Menu
2020-04-12T10:44:33-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Perda total

GP Investimentos tem perda de US$ 21 milhões com recuperação judicial da FoodFirst

Subsidiária da gestora havia investido US$ 100 milhões na rede de restaurantes norte-americana, que precisou fechar unidades com pandemia de coronavírus

12 de abril de 2020
10:34 - atualizado às 10:44
Bravo Brio, da FoodFirst
Imagem: Divulgação

A pandemia de coronavírus começa a provocar estragos nas gestoras de fundos que compram participações em empresas (private equity). A GP Investimentos anunciou que vai marcar a zero o investimento que mantém na norte-americana FoodFirst.

A empresa opera as marcas de restaurante BRAVO! Cucina Italiana e BRIO Tuscan Grille, que entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos.

O investimento na Foodfirst é detido por meio da subsidiária Spice e era avaliado em US$ 21 milhões (R$ 107 milhões) no balanço da GP, que possui recibos de ações (BDRs) listados na B3. Os papéis acumulam perda de 44,70% em 2020.

A Spice comprou o controle da rede de restaurantes em 2018 por um valor total aproximado de US$ 100 milhões.

A rede precisou fechar grande parte das unidades nas últimas semanas como consequência da disseminação da pandemia de coronavírus.

Apenas 21 restaurantes Bravo e Brio permaneceram abertos, “o que causou uma queda relevante nas vendas em toda a rede, interrompendo assim os esforços relativos à recuperação da companhia”, informou a GP, em comunicado.

Criada pelo bilionário Jorge Paulo Lemann, a GP Investimentos é uma das pioneiras no país entre as gestoras de fundos de “private equity”, que compram participações em empresas com o objetivo de vendê-las com lucro no futuro.

Lemann e seus sócios Marcel Telles e Beto Sicupira decidiram deixar a GP para se concentrar na cervejaria Ambev. Desde então, a gestora é comandada por Antonio Bonchristiano e Fersen Lambranho.

Nos últimos anos, a GP colecionou outros fracassos, como os investimentos na empresa de petróleo San Antonio e na rede de implantes dentários Imbra.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Tamanho menor

Zara fecha sete lojas no Brasil em plano de reorganização

O plano da empresa foi traçado em 2020 e, no Brasil, começou ainda no ano passado, com o fechamento de lojas nas cidades de Joinville (SC) e São José dos Campos (SP)

Seu Dinheiro no sábado

A única coisa que Bill Gates não pode comprar

Troca de presidente nos Estados Unidos, início da vacinação para covid no Brasil e comunicado do Banco Central com vocabulário novo. A semana que se encerra trouxe novidades importantes. É bem verdade que também teve notícia velha, daquelas que encontramos todos os dias: disputas políticas entre Jair Bolsonaro e João Dória, caos nos hospitais públicos […]

Sem dieta

McDonald’s tem planos de abrir 50 novos restaurantes na América Latina, 80% deles no Brasil

Rede pretende investir até US$ 130 milhões (R$ 690 milhões) na região e também quer reforçar o drive-thru, delivery e o aplicativo

Bilionário imunizado

Adivinha quem já foi vacinado? Bill Gates compartilha foto e diz como se sente após tomar 1ª dose

Fundador da Microsoft compartilhou foto do momento em que era vacinado e enalteceu o trabalho dos cientistas, voluntários e profissionais da saúde que trabalham no combate à pandemia

Início de cobertura

Após queda de 56%, XP revela o que espera das ações da dona da rede de restaurantes Frango Assado e Pizza Hut no Brasil

Os analistas da corretora iniciaram a cobertura das ações da IMC com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 4,00, o que indica um potencial de alta de 8%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies