Menu
2020-04-12T10:44:33-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Perda total

GP Investimentos tem perda de US$ 21 milhões com recuperação judicial da FoodFirst

Subsidiária da gestora havia investido US$ 100 milhões na rede de restaurantes norte-americana, que precisou fechar unidades com pandemia de coronavírus

12 de abril de 2020
10:34 - atualizado às 10:44
Bravo Brio, da FoodFirst
Imagem: Divulgação

A pandemia de coronavírus começa a provocar estragos nas gestoras de fundos que compram participações em empresas (private equity). A GP Investimentos anunciou que vai marcar a zero o investimento que mantém na norte-americana FoodFirst.

A empresa opera as marcas de restaurante BRAVO! Cucina Italiana e BRIO Tuscan Grille, que entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos.

O investimento na Foodfirst é detido por meio da subsidiária Spice e era avaliado em US$ 21 milhões (R$ 107 milhões) no balanço da GP, que possui recibos de ações (BDRs) listados na B3. Os papéis acumulam perda de 44,70% em 2020.

A Spice comprou o controle da rede de restaurantes em 2018 por um valor total aproximado de US$ 100 milhões.

A rede precisou fechar grande parte das unidades nas últimas semanas como consequência da disseminação da pandemia de coronavírus.

Apenas 21 restaurantes Bravo e Brio permaneceram abertos, “o que causou uma queda relevante nas vendas em toda a rede, interrompendo assim os esforços relativos à recuperação da companhia”, informou a GP, em comunicado.

Criada pelo bilionário Jorge Paulo Lemann, a GP Investimentos é uma das pioneiras no país entre as gestoras de fundos de “private equity”, que compram participações em empresas com o objetivo de vendê-las com lucro no futuro.

Lemann e seus sócios Marcel Telles e Beto Sicupira decidiram deixar a GP para se concentrar na cervejaria Ambev. Desde então, a gestora é comandada por Antonio Bonchristiano e Fersen Lambranho.

Nos últimos anos, a GP colecionou outros fracassos, como os investimentos na empresa de petróleo San Antonio e na rede de implantes dentários Imbra.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Indústria em expansão

Brasil vive ‘boom’ de gestoras de recursos

De janeiro a março, Anbima registrou 27 novas gestoras

Pandemia

Governo proíbe entrada de estrangeiros em voos provenientes da Índia

Restrição vale também para Reino Unido, Irlanda do Norte e África do Sul

Imposto de renda

Cerca de 12 milhões de pessoas ainda não enviaram declaração

Balanço foi divulgado pela Receita Federal na sexta-feira; prazo termina em 31 de maio

COLUNA DO JOJO

Como Jojo Wachsmann investiria o prêmio de R$ 1,5 milhão de Juliette, campeã do BBB21

CIO da Vitreo conta como alocaria uma carteira diversificada, segura e rentável com o prêmio do maior reality show do Brasil

Vai e vém

Demanda por crédito no Brasil cai 11% em abril, mas sobe 231% em 12 meses

Oscilação do índice medido pela Neurotech é atribuída a sazonalidade

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies