Menu
2020-07-12T14:29:38-03:00
decisão da justiça

Ex-secretário, vereador e empresário de Marília tornam-se réus por fraudes

De acordo com o Ministério Público Federal, o grupo é acusado de corrupção ativa e passiva, peculato, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

12 de julho de 2020
14:29
Justiça; CVM
Imagem: Shutterstock

O juiz Fernando David Fonseca Gonçalves, da 3ª Vara Federal de Marília, colocou no banco dos réus o ex-secretário de Saúde de Marília (SP) Helio Benetti, o empresário Fauzi Fakhouri Junior, o vereador Danilo Bigeschi (PSB) e outras seis pessoas denunciadas por fraudes em licitação para tablets. A denúncia é derivada da Operação Reboot, que contou com fases deflagradas em 2016 e em 2019.

De acordo com o Ministério Público Federal, o grupo é acusado de corrupção ativa e passiva, peculato, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. A Procuradoria aponta que Fakhouri Junior foi o mentor do esquema, que desviou recursos federais destinados à compra de aparelhos eletrônicos. As investigações apontaram que o empresário adquiriu 450 tabelts pelo preço unitário de R$ 950 - e os revendeu à Prefeitura de Marília por R$ 2.350 cada. O superfaturamento de 147,5% fez com que o município arcassem com R$ 1 milhão para a compra dos aparelhos.

Parte dos valores obtidos com a fraude na licitação teriam sido usados na campanha de Danilo Bieschi à Câmara dos Vereadores, em 2016. O parlamentar é cunhado de Fakhouri Junior e, segundo a Procuradoria, foi um dos responsáveis por arquitetar as fraudes na secretaria de Saúde, onde à época atuava como assessor especial. Teria sido ele o responsável pelos termos da licitação que resultaria na escolha da empresa de Fakhouri Junior para a compra dos tablets.

A Procuradoria afirmou que o coordenador administrativo da Secretaria de Saúde de Marília, Fernando Roberto Pastoreli, e o ex-secretário Helio Benetti também tiveram envolvimento no esquema.

As investigações detectaram que mesmo esquema vinculado a empresas de Fakhouri Junior ocorreu em contratos firmados com os municípios de Lins, no interior de São Paulo, Guarulhos e Osasco, na região metropolitana da capital, e em São Vicente, na Baixada Santista. Por não envolverem recursos federais, os casos foram enviados às varas estaduais locais para apuração.

COM A PALAVRA, A DEFESA:
A reportagem busca contato com a defesa dos citados. O espaço está aberto a manifestação

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

de olho nos balanços

Cosan, Itaúsa e BTG: os balanços que mexem com o mercado nesta terça-feira

Empresas do Ibovespa revelaram os resultados do segundo trimestre, período totalmente impactado pela pandemia

Insights Assimétricos

Como navegar e obter retorno no mundo de juros baixos e bolsa cara

Todo mundo quer múltiplo barato, mas ninguém quer esperar anos para que o crescimento, hoje já no preço, seja entregue ou sentir na pele uma grande correção nos preços como a vista em março. Qual a saída?

dados do coronavírus

Covid-19: Brasil tem 3,05 milhões de casos e 101,7 mil mortes

Desde o início da pandemia, o Brasil acumula 3.057.470 casos de covid-19, conforme balanço diário divulgado hoje (10) pelo Ministério da Saúde

reforma tributária

Alíquota de CBS pode ser revista se for exagerada, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a dizer que a alíquota de 12% prevista para a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) poderá ser revista caso se mostre “exagerada”

fatia de 6%

Azul vende participação de 6% na TAP para governo português por ao menos 10,5 milhões de euros

A venda da participação indireta de 6% teve valor total de, ao menos, 10,5 milhões de euros, com eliminação do direito de conversão dos bônus seniores detidos pela Azul de 90 milhões de euros com vencimento em 2026

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements