Menu
2020-06-25T08:01:50-03:00
coronavírus

Volkswagen Caminhões abre novo turno para evitar contaminação

VWCO e Scania foram as primeiras montadoras a retomar atividades no fim de abril, após várias semanas de paralisações

25 de junho de 2020
8:01
Caminhão e-Delivery da Volkswagen em parceria com a Weg, entregue à Ambev
Caminhão e-Delivery da Volkswagen, atualmente em fase de testes para a Ambev - Imagem: Volkswagen

Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) vai iniciar, na segunda-feira, um segundo turno de trabalho na fábrica de Resende (RJ). A produção diária será ampliada de 85 para 110 a 120 unidades, mas o principal motivo da medida é reduzir o risco de contaminação da covid-19 entre os funcionários do complexo, que inclui vários fabricantes de autopeças.

A empresa informa que metade dos quase mil funcionários que estão com contratos suspensos voltará ao trabalho. Outros mil trabalhadores já tinha retornado à fábrica no fim de abril. O complexo emprega, ao todo, cerca de 4,5 mil pessoas.

VWCO e Scania foram as primeiras montadoras a retomar atividades no fim de abril, após várias semanas de paralisações que envolveram quase todas as fabricantes de veículos do País.

Inicialmente, a empresa estava produzindo apenas 45 caminhões ao dia, volume que vem aumentando desde então em razão de novas encomendas. Antes da pandemia a fábrica produzia 180 veículos ao dia, em um único turno, mas com equipe maior, informa Jovelino Juffo, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense.

Segundo ele, a VWCO daria conta da produção de 120 veículos por dia um único turno, mas preferiu reabrir o segundo para garantir as medidas de distanciamento entre os trabalhadores.

"A empresa tem feito um trabalho muito bom nessa retomada, como a distribuição de nove máscaras para cada funcionário, álcool gel, higienização das instalações e o aumento de 80 para 160 da frota de ônibus que transporta os funcionários", afirma Juffo.

Em 2019, foram vendidos no País um total de 101,3 mil caminhões, alta de 33% ante o ano anterior. Para este ano, o setor trabalhava com nova alta de 18%, para cerca de 120 mil unidades,

Com a crise provocada pela pandemia do coronavírus, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) reviu a projeção para 65 mil unidades, queda de 36% ante 2019. Empresas do setor, como a Scania, começam a avaliar medidas para lidar com o excedente de pessoal.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

entrevista

‘Brasil virou pária do investimento internacional’, diz Persio Arida

Um dos signatários da carta de ex-ministros da Fazenda e do BC em defesa de uma retomada econômica “verde”, ele observa que o presidente tem feito uma “política ambiental horrenda” e na contramão do mundo

ao menos sete parlamentares

Verba de gabinete é usada para lucrar na internet

Deputados da base governista recorreram a empresas contratadas com dinheiro da cota parlamentar e assessores pagos pela Casa para gerir canais monetizados no YouTube

entrevista

‘Caminhamos para o precipício ambiental’, diz CEO da Suzano

Walter Schalka diz que a sustentabilidade tem de unir empresas e governo para que o Brasil possa virar uma potência ambiental no mundo

decisão da justiça

Ex-secretário, vereador e empresário de Marília tornam-se réus por fraudes

De acordo com o Ministério Público Federal, o grupo é acusado de corrupção ativa e passiva, peculato, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

caso queiroz

Citados em ‘rachadinha’ continuam com cargos

Ex-assessores fazem parte de uma lista de 69 pessoas que trabalharam com Flávio Bolsonaro e tiveram sigilo bancário e fiscal quebrados por decisão da Justiça em abril do ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements