Menu
2020-06-30T13:30:05-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho na varejista

Via Varejo levanta R$ 4,45 bilhões em oferta de ações

Ação foi precificada a R$ 15; recursos serão usados em investimentos em tecnologia e logística, inovação e desenvolvimento

16 de junho de 2020
6:10 - atualizado às 13:30
Fachada da loja Casas Bahia, rede pertencente à Via Varejo
Casas Bahia é uma das redes de lojas operadas pela Via Varejo - Imagem: Shutterstock

A Via Varejo anunciou nesta segunda-feira (15) que definiu o preço da ação em nova oferta a R$ 15,00, emitindo 297 milhões de novos papéis — com isso, a empresa levantou R$ 4,45 bilhões.

A operação, uma das poucas registradas desde o início da crise do novo coronavírus, foi realizada apenas para investidores qualificados.

Inicialmente, a expectativa era que a companhia movimentasse entre R$ 2,9 bilhões e R$ 4 bilhões, considerando a cotação do dia em que a oferta foi anunciada, a R$ 13,48. Nesta segunda, os papéis da Via Varejo (VVA3) valiam R$ 15,62, depois de subirem 6,7% no dia.

Segundo a empresa, foi determinado que, do preço por ação, R$ 7,50 será destinado à conta de capital social da companhia, totalizando a quantia de R$ 2,2 bilhões em aumento do capital. A outra metade será destinada à formação de reserva de capital.

O novo capital social da Via Varejo passa a ser de R$5.131.712.284,78, dividido em 1.597.016.941 ações ordinárias, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal. As ações emitidas na oferta passam a ser negociadas na B3 em 17 de junho.

Segundo a empresa, os recursos da oferta serão usados em investimentos em tecnologia e logística, inovação e desenvolvimento. Otimização da estrutura de capital da companhia, incluindo reforço de capital de giro, também está entre os destinos do dinheiro.

A oferta foi coordenada por Bradesco BBI, BTG Pactual, BB Investimento, Bank of America Merrill Lynch, Santander Brasil, Safra e XP Investimentos.

A Via Varejo registrou lucro líquido de R$ 13 milhões no primeiro trimestre deste ano, revertendo o prejuízo de R$ 50 milhões no mesmo período de 2019, após um período de reestruturação da empresa.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mercado de capitais

Caixa terá “foco total” no IPO de cinco subsidiárias na B3, incluindo o banco digital

Banco público quer levar para a bolsa as unidades de seguros, cartões, fundos, loterias e o recém criado banco digital, segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães

Prévias

XP Inc. atinge R$ 660 bilhões em ativos sob custódia e 2,8 milhões de clientes em 2020

Ativos sob custódia cresceram 61% em relação a 2019, com captação líquida de R$ 198 milhões e valorização de mercado de R$ 53 milhões

Exile on Wall Street

Vendo Monza 2.0, única dona

Era descolado ter um Monza quando ele chegou ao Brasil. Mas seria ridículo ter um Monza ainda hoje. E tudo bem. O Monza continua com sua marca na história do mercado automobilístico brasileiro.

PODCAST TELA AZUL

Tela Azul #16: A profissão do Futuro e o que procuramos para investir numa empresa de educação

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Felipe Paiva, fundador da Let’s Code.

Mercados hoje

Falas de Guedes e Bolsonaro sobre privatizações e reformas animam e bolsa sobe forte; dólar recua quase 2%

Em evento do Credit Suisse, Bolsonaro e Guedes reafirmaram o compromisso com o andamento das reformas e das privatizações, o que apaga a perspectiva negativa com a saída de Wilson Ferreira Junior da Eletrobras.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies