Menu
2020-04-08T06:37:27-03:00
Estadão Conteúdo
socorro

Senado aprova projeto para criar linha de crédito a micro e pequenas empresas

Proposta, que dependerá de aval da Câmara, prevê a destinação de R$ 10,9 bilhões do Tesouro para operacionalizar o financiamento

8 de abril de 2020
6:32 - atualizado às 6:37
49747961791_34944231c1_k
29ª Sessão Deliberativa (remota) da 2ª Sessão Legislativa Ordinária da 56ª Legislatura. Ordem do dia. - Imagem: Waldemir Barreto/Agência Senado

O Senado aprovou projeto de lei para criar linha de crédito a micro e pequenas empresas durante a crise do novo coronavírus. A proposta, que dependerá de aval da Câmara, prevê a destinação de R$ 10,9 bilhões do Tesouro para operacionalizar o financiamento.

Na última sexta-feira, 3, o presidente Jair Bolsonaro assinou medida provisória com linha de crédito para financiar o pagamento da folha salarial de pequenas e médias empresas. A MP do governo destina R$ 35 bilhões para o programa.

O projeto do Senado garante crédito para microempresas e uso de recursos para ações que vão além dos salários, como capital de giro, bem como para beneficiar também cooperativas de crédito, estas não atendidas pela MP do governo.

A proposta exige das empresas a garantia de estabilidade dos funcionários por 60 dias após o recebimento da última parcela.

A linha de crédito aprovada pelos senadores prevê concessão de valor correspondente a metade da receita bruta anual da empresa em 2019. Para uma microempresa que faturou R$ 360 mil no ano, por exemplo, o financiamento seria de R$ 180 mil. O programa atende empresas com faturamento até R$ 4,8 milhões em um ano.

O custo do programa, prevê o projeto, será bancado com 80% de recursos do Tesouro e 20% dos bancos participantes, no caso, Banco do Brasil, Caixa, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia. A taxa de juros será de 3,75% ao ano com prazo de 36 meses para quitação e carência de seis meses para início do pagamento. De acordo com o texto, os bancos não terão remuneração pela atuação.

Inicialmente, o projeto protocolado pelo senador Jorginho Mello (PL-SC) beneficiava o microempreendedor individual. A pedido do governo, a relatora do texto, Kátia Abreu (PP-TO), retirou essa categoria, já beneficiada pelo auxílio emergencial de R$ 600.

A equipe econômica pediu também que as pequenas empresas e as cooperativas de crédito fossem excluídas. O Senado, por outro lado, manteve a linha de crédito a esses dois tipos de companhias.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Temos vacina!

Por unanimidade, Anvisa aprova uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca

Primeiros profissionais de saúde já foram vacinados em pronunciamento do governador de São Paulo, João Doria

Mais uma recomendação

Técnicos da Anvisa recomendam uso emergencial da vacina de Oxford/AstraZeneca

Mais cedo, área técnica havia defendido aprovação da CoronaVac

Ainda falta...

Anvisa devolve pedido de uso emergencial da Sputnik

Laboratório russo não apresentou os requisitos mínimos para que o pedido de uso emergencial pudesse ser analisado pela agência

Quase lá

Área técnica da Anvisa recomenda uso emergencial da CoronaVac

Diretores da agência analisam pedidos de uso de vacinas. No momento, a área técnica ainda faz a apresentação. Em seguida, a relatora do tema, diretora Meiruze Freitas lerá seu voto, com os outros quatro diretores da agência votando depois

coronavírus

Covid-19: Brasil tem 8,4 milhões de casos e 61 mil novos diagnósticos nas últimas 24h

Segundo ministério, 7.388.784 pacientes recuperaram-se da doença

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies