Menu
2020-12-22T17:10:26-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Fez parte da equipe de análise de ações da Exame Invest Pro. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Bilionários

Com a disparada das ações da Tesla, Elon Musk já é mais rico que Warren Buffett

A boa fase da Tesla na bolsa fez a riqueza pessoal de Elon Musk disparar, colocando-o no sétimo lugar do ranking de bilionários da Bloomberg; Warren Buffet é o 10º

11 de julho de 2020
11:23 - atualizado às 17:10
Elon Musk e Warren Buffett
Imagem: Shutterstock

Desde o começo de 2020, as ações da Tesla já saltaram quase 270% na bolsa americana. E quem está rindo à toa é o bilionário Elon Musk: presidente e dono de quase 20% da companhia, ele viu sua fortuna pessoal disparar de janeiro para cá. Como resultado, o empresário agora é um dos homens mais ricos do mundo, ultrapassando até mesmo o megainvestidor Warren Buffett.

De acordo com a Bloobmerg, Musk agora possui uma fortuna estimada em US$ 70,5 bilhões — somente na sexta-feira (10), ele ficou US$ 6 bilhões mais rico, na esteira da valorização de mais de 10% das ações da Tesla. A cifra coloca o empresário na sétima posição do ranking de bilionários da publicação.

Somente neste ano, Musk viu sua conta bancária aumentar em US$ 43 bilhões, um dos maiores saltos da lista. Além da fatia na Tesla, ele também é dono de uma participação majoritária na SpaceX, companhia do setor aeroespacial que, em maio, foi bem sucedida no lançamento de um foguete tripulado rumo à Estação Espacial Internacional.

A forte valorização das ações da Tesla ainda trouxe ganhos adicionais à Musk: seu contrato como CEO prevê um bônus variável, de acordo com o valor de mercado da empresa — e, com os papéis nas máximas históricas, seu salário hoje está na faixa dos US$ 550 milhões anuais, o que o torna o presidente de companhia privada mais bem pago do mundo.

Apesar do enriquecimento rápido, Musk ainda está longe do topo do ranking da Bloomberg: Jeff Bezos, presidente da Amazon, segue com folga na liderança, com uma fortuna pessoal estimada em US$ 189 bilhões. Bill Gates e Mark Zuckerberg completam o top 3.

Buffett escorrega

Já o megainvestidor Warren Buffett tem tido um 2020 não muito animador: também de acordo com a Bloomberg, sua fortuna pessoal encolheu em cerca de US$ 20 bilhões desde o começo do ano.

Esse mau desempenho tem relação com o colapso das bolsas visto a partir de março: considerando que a Berkshire Hathaway, conglomerado de investimentos gerido por Buffett, tem posições em diversas companhias, a queda no preços das ações afeta diretamente a riqueza do magnata.

Ainda assim, isso não tem impedido Buffett de buscar boas oportunidades no mercado: na semana passada, a Berkshire comprou os ativos de transmissão e armazenamento de gás natural da Dominion Energy, por US$ 4 bilhões.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Meme bilionário

O que está por trás da valorização de 500% do Dogecoin em uma semana?

O projeto levou várias pessoas a ficarem milionárias, mas pode fazer muita gente perder dinheiro daqui para frente

Chama o doutor

Após desconto em IPO, ações da Mater Dei estreiam em queda na B3

A situação atual do mercado e a fila de companhias de saúde prontas para abrirem o capital prejudica a rede de hospitais

mudanças na estatal

Conselho confirma general indicado por Bolsonaro para presidir Petrobras e novos diretores

Joaquim Silva e Luna assume o cargo então ocupado por Roberto Castello Branco Branco, demitido porque Bolsonaro estava insatisfeito com política de preços

Só a Vale salva

Tá difícil viver de renda: empresas cortaram R$ 38 bilhões em dividendos na pandemia

Muitas companhias optaram por distribuir menos dinheiro aos acionistas e preservar o caixa durante a crise econômica

Varejo em ebulição

Renner vai às compras? Varejista avalia oferta de ações e mexe com todo o setor

A rede de varejo de moda prepara captação de até R$ 4,5 bilhões com a emissão de novas ações na B3 e de olho em aquisições, diz site Brazil Journal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies