2020-01-14T18:41:50-03:00
Estadão Conteúdo
Após anúncio de paralisação

FUP reivindica garantias trabalhistas dos funcionários da Fafen-PR, da Petrobras

Petrobras anunciou nesta terça-feira que vai hibernar a unidade produtiva com o argumento de que o negócio é insustentável

14 de janeiro de 2020
18:41
Petrobras
Imagem: shutterstock

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) vai reivindicar à diretoria da Petrobras as garantias trabalhistas dos empregados da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen-PR), instalada no Paraná, como informou em nota oficial. A estatal anunciou nesta terça-feira, 14, ao mercado que vai hibernar a unidade produtiva com o argumento de que o negócio é insustentável.

No início da tarde, o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) antecipou que a suspensão das atividades da Fafen-PR vai provocar o desligamento de 396 empregados, além dos 600 terceirizados. "No nosso acordo coletivo, temos uma cláusula que proíbe a demissão em massa antes da negociação com o sindicato e que seja concluído um plano de demissão. O que a empresa apresentou foi unilateral", afirmou o diretor do Sindiquímica Paraná, Caio Rocha.

A Petrobras, em comunicado à imprensa, informou que os empregados "receberão, além das verbas rescisórias legais, um pacote adicional composto de valor monetário entre R$ 50 mil e R$ 200 mil, proporcional à remuneração e ao tempo trabalhado; manutenção de plano médico e odontológico, benefício farmácia e auxílio educacional por até 24 meses, além de uma assessoria especializada de recolocação profissional."

Ao Broadcast, a empresa disse também que os trabalhadores desligados não serão integrados à companhia. Ela alega que a fábrica de fertilizantes tem "autonomia estatutária e personalidade jurídica distintas, patrimônio e gestão próprios, tratando-se, portanto, de empresa distinta e autônoma da Petrobras. Ou seja, os empregados da Ansa (Araucária Nitrogenados) não são empregados da Petrobras".

Ao criticar o movimento da estatal de se desligar do negócio de fertilizantes, a FUP alegou ainda que o fechamento da Fafen-PR vai contribuir para aumentar a dependência da agroindústria brasileira da importação de fertilizantes.

"As Fafens serviam como lastro para agroindústria escolher onde comprar. Agora, ela vai ficar à mercê das altas de preços no mercado internacional, da variação do dólar e do aumento dos preços dos fertilizantes no mercado interno, já que estes não estarão mais sob responsabilidade da Petrobrás", afirma Deyvid Bacelar, diretor da federação.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O Ibovespa na contramão do mundo, o impulso das commodities, a pressão dos servidores públicos e tudo o que agitou os mercados nesta terça

Nada como uma perspectiva de aperto monetário para segurar o desempenho dos ativos de risco. E nesta terça-feira (18), os mercados financeiros americanos voltaram do feriado colocando nos preços a expectativa dos investidores com a alta dos juros e a redução dos estímulos monetários nos Estados Unidos. O resultado foi uma disparada nos juros futuros, […]

Fechamento Hoje

Ibovespa sobrevive a mar vermelho no exterior e consegue fechar em alta; avanço nos retornos dos Treasuries pesa nos juros e no câmbio

Principal índice da B3 lutou para se manter no lado positivo ao longo de todo o pregão, com ajuda das commodities; dólar, porém, também fechou em alta