Menu
2020-09-25T06:44:00-03:00
Estadão Conteúdo
de olho na inovação

Facebook cria no Brasil programa de aceleração de startups focado em agricultura

Gigante de tecnologia selecionará dez empresas do País com serviços digitais ou tecnologias que beneficiem pequenos e médios produtores

25 de setembro de 2020
6:43 - atualizado às 6:44
Logo do Facebook
Facebook - Imagem: Shutterstock

O Facebook dá início nesta quinta-feira, 24, no Brasil, a seu primeiro programa de aceleração de startups com soluções para agricultura da América Latina, o Campo Digital. Em parceria com a aceleradora Baita, baseada na Unicamp, em Campinas (SP), a gigante de tecnologia selecionará dez empresas do País com serviços digitais ou tecnologias que beneficiem pequenos e médios produtores.

"Queremos usar nossa experiência em tecnologia para fomentar o ecossistema de inovação no setor. Existem diversas soluções no mercado que atendem às grandes propriedades, mas não são acessíveis aos pequenos", disse ao Broadcast Agro a gerente de Políticas Públicas do Facebook, Andréa Leal. A depender dos resultados da iniciativa, antecipa ela, a empresa poderá "criar outras iniciativas não apenas no Brasil, como em outros países da América Latina".

O Campo Digital é o primeiro programa do Facebook a fomentar a inovação no setor agrícola na região. A empresa já implementava ações de desenvolvimento de comunidades locais e apoio a pequenos negócios mas, durante a pandemia, observou maior procura de pequenos agricultores por suas soluções.

"Com o fechamento de restaurantes e a interrupção das feiras livres, percebemos um crescimento do uso das nossas ferramentas por pequenos produtores, que buscavam chegar ao consumidor final. Vimos aí uma oportunidade de contribuir para a digitalização de um setor que emprega e alimenta a população", conta a executiva, lembrando que pequenas propriedades geram 67% dos empregos no setor agropecuário e produzem 70% dos alimentos consumidos no País, segundo o Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre esta quinta-feira e 18 de outubro, serão selecionadas startups em fase operacional que tenham soluções para qualquer elo da cadeia de produção, do setor de insumos ao consumidor final. Elas deverão contribuir para ganhos de produtividade, eficiência e sustentabilidade.

As dez finalistas, a serem anunciadas em novembro, passarão por um programa de aceleração online e mentoria da Baita por quatro meses, em que terão acesso a palestras, workshops e networking com profissionais do agronegócio, assim como receberão orientação para definir metas e avaliar seu modelo de negócios.

Equipes do Facebook, de startups e empresas que já trabalham com pequenos e médios agricultores também participarão do processo de mentoria. Além disso, especialistas da Esalq e da Unicamp, universidades reconhecidas pela formação de especialistas no setor, e da Embrapa Informática Agropecuária e do Instituto de Pesquisas Eldorado, que reúnem conhecimento sobre tecnologias digitais, contribuirão com capacitações dos empreendedores.

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) será outro apoiador, a fim de garantir que as soluções atendam a problemas concretos de agricultores de diversas regiões.

Ao fim da iniciativa, em abril do ano que vem, os fundadores das startups apresentarão seus modelos de negócio a um painel de especialistas e de investidores, entre eles o BID Lab (laboratório de inovação do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID), a SP Ventures, o Yield Lab e outros fundos focados em agtechs.

"Nossa meta é que, no Demoday (evento de conclusão do programa), as startups estejam prontas para captar investimentos", diz a gerente de Políticas Públicas do Facebook.

As startups interessadas devem se inscrever pelo site campodigital.ac até 18 de outubro.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies