Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-19T19:34:54-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Corte no ICMS?

Telecom em alta: Tim (TIMS3) e Vivo (VIVT3) sobem forte com decisão do STF e otimismo do Santander

As ações das teles ficaram entre as maiores altas do Ibovespa nesta sexta com a perspectiva de redução de tributos para o setor

19 de novembro de 2021
14:02 - atualizado às 19:34
Montagem mostrando fachadas de lojas da Tim (TIMS3) e Vivo (VIVT3)
Imagem: Montagem Andrei Moraes

Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) a respeito da alíquota de ICMS que incide sobre o setor de telecomunicações em Santa Catarina deu impulso às ações de TIM (TIMS3) e Vivo (VIVT3) nesta sexta-feira (19). Os papéis avançaram mais de 5% e ficaram entre as maiores altas do Ibovespa, beneficiados também pela visão positiva do Santander a respeito do segmento.

À primeira vista, pode parecer que a questão do STF é menos importante e tem alcance limitado, mas suas implicações podem ser bastante benéficas para o setor de telecomunicações, com desdobramentos em nível nacional. É um tema complexo, mas vamos deixar o juridiquês de lado para entender exatamente o que está em jogo.

Atualmente, o estado de Santa Catarina conta com uma alíquota de ICMS de 25% sobre a receita bruta das empresas de telecomunicação. No entanto, uma ação movida pelas Lojas Americanas pede o enquadramento das teles como 'serviços essenciais' — e, por definição federal, essa categoria tem ICMS limitado a 17%.

Pois bem: o Supremo já formou maioria a favor do pleito das Americanas. Ou seja, a tributação sobre os serviços de telecomunicação em Santa Catarina irá diminuir por decisão das instâncias superiores da Justiça — naturalmente, essa redução não acontecerá do dia para a noite, mas, ainda assim, a notícia é animadora para o setor.

Mais do que os impactos para as operações catarinenses de empresas como Vivo, TIM e Claro, o que importa realmente é a extensão do parecer do STF. Ao decidir pelo enquadramento do setor de telecom como 'serviço essencial' em Santa Catarina, o Supremo cria uma jurisprudência que pode ser aplicada em nível nacional.

O ICMS é um imposto estadual e, assim, cada Unidade da Federação possui suas próprias regras e alíquotas incidentes sobre os diversos tipos de produtos e serviços — vem daí, por exemplo, a dificuldade para se costurar um acordo para congelamento das taxas aplicadas sobre os combustíveis no país inteiro, de modo a frear a alta nos preços da gasolina.

E, no caso do setor de telecomunicações, todos os Estados praticam alíquotas de ICMS acima dos 17% estipulados pelo STF para Santa Catarina — em linhas gerais, as taxas ficam entre 25% e 37%. Assim, a partir da decisão do Supremo para o mercado catarinense, as teles podem entrar com ações para cortar os impostos no resto do país.

Novamente: esse é um processo que tende a se estender por um longo período e que, provavelmente, seria feito de maneira escalonada, com baixas graduais nas alíquotas. Ainda assim, o mercado mostrou animação com a possibilidade.

As ações ON da TIM (TIMS3) fecharam o dia em alta de 5,15%, a R$ 13,48 — na máxima do dia, chegaram a avançar 8,2%, a R$ 13,87. Já Vivo ON (VIVT3) mostrou tendência semelhante e fechou em alta de 5,40%, a R$ 52,30; mais cedo, os papéis bateram os R$ 53,95, saltando 8,7%.

Santander mostra otimismo

Outro fator que deu impulso às ações das teles nesta sexta-feira foi a visão construtiva do Santander, que iniciou a cobertura do setor e mostrou-se particularmente otimista com TIM e Vivo.

Em relatório, os analistas Felipe Cheng e César Davanço dizem esperar uma aceleração na receita líquida do segmento em 2022 e 2023, considerando a dinâmica mais favorável de competição na telefonia móvel — com a saída da Oi, o mercado agora tem apenas Vivo, TIM e Claro nessa área — e uma expansão forte na rede de fibra ótica residencial

"Os valuations atuais são atrativos, com as companhias sendo negociadas abaixo de seus múltiplos históricos, apesar da perspectiva mais positiva para o setor", diz o Santander. O banco tem recomendação de compra para TIM (TIMS3) e a Vivo (VIVT3), sendo que a primeira é a top pick entre as teles; Oi (OIBR3) possui classificação neutra.

Veja abaixo os preços-alvos do Santander para o final de 2022 e os potenciais de retorno de cada um dos papéis em relação aos níveis atuais:

  • TIM ON (TIMS3): R$ 18,00 (alta implícita de 34%);
  • Vivo ON (VIVT4): R$ 58,00 (alta implícita de 12%);
  • Oi ON (OIBR3): R$ 1,10 (alta implícita de 19%).

As ações da Oi, aliás, também fecharam no campo positivo nesta sexta, com ganhos de 4,55%, a R$ 0,92; a respeito dos papéis OIBR3, o Santander diz que a conclusão da venda da divisão de telefonia móvel para Vivo, TIM e Claro deve ser um catalisador importante no curto prazo, mas que o momento operacional da companhia deve continuar desafiador nos próximos meses.

TIM (TIMS3) e Vivo (VIVT3): na contramão do mercado

As duas gigantes do setor de telecomunicação vivem um momento relativamente positivo na bolsa, destoando do tom mais negativo e turbulento visto em grande parte do mercado acionário brasileiro nas últimas semanas.

TIM ON (TIMS3), por exemplo, sobe quase 20% desde o começo de novembro, já levando em conta o bom desempenho visto hoje; Vivo ON (VIVT3) tem ganhos mais modestos, mas também intensos: cerca de 14% neste mês. O Ibovespa, por outro lado, está no vermelho e, nesta semana, renovou as mínimas no ano.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies