Menu
2020-06-18T13:52:42-03:00
Estadão Conteúdo
operação sem limites II

Lava Jato 71 mira trading da Petrobras e operador financeiro ligado a Lobão

PF identificou os titulares de contas no exterior em nome de empresas offshores, por meio das quais, profissionais do mercado paralelo de câmbio realizavam transferências bancárias internacionais para a realização de ‘dólar-cabo’

18 de junho de 2020
13:52
Prédio da Petrobras no Rio de Janeiro
Imagem: Shutterstock

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta, 18, a Operação Sem Limites II, fase 71 da Lava Jato, para apurar crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro envolvendo a área de Trading da Petrobras, que cuida da compra e venda de petróleo, óleos combustíveis e derivados.

Entre os suspeitos de participação nos crimes estadão um operador financeiro ligado ao ex-senador e ex-Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o irmão dele e quatro doleiros.

Cerca de 40 policiais federais cumpriram 14 ordens judiciais no Rio de Janeiro - 12 mandados de busca e apreensão e dois ofícios para obtenção de dados telemáticos. Foram apreendidos R$ 84 mil, 11 mil dólares e 9 mil euros, em espécie, além de obras de arte, mídias, pendrives, computadores e celulares.

As ordens foram expedidas pela 13ª Vara Federal da Justiça Federal em Curitiba, que determinou ainda o bloqueio de até R$ 17 milhões dos envolvidos pelo prejuízo identificado até o momento.

Segundo a PF, após análise de materiais apreendidos na 57ª Fase da Lava Jato, a 'Sem Limites' - deflagrada em dezembro de 2018 - , e do resultado de pedidos de cooperação jurídica internacional, 'foram identificados novos indivíduos que auxiliavam e integravam a organização criminosa estruturada no sentido de lesar a Petrobras, especialmente em sua área de trading, onde são realizados negócios de compra e venda de petróleo, óleos combustíveis e derivados, dentre outros, junto a empresas estrangeiras e que são destinadas às atividades comerciais da estatal'.

"As investigações puderam identificar vários doleiros que atuavam até 2018 no mercado paralelo de câmbio e auxiliavam na remessa de valores de propina que eram pagos pelos intermediários no exterior para agentes públicos corruptos no Brasil", informou a corporação.

A PF identificou os titulares de contas no exterior em nome de empresas offshores, por meio das quais, profissionais do mercado paralelo de câmbio realizavam transferências bancárias internacionais para a realização de 'dólar-cabo'.

"A suspeita é de que parte dos valores de propina tinham como objetivo o pagamento de intermediários políticos para a manutenção de certos empregados públicos em funções gerenciais estratégicas da Petrobrás, como a de Gerência Executiva de Marketing e Comercialização, onde se realizavam as operações de trading", informou a PF em nota.

De acordo com o Ministério Público Federal, o operador financeiro ligado a Lobão intercedia em nome dele para que funcionários apadrinhados fossem alçados e mantidos nesses cargos estratégicos para o desenvolvimento dos esquemas de corrupção e propina na área comercial da estatal, especialmente no comércio externo de asfalto e de produtos escuros (como fuel oil, bunker e determinados tipos de refinery feedstocks).

As apurações caminham para precisar o montante total de recursos ilícitos recebidos pelo operador financeiro investigado, já havendo indícios, segundo o MPF, de que as cifras alcançariam a casa dos milhões de dólares.

Além do operador financeiro ligado ao ex-ministro, também são alvos das medidas de busca e apreensão seu irmão, que o auxiliaria no recebimento das vantagens indevidas, e quatro doleiros responsáveis pela internalização de ao menos US$ 1,9 milhão em recursos ilícitos no Brasil por meio de operações financeiras ocorridas entre outubro de 2011 e agosto de 2016. Dois deles teriam sido utilizados pelo próprio operador financeiro e outros dois teriam agido para um ex-trader de produtos escuros da Petrobras à época lotado no escritório de Houston, no Texas, que hoje colabora com as investigações.

Com a palavra, Edison Lobão

Até a publicação desta matéria, a reportagem não obteve contato com a defesa do ex-ministro Edison Lobão. O espaço permanece aberto a manifestações

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

decisão judicial

Justiça ordena religação de internet do governo do RJ; Oi alega inadimplência

Empresa acusa o governo do Estado de ter uma dívida com a empresa desde 2017 – hoje ela está em R$ 300 milhões

promessa de ipo

Locaweb compra ConnectPlug por R$ 18 milhões e avança em segmento de alimentação

Empresa comprada começou em food services mas hoje também atende outros segmentos, com foco em pequenas e médias empresas

seu dinheiro na sua noite

Mais fácil falar que fazer

Hoje foi um daqueles dias em que as falas dos detentores do poder no cenário doméstico até repercutiram no mercado, mas foram sobrepostas pelos fatos e pelo que aconteceu no exterior. O mercado local começou o dia animado com as apresentações do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, no badalado evento […]

perspectivas

Para Verde e SPX, auxílio emergencial por mais três meses não é preocupante

Luis Stuhlberger e Rogério Xavier dizem que a medida pode ser necessária, caso a vacinação demore demais; ambos veem 2021 positivo para os mercados

FECHAMENTO

Aceno liberal do governo não convence e bolsa fecha o dia no vermelho; na contramão, dólar cai mais de 3%

Em evento do Credit Suisse, Bolsonaro e Guedes reafirmaram o compromisso com o andamento das reformas e das privatizações, mas o mercado espera ações mais concretas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies