Menu
2020-04-26T23:38:46-03:00
Estadão Conteúdo
após suspensão de decretos

Brasil tem 43 shoppings reabertos

Até semana passada, todos os 577 centros de compras permaneciam fechados

23 de abril de 2020
8:11 - atualizado às 23:38
Consumidores andam em shopping center
Imagem: Shutterstock

O relaxamento das medidas de isolamento social em várias regiões do País já se reflete no setor de varejo. Na quarta-feira, 22, o setor contabilizava 43 shopping centers reabertos em 19 cidades. Até semana passada, todos os 577 centros de compras permaneciam fechados.

A mudança se dá por conta da suspensão de parte dos decretos publicados por prefeituras e governos estaduais proibindo o funcionamento do comércio a fim de reduzir a circulação de pessoas e a transmissão do coronavírus nas últimas semanas.

"O cenário está mudando rapidamente", relata o presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai. "Ainda há muita confusão e incerteza porque a suspensão dos decretos não acontece de maneira organizada. Em cada região é uma realidade", explica.

O presidente da Abrasce estima que, em maio, a maioria ou todos os shoppings já estejam abertos.

A brMalls, líder do mercado de shopping centers no País, reabriu duas das 31 unidades de sua rede acompanhando a suspensão dos decretos que proibiam o funcionamento durante a pandemia em Campo Grande (MS) e Caxias do Sul (RS). Mas nas outras praças, o clima ainda é de incerteza.

"Não faremos nenhuma reabertura sem estarmos alinhados com as determinações de prefeituras e governos estaduais. Então, infelizmente, não temos como precisar quando será a continuação desta reabertura. Depende do poder público", afirma a diretora comercial da brMalls, Jini Nogueira.

A grande expectativa dos comerciantes é de voltar a atender o público antes do Dia das Mães, no fim de semana de 10 de maio. Na quarta-feira, 22, a Federação das Associações Comerciais do Estado São Paulo (Facesp) e a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) divulgaram comunicado em que pedem para que o comércio seja parcialmente reaberto a partir do dia 1º de maio. Na semana passada, o governador, João Doria (PSDB), anunciou que só a partir de 11 de maio será feito o relaxamento da quarentena no Estado.

Nos shoppings reabertos, o funcionamento segue regras específicas dos decretos locais, como funcionamento em horário reduzido (entre 12h e 20h), praça de alimentação com menos mesas, e fechamento dos cinemas por enquanto. "As pessoas foram aos shoppings que reabriram. Temos tido relatos de que o movimento é positivo. É um fluxo bem menor que o normal, como esperado, mas positivo", disse Humai.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

QUESTIONAMENTOS

Frente parlamentar aciona STF para suspender reforma administrativa

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a suspensão imediata da tramitação da reforma administrativa. No mandado de segurança, deputados e senadores argumentam que não é possível analisar a proposta por falta de informações técnicas. Segundo os parlamentares, a imposição de sigilo nos documentos que […]

BALANÇO

BC informa que 50 milhões de chaves já foram cadastradas no Pix

O Pix é um sistema que permitirá pagamentos e transferências 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias do ano.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Esse tal de BDR

O mercado financeiro adora usar termos e siglas em inglês, talvez para tornar a coisa mais difícil do que realmente é. Nos últimos dias você já deve ter lido, inclusive aqui no Seu Dinheiro, sobre um tal de BDR. As três letras vêm de Brazilian Depositary Receipts. O quê? Calma, nós chegamos lá. O BDR é […]

As queridinhas

Tesla, Apple e Mercado Livre são os BDRs mais negociados no 1º dia de mercado aberto a todos os investidores

Empresas de tecnologia dominaram o primeiro dia de negociações liberadas a qualquer investidor, que teve volume superior à média

embalou

Ibovespa fica perto dos 102 mil pontos com disparada dos bancos e alta em NY; dólar cai abaixo do R$ 5,60

Papéis de Itaú, Banco do Brasil e Bradesco terminam sessão entre as cinco maiores altas do índice, que fechou perto da máxima; moeda americana recua 0,36% e juros sobem em dia de leilão do Tesouro e à espera de novidades fiscais. Lá fora, expectativa para estímulos alivia bolsas americanas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies