Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-14T12:18:19-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Tomou a pílula vermelha

Ações da Nasdaq ‘entram na Matrix’ e serão negociadas como criptomoedas; entenda

A Nasdaq vai “clonar” seus papéis para serem representados por tokens em uma “bolsa de criptomoedas”

10 de setembro de 2021
11:27 - atualizado às 12:18
Neo ao lado de dois bitcoins, seus parceiros dentro da matrix
O que o Neo e a Nasdaq tem em comum? Ambos saíram do mundo real e foram para uma máquina criptográfica - Imagem: Montagem / Shutterstock

Você conhece as ações como uma representação do capital de uma empresa. E se os papéis, que hoje são negociados nas bolsas de valores, pudessem ser replicados dentro de um ambiente tecnológico paralelo como se fossem criptomoedas?

Seguindo a onda do novo filme Matrix, a bolsa norte-americana de Nasdaq passará a oferecer produtos focados em ações tokenizadas. Em outras palavras, será possível criar uma “bolsa em criptografia”, de acordo com a empresa. 

Dentro da Matrix

O Nasdaq Market Data Feeds, em parceria com a Finnhub e a Tiingo, ambas empresas de tecnologia em mercado financeiro, pretendem ampliar o alcance dos serviços da DeFiChain, uma blockchain focada em negociações de DeFis, as finanças descentralizadas. 

A DeFiChain irá oferecer, dentro de sua plataforma, uma “cópia” das ações listadas na Nasdaq, como Apple, Tesla, Amazon e GameStop, em forma de tokens correspondentes, lastreados em criptomoedas.

Desta forma, o investidor poderá investir diretamente na blockchain sem a necessidade de um home broker (o aplicativo de negociação das corretoras), de acordo com a empresa. 

Entrando na Matrix, ou, melhor dizendo, na blockchain da DeFiChain, as ações passam a ser representadas na forma de tokens. 

Assim como as criptomoedas, essas ações tokenizadas poderão ser compradas de maneira fracionada. Os pagamentos serão processados com a moeda digital nativa da blockchain do DeFiChain, a chamada DFI. Entretanto, os desenvolvedores não descartam a possibilidade de utilizar outras criptos com a expansão das atividades. 

Vantagens para o investidor

Além de replicar o preço e o valor de mercado de uma ação, esses tokens podem ser negociados durante as 24h de todos os dias, ao contrário do que acontece nas bolsas, que têm horários de abertura e fechamento e não funcionam nos finais de semana e feriados.

“Isso abrirá a porta para muitas pessoas que estão frustradas com os mercados tradicionais”, disse Julian Hosp, cofundador da DeFiChain, em uma entrevista na quinta-feira (09). “Como comunidade, estamos entusiasmados com isso”.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Exile on Wall Street

O que faz as empresas falharem? Conheça as cinco “assassinas silenciosas” que podem impactar nos seus investimentos

O verdadeiro início da derrocada de uma empresa não pode ser devidamente noticiado pelas finanças ou pelas operações, mas somente dentro do núcleo de cultura corporativa

CAPTAÇÕES BILIONÁRIAS

Localiza, Unidas e Movida vão a mercado em busca de R$ 5 bilhões com emissões de debêntures

Locadoras de veículos se recuperaram rapidamente da crise da covid-19 e buscam recompor o caixa em meio à escassez de componentes no setor automotivo

De olho no dragão

Ministério da Economia eleva expectativa para inflação em 2021; veja qual a nova projeção

A pasta também atualizou as estimativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, utilizado para a correção do salário mínimo

MERCADOS HOJE

Com precatórios e queda do minério de ferro no radar, Ibovespa opera em queda de 1%; dólar avança

Em Brasília, os investidores acompanham de perto as discussões em torno do pagamento dos precatórios e repercutem mais uma queda expressiva do minério de ferro

Logística

MSC quer comprar controle da Log-In (LOGN3), que tem a gestora Alaska como maior acionista; papéis disparam

A proposta da MSC Mediterranean equivale a R$ 25 por ação LOGN3 e pode chegar a R$ 1,8 bilhão; Alaska e Tarpon estão entre os principais acionistas da empresa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies