Menu
2020-05-07T07:46:02-03:00
Estadão Conteúdo
entrevista

‘Estão apagando fogo com gasolina’, diz Luiza Trajano

Presidente do conselho de administração do Magazine Luiza, vê com preocupação a falta de alinhamento entre Estados e governo federal

7 de maio de 2020
7:45 - atualizado às 7:46
Luiza Helena Trajano
Brasil, São Paulo, SP, 21/05/2018. Retrato de Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho das lojas Magazine Luiza durante entrevista em São Paulo. - Imagem: NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDO/AE

A empresária Luiza Trajano, presidente do conselho de administração do Magazine Luiza, vê com preocupação a falta de alinhamento entre Estados e governo federal e acredita que falta união no momento crítico que o Brasil enfrenta por causa da pandemia do coronavírus.

"(O País) está pegando fogo, mas em vez de jogar água, estão jogando gasolina com essas discussões todas", disse a empresária, que participou na quarta-feira, 6, da série de entrevistas ao vivo Economia na Quarentena, do jornal O Estado de S. Paulo.

Para Luiza, é preciso dar previsibilidade para empresas retomarem atividades e para a população fazer o isolamento de forma adequada. Segundo ela, em meio à crise política, o governo não está comunicando as ações para amenizar os efeitos da covid-19 de forma clara.

Leia, a seguir, os principais trechos da entrevista:

Estamos há 50 dias em quarentena. A economia aguenta mais tempo de fechamento parcial?

Não se tem agora como se discutir se o (isolamento) horizontal ou vertical é o melhor caminho. O que tem de se discutir é a previsibilidade dessa retomada, até para as pessoas respeitarem o acordado. Sem regras claras, as pessoas não obedecem o isolamento, não usam máscaras. Falei com o pessoal do BNDES para perguntar por que o dinheiro não está chegando às pequenas empresas. Tem de se tomar decisão. Porque senão as empresas não vão conseguir segurar empregos.

Vimos muitas declarações antagônicas. Isso atrapalha muito?

Uma das coisas que mais me deixaram triste nos últimos dias foi a sensação de ver que (o País) está pegando fogo, mas, em vez de jogar água, estão jogando gasolina com essas discussões todas. Tem de unir todo mundo, independentemente de partido. Não sinto que há uma grande união. Os governadores agora têm de tomar medidas (claras).

Quais medidas o Magazine Luiza vem tomando para amenizar?

Fiquei satisfeita com o nosso time porque ele se adaptou a essa realidade. Se o Brasil não está bem, nós não estamos bem. Nossa equipe agiu rapidamente para ver o que o nosso marketplace poderia fazer para ajudar. Em 8 dias eles tiraram da gaveta um projeto que já existia, o "Magazine e Você" e criaram o "Parceiro Magalu", com regras bem mais simples de adesão. Em uma semana, tivemos a entrada de 160 mil trabalhadores autônomos, que passaram a vender nossos produtos, e de 15 mil empresas.

Estamos às vésperas do Dia das Mães. Será um ano perdido?

Acho que sim. Tenho orientado a venda de presentes, a vender por WhatsApp... Vamos perder muito. Acho que 2020 vai ser um ano que, tirando farmácias e mercados, vai ter muito problema. Fico muito preocupada com a pequena e a média empresa, estou procurando participar de eventos para ajudar de alguma forma, divulgar as medidas do governo.

É possível se reinventar rapidamente em um cenário como o atual?

O Brasil tem um espírito de empreendedorismo impressionante. Precisamos usar esse momento para refletir. Eu passo até um questionário (para empreendedores): duas coisas que eu não fiz e deveria ter feito, duas coisas que eu fiz e deveria continuar a fazer e duas coisas que eu fiz e não deveria ter feito.

Muito se fala de uma ajuda ampla do governo às empresas. O governo deve exigir contrapartidas pelo dinheiro que distribui?

Eu acho que o 'não demita' deveria ser a única coisa amarrada. Para isso, teria de colocar o Banco do Brasil para analisar as empresas. E é preciso acompanhar o processo de como esse dinheiro (do governo) chega na ponta.

Estamos numa intensa crise política. A sra. acha que isso pode agravar o cenário econômico?

Mais profundo que o coronavírus, eu não sei, porque já é uma coisa seriíssima. Essa crise atrapalha, divide a população, fica parecendo que a gente está em período eleitoral. É igual uma rede: nesse momento, se a gente deixar furo, vai sair muito peixe.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

reta final de negociações

Senado americano aprova “pacote Biden” de US$ 1,9 trilhão

Agora, o pacote voltará para a Câmara dos Representantes, que analisará as alterações feitas no texto pelos senadores. Se for aprovado, o projeto será enviado à Casa Branca para a sanção do presidente

entrevista

‘Episódio Petrobras deu um susto grande nos investidores’, diz economista do Itaú

O economista-chefe do Itaú Unibanco, Mario Mesquita, diz também estar preocupado com as incertezas políticas, que ameaçam o crescimento do PIB

Dificuldades À vista?

Deputados falam em reduzir medidas de ajuste fiscal do texto da PEC do auxílio

Embora defenda celeridade na análise da proposta, Albuquerque admite que o texto pode ser enxugado

escolha da CEO

Investir no Brasil: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come

Confira uma seleção de matérias feita pela CEO do Seu Dinheiro, Marina Gazzoni

Efeitos da pandemia

PEC do auxílio aprovada no Senado prevê abater R$ 100 bi da dívida pública

Pelos cálculos do governo, a necessidade de financiamento da dívida pública federal (DPF) neste ano é de R$ 1,469 trilhão, valor que aumentou por causa do maior volume de títulos de curto prazo que o governo precisou emitir para conseguir captar recursos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies