Menu
2020-06-02T06:51:26-03:00
mudança histórica

Opportunity vai transformar Hotel Glória em residências de luxo

Inaugurado em 1922 para ser o primeiro cinco estrelas do Brasil, o Glória, em quase um século de existência, foi prestigiado por 19 chefes de Estado, além de artistas e políticos do mundo todo

2 de junho de 2020
6:51
Hotel Glória
Brasil, Rio de Janeiro, RJ. 01/09/2010. Vista da fachada do Hotel da Glória, no bairro da Glória, na zona sul do Rio de Janeiro, durante sua reforma após ser comprado pelo empresário Eike Batista. - - Imagem: Crédito:TASSO MARCELO/ESTADÃO CONTEÚDO/AE

Ícone dos charmosos anos 1920 carioca e também da derrocada do Estado do Rio de Janeiro na última década, o Hotel Glória, na zona sul carioca, tem novo dono. O Opportunity Fundo de Investimento Imobiliário informou neste domingo ter fechado acordo para comprar o imóvel do fundo árabe Mubadala, que há mais de seis meses buscava investidores para o prédio abandonado.

Nas mãos do Opportunity, o Glória vai ser transformado em edifício residencial. Os primeiros desenhos do projeto vão ser entregues à prefeitura e órgãos de patrimônio nos próximos meses. "Há muito a ser feito ainda. Queremos preservar a memória do hotel que completará 100 anos de construção em breve. Vamos trabalhar para resgatar um patrimônio muito importante da cidade", afirmou Jomar Monnerat de Carvalho, gestor do fundo, em resposta ao Estadão/Broadcast. O projeto deve contar com a parceria da incorporadora e construtora SIG Engenharia.

Inaugurado em 1922 para ser o primeiro cinco estrelas do Brasil, o Glória, em quase um século de existência, foi prestigiado por 19 chefes de Estado, além de artistas e políticos do mundo todo. O prédio entrou para a história do carnaval do Rio por sediar um tradicional desfile de fantasias por 34 anos consecutivos, tendo Clovis Bornay como o eterno "hors concours" dos eventos.

Em 2008, foi adquirido por R$ 80 milhões pelo empresário Eike Batista, com a promessa de reformar o prédio e devolver o glamour do hotel, assim como de outros pontos marcantes da cidade. Mas, com a crise do Estado e escândalos de corrupção envolvendo o empresário e o ex-governador Sérgio Cabral, as obras de restauração foram paralisadas em 2013.

Apenas após três anos, em 2016, o prédio foi adquirido pelo Mubadala, como parte da reestruturação de uma dívida de US$ 2 bilhões do empresário com o fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos. O Hotel Glória hoje está abandonado, cercado por redes de contenção e tapumes, num dos pontos mais nobres da capital carioca. Procurado, por meio de sua assessoria de imprensa, o grupo árabe não se manifestou sobre a negociação.

"A Glória (bairro onde está localizado o hotel) deve ser a bola da vez no desenvolvimento imobiliário carioca. Com certeza os órgãos de urbanismo e patrimônio vão ver este projeto com uma luz, e, se respeitado o patrimônio histórico, vão autorizar a transformação para seu uso residencial", avaliou Cláudio Castro, diretor da Sérgio Castro Imóveis.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Novo nome no MEC

Bolsonaro anuncia pastor Milton Ribeiro como novo ministro da Educação

Decreto presidencial nomeou professor para o cargo nesta sexta-feira

Investimento para o cliente

Corretora Warren recebe aporte de R$ 120 milhões para investimento em plataformas digitais

Fintech visa multiplicar por cinco patrimônio sob gestão até o fim de 2021 e aumentar alcance da marca: ‘Nossa meta é seguir investindo em tecnologia’

Chegou lá

E o Ibovespa, quem diria, voltou aos 100 mil pontos. O que isso significa?

Depois de mais de quatro meses, o Ibovespa finalmente reconquistou o patamar dos três dígitos. Algumas boas notícias da economia doméstica ajudam a explicar o otimismo na semana, mas há mais fatores que influenciaram esse movimento

Crise se afastando?

Barômetros globais sinalizam retomada gradual da economia mundial, diz FGV

Melhoras ainda estão condicionadas a um ‘grau elevado’ de incerteza diante da pandemia, pondera pesquisador

desconfiança justa?

Amazon pede que funcionários excluam TikTok por questões de ‘segurança’

Segundo uma captura de tela obtida pelo The New York Times, a empresa de e-commerce enviou um e-mail solicitando a exclusão do app

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements