BitClout

Apesar do nome, Nader Al-Naji nasceu no Texas, Estados Unidos. O fundador da primeira rede social totalmente descentralizada nunca foi um grande fã das mídias tradicionais. Para ele, plataformas centralizadas, como Twitter, Facebook e Instagram, “controlam o discurso público e lucram com o conteúdo que eles nem mesmo criam”.

CEO da BitClout, Nader "Diamndhand" Al-Naji

Al-Naji também fundou uma stablecoin, chamada Basis, que foi descontinuada em 2018 por inconsistências regulatórias. À época, o CEO da BitClout devolveu os US$ 133 milhões levantados para o projeto de volta para os investidores. 

Para conseguir levantar esse projeto, “Diamondhands” conseguiu um financiamento de US$ 200 milhões. Entre os investidores que bancaram o negócio estão nomes conhecidos do mercado de startups. Confira a lista:

  • Andreessen Horowitz (a16z)
  • Sequoia
  • Social Capital
  • TQ Ventures
  • Coinbase Ventures
  • Winklevoss Capital
  • Polychain Capital
  • Pantera Capita
  • Arrington Capital
  • Blockchange Ventures
  • Distributed Global
  • Blockchain.com Ventures
  • Hack Ventures
  • Alexis Ohanian (co-fundador do Reddit)

Como o BitClout funciona

Al-Naji deixou uma série de contas “pré-fabricadas” para os famosos que quiserem entrar. Entre elas, estão o perfil do bilionário Elon Musk, Justin Bieber, do próprio Nader Al-Naji e até do influenciador brasileiro Felipe Neto. 

O usuário pode seguir e comprar os tokens desses famosos. Essa é uma forma de “recompensar” as pessoas por sua popularidade na rede social. 

A criptomoeda $DESO foi lançada nas corretoras (exchanges) Blockchain.com e AscendEX, apenas com negociações em dólares. Além disso, Al-Najid afirmou que mais de 100 aplicativos foram ou estão sendo construídos na blockchain da DeSo, incluindo uma rede de negociação de NFTs, uma rede social como o Twitter, entre outras. 

Riscos

Os projetos envolvendo criptomoedas são muito diferentes entre si, mas os riscos acabam sendo mais ou menos parecidos. Assim como a Basis de Al-Naji pode ir por água abaixo, as criptomoedas podem acabar não se sustentar no longo prazo. 

Além disso, a rede social precisa que os tokens e criptomoedas sejam negociadas constantemente para continuar girando a “economia” do aplicativo. Ou seja, se a pessoa não for tão famosa ou não gerar tanto engajamento, seus tokens não serão negociados e, portanto, passam a não valer muita coisa. 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

ECONOMIA X COVID

Economia monitora variante ômicron da covid-19, mas programas de auxílio dependem da PEC dos Precatórios; pasta evita falar em gastos fora do teto

Ministério da Economia evita falar em crédito extraordinário, como acontece nos casos de guerras ou calamidades públicas

Black Friday em números

Varejo cresce 6,3% na Black Friday e vê crescimento de lojas virtuais com e-commerce aquecido; confira dados

Apesar do aumento em relação à Black Friday de 2020, o patamar de faturamento do varejo foi 9,1% inferior ao registrado em 2019

Desdobramentos da crise

Presidente da Latam, Roberto Alvo diz que recusou oferta ‘incompleta’ e ‘insuficiente’ da Azul

O conteúdo dela é confidencial”, afirmou, em entrevista coletiva. Procurada, a Azul não quis comentar

Solana no MB

Exclusivo: Solana (SOL), 5ª maior criptomoeda do mundo, chega Mercado Bitcoin com alta de mais de 12.000% no ano

A quinta maior criptomoeda do mundo vem conquistando o mercado porque se coloca como uma blockchain alternativa ao ethereum (ETH)

Pandemia em curso

Variante ômicron da covid-19 já está em dez países, mas chefe da associação médica da África do Sul vê “sintomas médios” da doença em estudo preliminar

Até o fechamento desta matéria, não haviam informações sobre infecções por essa variante da covid-19 nas Américas