Menu
2020-07-22T13:35:50-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
recomendação em meio à crise

Via Varejo ou Magazine Luiza? Veja a ação favorita dos analistas da XP

Corretora atualiza projeções com base no desempenho das empresas nas últimas semanas; varejo online tem crescimento expressivo desde o início da pandemia e concentração de mercado deve aumentar

22 de julho de 2020
11:08 - atualizado às 13:35
Fachada da loja Casas Bahia, rede pertencente à Via Varejo
Casas Bahia é uma das redes de lojas operadas pela Via Varejo - Imagem: Shutterstock

Via Varejo ou Magazine Luiza? Análise da XP Investimentos trocou a recomendação de compra da ação da segunda pela primeira, em meio à crise do coronavírus, que impulsionou o e-commerce e premiou empresas mais preparadas para as operações.

A avaliação é que os papéis do Magazine Luiza subiram muito — 116% desde meados de março, quando a corretora divulgou a última análise — e que não existe justificativa para uma valorização ainda maior, ao menos por ora.

No entanto, o analista Pedro Fagundes diz que é provável que a empresa continue ganhando participação de mercado nos próximos anos, apoiada em vantagens competitivas como o desenvolvimento de tecnologia e serviços de construção e recursos de pagamento.

O preço-alvo em 12 meses para o Magalu foi definido pelo grupo em R$ 78 — o que representa um desconto de 7,4% em relação ao valor de ontem. Enquanto que o potencial das ações no mesmo período para a Via Varejo foi estabelecido em R$ 28 — seria uma alta de 35,8%.

Para o analista, a Via Varejo reduziu lacunas de desenvolvimento de tecnologia, logística e infraestrutura multicanal que ainda não estariam precificadas. Mas ele reconhece que empresa tem um "longo caminho" para alcançar o nível de canal digital dos principais concorrentes.

"As preocupações dos investidores em relação à liquidez de curto prazo da companhia foram endereçadas, com a empresa tendo levantado cerca de R$ 4,4 bilhões em uma recente oferta subsequente", diz o analista da XP.

A corretora ainda lembra que as vendas totais da empresa foram mantidas relativamente estáveis no segundo trimestre, apesar do fechamento das lojas.

A Via Varejo entrou em uma polêmica nesta semana com a divulgação de resultados não auditados via Twitter — um erro da área de comunicação da empresa, segundo comunicado ao mercado. Mas a CVM investiga o caso, que fez os papéis dispararem 7% em um dia.

Itaú BBA fez a mesma troca

Trocar a ação do Magazine Luiza pela ação da Via Varejo não é uma recomendação nova do mercado financeiro. No mês passado, o Itaú BBA fez a mesma alteração ao revisar o seu "top 5".

Para os analistas do banco, a Via Varejo tem um melhor perfil no momento por causa da exposição à retomada do consumo doméstico e "notável" agilidade no processo de transformação digital. Segundo o grupo, a empresa passa por um momento positivo e tem valuation descontado em comparação aos pares.

O setor de e-commerce continua como um dos preferidos do Itaú BBA em um cenário de pandemia — o que se traduz num "alto potencial de crescimento" daqui para frente.

XP tem avaliação semelhante: prevê um crescimento médio anual de 21% entre até 2025 para o mercado de varejo online do país – atingindo cerca de 16% do total de vendas do varejo em 2023.

"Esperamos que a receita online (GMV) aumente 2,5x no período, atingindo R$ 322 bilhões em 2025", diz Fagundes, que fala em maior concentração de mercado.

A participação de mercado eletrônico combinada dos quatro principais players atualmente é de cerca de 80% [era 68% em 2018]. "Mas a expectativa é que a participação para esse mesmo grupo chegue a 90% em 2025", diz a XP.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Pé no freio

Incertezas políticas e fiscais mantêm estrangeiros cautelosos com o Brasil

Após meses de fuga do capital externo do País, os últimos meses de 2020 mostraram o começo do retorno dos investidores de portfólio, mas o ritmo ainda é insuficiente para reverter a forte saída de dólares do Brasil

Crescimento

Vale (VALE3) prevê investir US$ 2,7 bilhões na região norte até 2024

Companhia pretende ainda investir US$ 5,8 bilhões em 2021, dos quais US$ 1 bilhão serão apenas para expansão

ESTRADA DO FUTURO

Grafeno, urânio e lítio… cuidado com a obsessão de enriquecer com a próxima tecnologia do futuro

O boom de empresas de tecnologia alimenta uma esperança quase ingênua de enriquecer “horrores” descobrindo como esses materiais moldarão o nosso futuro. Vou ser totalmente transparente com você: não gosto da ideia.

Tamanho menor

Zara fecha sete lojas no Brasil em plano de reorganização

O plano da empresa foi traçado em 2020 e, no Brasil, começou ainda no ano passado, com o fechamento de lojas nas cidades de Joinville (SC) e São José dos Campos (SP)

Seu Dinheiro no sábado

A única coisa que Bill Gates não pode comprar

Troca de presidente nos Estados Unidos, início da vacinação para covid no Brasil e comunicado do Banco Central com vocabulário novo. A semana que se encerra trouxe novidades importantes. É bem verdade que também teve notícia velha, daquelas que encontramos todos os dias: disputas políticas entre Jair Bolsonaro e João Dória, caos nos hospitais públicos […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies