Menu
André Franco
Crypto News
André Franco
É engenheiro e especialista em criptomoedas da Empiricus
2021-05-13T11:11:23-03:00
Crypto News

Ethereum ou bitcoin: qual criptomoeda sobe mais até julho?

Se a resposta para a pergunta acima fariam você alocar em apenas um dos ativo pode ser hora de revisar sua postura como investidor

12 de maio de 2021
17:53 - atualizado às 11:11
Bitcoin Ethereum
Imagem: Shutterstock

Bitcoin!

“Então é hora de vender ETH e alocar tudo em BTC.”

Mentira! O que mais vai subir será o ether.

“Então vamos de ‘all-in’ no ETH e sair de BTC.”

Se as minhas respostas para as perguntas acima levaram você a concluir que o certo a fazer era alocar em apenas um dos ativos, acho que é necessário revisar sua postura como investidor.

Primeiro, esqueça essa visão de comprar apenas o que mais vai subir.

Ninguém, absolutamente ninguém, sabe qual será o preço de um ativo no futuro com exatidão, imagina saber o futuro de mais de um deles.

Segundo, passe a pensar de forma probabilística, isso sempre ajudará você a construir patrimônio no longo prazo.

Isso porque o caso do jovem que se tornou milionário com uma tacada só é apenas uma faceta de um prisma que tem mais perdedores que vencedores.

Construir uma carteira cripto com várias teses de longo prazo foi o que fez a Crypto Legacy atingir ganhos de mais de 2.500% em menos de quatro anos.

Por isso, tenha em mente que por mais que eu acredite que o ether irá superar a valorização do bitcoin até 14 de julho, ainda sugiro que você possua os dois em carteira.

Em termos práticos, uma atualização na rede do Ethereum no dia 14 de julho irá tornar o ether deflacionário, e isso o investidor de bitcoin aprecia muito.

Inclusive, acredito que o investidor de bitcoin mais novo, que comprou BTC nos últimos 6 a 12 meses, está se movimentando nesse sentido.

Parece que o famigerado “rotation trade” deu as caras no mercado cripto.

Além do caráter deflacionário, a promessa é que a rede do Ethereum fique mais barata para seus usuários, o que pode trazer uma nova onda de negociações para o ecossistema.

Consequentemente, vejo como todos os protocolos criados na principal rede de contratos inteligentes serão beneficiados diretamente.

Taxas mais baratas significam um sistema de DeFi mais atraente para os investidores menores, que foram quase expulsos da rede pela inflação causada pela alta demanda.

No entanto, em termos práticos, parece que parte do capital que irrigou o mercado cripto nos últimos 12 meses pode migrar para ether e, posteriormente, para DeFi.

Do seu lado, o certo a se fazer é ter tanto bitcoin, como ether e algum token de DeFi.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Pedido ao presidente

Instituto Aço Brasil pede a Bolsonaro para não reduzir tarifa de importação

Na visão do presidente executivo da entidade, Marco Polo de Mello Lopes, não há cenário de excepcionalidade que justifique tal medida

Insights Assimétricos

Preparado para a Super Quarta? O que você precisa saber antes das decisões do Fed e do Copom sobre juros

Um ajuste dos juros, mantendo-os ainda abaixo do neutro (entre 5,5% e 6,5%), seria salutar. Uma alta para além disso, contudo, poderá comprometer a retomada brasileira

Caçadores de tendências

Itaú Asset lança mais 3 ETFs com foco em inovação nas áreas de saúde, tecnologia e consumo dos millennials

Gestora do Itaú agora aposta em índices de empresas globais ligadas a tendências de consumo que estão mudando a sociedade

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies