Menu
André Franco
Crypto News
André Franco
É engenheiro e especialista em criptomoedas da Empiricus
Dados da Bolsa por TradingView
2021-10-06T18:01:43-03:00
CRYPTO NEWS

O bitcoin já quebrou muitas premissas, mas você está preparado para quebrar mais algumas e entrar na onda dos NFTs?

Hoje o nosso papo é sobre um desses pressupostos que temos ao encarar o mundo dos tokens não fungíveis (NFTs), ou tokens colecionáveis

6 de outubro de 2021
18:01
imagem mostra uma moeda digital cunhada com a sigla NFT sobre uma placa de computador
Imagem: Shutterstock

Você já deve estar cansado de me ouvir falar que o mundo cripto te obriga a questionar premissas que você possuía e nem sabia que existiam.

Hoje o nosso papo é sobre um desses pressupostos que temos ao encarar o mundo dos tokens não fungíveis (NFTs), ou tokens colecionáveis.

Sempre que entramos na conversa de que o detentor do token é o único que pode se dizer dono de uma arte digital que todos podem copiar, a mente das pessoas leigas se contorce.

Por mais que tentemos explicar que apenas o Museu do Louvre possui a Monalisa, apesar de qualquer um poder ter uma foto do quadro tirada da internet, as pessoas não entendem da mesma forma uma obra de arte essencialmente digital.

Além disso, a minha digressão sobre essa falta de entendimento é que a premissa básica das pessoas é que a arte digital sempre poderá ser copiada e exibida em qualquer local.

No entanto, isso é um pressuposto do mundo físico em que vivemos, no qual uma obra de arte digital pode ser simplesmente copiada e exibida sem qualquer perda em uma imagem no Twitter ou em qualquer outra rede social.

Por outro lado, em um metaverso (universo paralelo) digital, as regras criadas podem impedir esse tipo de reprodução indevida.

Afinal, o digital é facilmente programável, editável e, no mundo cripto, transparente e verificável.

Assim sendo, em vários metaversos de jogos como “Decentraland” e “Sandbox” já é possível exibir suas artes digitais com um selo verificador de propriedade.

Além disso, especula-se que o Twitter possa em breve adicionar um novo selo verificador para aqueles que possuem avatares de coleções de NFTs conhecidas.

Isso poderia simplesmente criar uma onda de novos usuários loucos para comprar o seu próprio NFT caro e exibi-lo nas redes sociais.

Hoje em dia é possível alugar mansões e carrões apenas para tirar uma foto e parecer ter uma vida que não se tem, portanto, a ostentação do mundo real ficou mais barata no mundo digital.

No entanto, um NFT que custou US$ 10 milhões é completamente verificável, transparente e exibível de forma totalmente segura por meio das redes sociais.

Quando Mark Zuckerberg começar a ver isso de maneira mais séria, o próximo passo será algo no Instagram parecido com o que se ventila no Twitter.

Você está preparado para quebrar mais algumas premissas e viver no mundo ostentativo dos NFTs?

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Ora, pois

Bradesco deve abrir base em Portugal para ‘seguir’ milionários brasileiros

Movimento de migração de famílias clientes do segmento private do banco após a pandemia levou à retomada dos estudos para entrar no mercado lusitano

De volta aos dois dígitos

Mercado já vê juros de até 11% em 2022

Drible no teto de gastos gerou movimento generalizado nas instituições financeiras para revisar para cima suas projeções para a taxa de juros

Óleo e gás

3R Petroleum (RRRP3) certifica reservas provadas de 185,1 milhões de barris

Companhia divulgou resultado da certificação de reservas do Campo de Papa-Terra, na Bacia de Campos, cuja participação foi adquirida da Petrobras

Valor intangível

As 10 marcas mais valiosas do mundo em 2021 – a líder vale US$ 408,2 bilhões

Apple lidera ranking da Interbrand, seguida de outras big techs; com alta de 184%, Tesla foi a marca com maior salto no seu valor no último ano

Contrata-se

Fintechs fazem mercado de vagas crescer 466%, com foco em tecnologia

Startups de tecnologia para o mercado financeiro procuram talentos sobretudo na área de TI, e alguns processos seletivos são exclusivos para mulheres

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies