Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-13T09:06:44-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Barba, cabelo e criptobigode

Esse bitcoin (BTC) tá diferente: como a atualização Taproot pode dar um novo gás nas cotações da criptomoeda

A julgar pelo que aconteceu no passado, o bitcoin pode ganhar um novo impulso no rali de final de ano com o Taproot, que deve melhorar a experiência de usar a criptomoeda no dia a dia

11 de novembro de 2021
6:06 - atualizado às 9:06
Bitcoin no topo de uma montanha rodeada de névoa | Criptomoedas
O que podemos esperar do preço do bitcoin após o taproot? - Imagem: Shutterstock

A primeira atualização em quase quatro anos do bitcoin (BTC) está programada para ocorrer neste domingo (14). O anúncio foi feito em julho deste ano e deve aumentar a competitividade da maior moeda do mercado, que atingiu novas máximas históricas nesta semana.

O chamado Taproot é uma atualização do tipo softfork, ou seja, toda a rede passará por uma atualização. É diferente do hardfork, processo que dividiu a rede Ethereum em ethereum classic (ETC) e ethereum (ETH), que conhecemos hoje como a segunda maior criptomoeda do mundo.

A atualização será pouco perceptível para os usuários de forma geral, mas deve melhorar a experiência de usar bitcoin no dia a dia, como agilidade e taxas mais baixas. O Taproot foi criado para solucionar o trilema das criptomoedas: crescimento de rede (escalabilidade), segurança e descentralização

Com isso, o BTC se fortalece frente a projetos de criptomoedas mais recentes e que cresceram vertiginosamente em 2021.

O que faz o softfork Taproot do bitcoin

De acordo com o site dos desenvolvedores dessa nova atualização, o Taproot irá melhorar a segurança da rede e tornar as transações ainda mais seguras para os usuários, protegendo o modelo de chave cruzada utilizado atualmente.

Em outras palavras, as transações de compra e venda passam a ficar indistinguíveis umas das outras.

Do ponto de vista técnico, mais transações podem ser inseridas por bloco, o que torna o processo mais rápido e mais barato.

O “bloco” é o conjunto de transações que precisa ser validado através da mineração de criptomoedas, processo que mantém a segurança das transações do bitcoin

Mas a grande novidade envolve a mudança de protocolo, que passará a permitir o desenvolvimento de contratos inteligentes (smart contracts) dentro da rede do bitcoin, assim como acontece com o ethereum, que criou o modelo de certificados digitais (NFT) e finanças descentralizadas (DeFi). 

Dessa forma, o bitcoin terá capacidade de competir com outros projetos, como solana (SOL), polkadot (DOT) e o próprio ethereum (ETH) na criação de soluções de segunda camada.

Além disso, outra parte da atualização deve melhorar o problema da escalabilidade do bitcoin, que hoje usa o Lighting Network para otimizar o crescimento da rede. 

Em que isso afeta o preço do bitcoin

A julgar pelo que aconteceu no passado, o bitcoin pode ganhar um novo impulso com o Taproot. O rali recente da criptomoeda aconteceu justamente com essa expectativa.

A primeira atualização do bitcoin ocorreu em 1º de agosto de 2017 e o hardfork gerou o Bitcoin Cash (BCH). Já na segunda, o bitcoin se dividiu novamente, em 24 de outubro do mesmo ano, surgindo o Bitcoin Gold (BTG).

Naquele ano, o bitcoin sofreu a maior valorização de sua história, uma alta de 1.369%, saindo de US$ 756 em janeiro para US$ 20.089 em dezembro, segundo dados do Cryptorank.

Fonte: Crypto Rank

Então, o que podemos esperar da nova atualização?

Rentabilidade passada não é sinônimo de retorno futuro. Além disso, o investimento em criptomoedas é extremamente arriscado, mesmo para projetos sólidos como o bitcoin.

Entretanto, a atualização deve aumentar as possibilidades de uso do bitcoin, o que deve influenciar positivamente no preço da criptomoeda nos próximos meses com a entrada de novos usuários na rede, segundo especialistas.

O aumento da popularidade das criptomoedas e a diversificação de produtos criptográficos, como os ETFs (fundos de índice negociados em bolsa) nos Estados Unidos, para o público geral também devem impulsionar as cotações.

Os analistas projetam que o preço do bitcoin pode chegar até os US$ 100 mil até o final de 2021, e o Taproot deve dar um empurrãozinho até o ano que vem. 

Atenção aos riscos

Por outro lado, é dos EUA também que pode vir a "água no chope" da festa do bitcoin. O avanço regulatório do país sobre stablecoins, as criptomoedas com lastro como o Tether (USDT), pode afetar as cotações do mercado em geral. 

As stablecoins são usadas pelos usuários para diminuir taxas e preservar o poder de compra dos investidores e alguns analistas acreditam que qualquer movimento dessas criptomoedas com lastro afeta as demais moedas do mercado. 

Somado a isso, os Bancos Centrais pelo mundo têm se unido em um esforço de regulamentar o mercado de criptoativos de diversas formas.

O Comitê de Supervisão Bancária de Basileia (BCBS, em inglês), principal criador de padrões globais para a regulamentação do setor financeiro, deve lançar uma pesquisa no final deste mês com foco no “tratamento prudente desses ativos” quanto aos riscos para o ambiente financeiro dos bancos.

Os investidores institucionais, como grandes empresas, fundos e gestoras, também entraram com força na rede nos últimos meses. Mas fatores estruturais, com a alta da inflação e depreciação de outros ativos na carteira desses investidores podem gerar um movimento de fuga das criptomoedas, o que mexe diretamente com o preço do bitcoin

Por último, mas não menos importante: durante a atualização da rede, algumas criptomoedas enfrentam instabilidade e chegaram até a serem desligadas, como foi o caso da Solana (SOL), em setembro.

No caso do London Fork da rede ethereum, alguns mineradores chegaram a não conseguir conectar as máquinas à blockchain, o que foi resolvido em algumas horas. 

É altamente improvável que isso ocorra, mas o risco, por menor que seja, ainda existe. 

Como o bitcoin é “atualizado”

Cada atualização ocorre por meio do consenso da rede de mineradores. De forma simples, qualquer pessoa que contribua com o hashrate de mineração pode sugerir uma alteração no protocolo. 

Os mineradores se inscrevem e votam se adotam ou não a proposta. No caso do Taproot, a atualização foi prorrogada porque era preciso que 90% dos mineradores concordassem com as mudanças, o que só aconteceu em junho deste ano.

* Colaboraram com esta matéria Ray Nasser, CEO da mineradora Arthur Mining, Rodrigo Batista, CEO da Digitra.com, Orlando Teles, diretor de Research da Mercurius Crypto e Marco Castellari, CEO da Brasil Bitcoin.  

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

BC aumenta a Selic, Nubank conclui IPO e mercado reage bem à PEC dos precatórios; veja o que marcou esta quarta-feira

Conforme esperado pelos economistas após dados recentes mais fracos da atividade econômica brasileira, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros em 1,5 ponto percentual, a 9,25% ao ano, em sua última reunião do ano. Se em muitos momentos ao longo de 2021 o mercado acionário reagiu ao […]

2022 MAIS GORDO

Dividendos e JCP: Copel (CPLE6) engrossa a lista de pagamentos milionários aos acionistas; não fique fora dessa

Data da remuneração ainda não foi definida pela empresa, mas valerá para aqueles com posição até 30 de dezembro deste ano

FECHAMENTO DO DIA

Investidores tentam equilibrar noticiário e Ibovespa emplaca mais um dia de alta; dólar tem queda firme com ômicron no radar

Com o avanço da PEC dos precatórios, a pandemia se torna um dos únicos gatilhos negativos a rondar o Ibovespa

DOBRANDO A ESQUINA

Lucro das empresas com ações na bolsa deve cair 6,3% em 2022, diz BTG Pactual

Mesmo assim ainda é possível encontrar setores em que o cenário é positivo; saiba quem é quem

Bateu o martelo

IPO do Nubank sai no topo da faixa indicativa, a US$ 9 por ação; banco ultrapassa Itaú (ITUB4) e é a instituição financeira mais valiosa da América Latina

Com isso, os BDRs, que serão negociados por aqui a partir da próxima quinta-feira (09), saem valendo R$ 8,38

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies