Menu
2020-09-25T10:16:45-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
mudança de foco

Vulcabras repassa Azaleia à Grendene por três anos

Empresa dá mais um passo para focar em calçados esportivos; Vulcabras já é responsável por Olympikus, Under Armour e Mizuno

25 de setembro de 2020
10:14 - atualizado às 10:16
66466346_2802706219745202_559543443060162560_o
Imagem: Divulgação / Azaleia Facebook

A Vulcabras aprovou o licenciamento da marca Azaleia para a Grendene, válido para produção e comercialização dos produtos no Brasil e em qualquer outro país do mundo, exceto Chile, Colômbia e Peru.

A parceria é válida por três anos, podendo ser renovada por um período adicional de mais três anos. A remuneração pelo uso da marca será paga pela Grendene com base num percentual da receita mensal dos produtos.

Com a mudança, a Vulcabras dá mais um passo para focar em calçados esportivos. Além de responsável pelas marcas Olympikus e Under Armour, a companhia anunciou no último dia 22 a união com a marca Mizuno - que então era da Alpargatas.

A venda foi celebrada por cerca de R$ 200 milhões e não inclui fábricas. Segundo o presidente da Vulcabras, Pedro Bartelle, em entrevista ao Estadão, o movimento trará, logo de imediato, aumento de faturamento para a fabricante de calçados gaúcha.

A Azaleia fatura cerca de R$ 100 milhões por ano, enquanto a Mizuno teve receita de R$ 444 milhões no ano passado. No ano, a Vulcabras acumula queda de cerca de 32% na bolsa.

O analista do BTG Pactual, Luiz Guanais, lembrou que a empresa teve um segundo trimestre "difícil devido à pandemia" e de que a perspectiva ainda é de uma recuperação gradual nos próximos meses.

No radar da empresa, estariam menores intenções de compra e aumento do desemprego, que podem pesar no curto prazo, segundo a análise - que vê como positiva as recentes mudanças da empresa.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies