Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-05T19:01:54-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Creio, não creio

Do ceticismo ao entusiasmo: 3 bilionários que rejeitam e 3 que investem em bitcoin

Alguns figurões e gurus do mercado não querem nem saber: não olham a alta do bitcoin nos últimos anos e tem calafrios só de pensar em criptomoeda. Por outro lado, existem outros que são entusiastas do bitcoin

5 de julho de 2021
14:57 - atualizado às 19:01
Drake Bitcoin v2

Uma das expressões preferidas do meu pai é o “bode na sala”. Sempre que algum assunto desperta ódio ou paixão, está lá o caprino entre o sofá e a televisão.

Goste dele ou não, está ali, atrapalhando a passagem e fazendo as necessidades onde bem entende e, é claro, gerando incômodo. Em geral, falamos do tal bode sempre que não dá para ignorar um tema espinhoso — ou, no caso, “chifroso”.

Então vamos colocar o bode na sala e falar do bitcoin (BTC), que desperta dores e amores dos investidores. A principal criptomoeda do mercado já foi chamada de “dinheiro de tráfico”, “moeda que não existe” e “bolha” desde a sua criação lá nos idos de 2009. 

É verdade que o mercado das criptomoedas é muito volátil. As altas e baixas do mercado atingem os dois dígitos com facilidade e assustam os pequenos e grandes investidores. Não dá para negar que é um verdadeiro “teste para cardíaco”, ao melhor estilo Galvão Bueno. 

Alguns figurões e gurus do mercado não querem nem saber: não olham a alta do bitcoin nos últimos anos e têm calafrios só de pensar em criptomoeda.

Por outro lado, existem outros que são entusiastas do bitcoin, como o bilionário Elon Musk, que frequentemente chacoalha os mercados com sua conta no Twitter

Além dele, confira aqui outros três céticos e três "convertidos" ao bitcoin:

Luiz Barsi, o brasileiro do contra

Um dos maiores investidores pessoa física da bolsa brasileira, Luiz Barsi é um conhecido cético das criptomoedas. Em uma fala polêmica em seu canal do YouTube, ele afirmou que “bitcoin não existe” e que as criptomoedas não passam de “fantasmas”. 

Aqui no Seu Dinheiro, nós já falamos sobre o mito de que o bitcoin e outras criptomoedas não existem. É verdade que o bitcoin não tem lastro, mas dizer que um investimento que acumula US$ 617 bilhões em valor de mercado não existe é outra história…

Warren Buffet, o gigante do contra

O Oráculo de Omaha também é outro grande investidor que não acredita na existência do bitcoin. Um dos sócios de Buffet, Charlie Munger, disse que todo o "maldito desenvolvimento" do bitcoin e outras criptomoedas "é repugnante e contrário aos interesses da civilização".

Mas para além do ceticismo, alguns atribuem a desconfiança que o bilionário tem do bitcoin a um de seus princípios como investidor: “não invisto no que não conheço”. Além disso, o investimento em criptomoedas é altamente especulativo, e o guru não é fã de especular em ativos. 

Bill Ackman, do contra, mas...

O fundador da Pershing Square Capital Management, uma gestora de fundos hedge, também acredita que o bitcoin é puramente especulativo. "Só vale quando alguém vai comprar de você", disse Ackman em um webinar apresentado pela Sinagoga da Quinta Avenida, com sede em Nova York.

Entretanto, o gestor investe em criptoativos, em especial o token Helium (HNT), uma rede de conexão de internet descentralizada.

"Ao implantar um dispositivo simples na sua casa ou escritório, você pode fornecer à sua cidade quilômetros de cobertura de rede de baixo consumo de energia para bilhões de dispositivos e ganhar uma nova criptomoeda, o HNT", diz o site da Helium. Ackman disse que o Helium pode "motivar as pessoas a construir uma rede sem fio global". 

Steve Cohen, o convertido

O chefe da Point72 Asset Management, bilionário estrategista e um dos traders mais bem-sucedidos da atual geração, Steve Cohen é um dos convertidos à criptomoeda.

“Eu estou completamente convertido às criptomoedas. Você tem que pagar para aprender, não tem outro jeito. Você pode falar o quanto quiser falar, mas você tem que entrar no jogo para valer”, comentou ele em uma entrevista com Jawad Mian, autor e fundador do Stray Reflections.

Carl Icahn, um convertido agressivo

Dono de uma fortuna de mais de US$ 15 bilhões, Carl Icahn é um ex-conselheiro do ex-presidente norte-americano, Donald Trump.

Ele chegou a afirmar, em dezembro de 2017, que o bitcoin era uma bolha financeira, e que, de fato, não entendia como funcionava — e que foge de coisas que não entende.

Mas em maio deste ano, o grupo dos convertidos ganhou mais um membro quando Icahn falou, em uma entrevista à Bloomberg, que estaria disposto a colocar até US$ 1,5 bilhão em criptomoedas.

Ele mencionou que queria fazer uma entrada massiva no mercado e acredita que alguns ativos podem ser mais duradouros do que outros. Ele acrescentou que ativos criptográficos podem ser uma proteção contra a inflação.

Mark Lasry, o arrependido

Esse não é exatamente um caso de conversão, mas de excesso de cautela. Em uma entrevista à CNBC, Lasry afirmou que deveria ter comprado mais bitcoins em 2018, quando o preço da criptomoeda estava em aproximadamente US$ 7.500. 

Ele chegou a prever que mais gente usaria a moeda e que ela se tornaria realmente um sucesso de mercado. Entretanto, a falta de informações e interesse dos investidores na época o fez colocar pouco dinheiro nesse novo investimento. 

Lasry não chegou a dizer o quanto havia investido, mas chegou a prever que a criptomoeda poderia chegar a valer até  US$ 100 mil.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Garantindo a oferta

Crescem ofertas de ações com reserva antecipada

As ancoragens normalmente conseguem atrair mais investidores, numa espécie de chancela prévia, com potencial impacto positivo no preço da ação.

alto escalão

Fleury: CFO Fernando Leão renuncia ao cargo e será substituído por José Filippo

O Fleury informou que os dois executivos trabalharão juntos em um processo de transição estruturado que se terminará em dia 31 de agosto.

brumadinho

Sindicato recorre e indenização da Vale pode chegar a R$ 3 mi a cada morto em MG

Em nota, a Vale reiterou que está comprometida em indenizar as famílias das vítimas da tragédia de Brumadinho de “forma rápida e responsável”

A bolsa como ela é

3 pegadinhas em balanços de empresas da bolsa que você deve ficar de olho

Não precisa ser um Sherlock Holmes para avaliar os resultados de empresas listadas – embora o trabalho de analista guarde muitas semelhanças com o de um detetive

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies