Menu
2020-04-24T14:44:23-03:00
Estadão Conteúdo
mudança de foco

BNDES nomeia diretor para cuidar de participações acionárias

Novo diretor comandará as ações relacionadas à bilionária carteira de participações do banco de fomento, que, antes da pandemia de covid-19, estavam focadas na venda de ações de grandes empresas

24 de abril de 2020
14:39 - atualizado às 14:44
BNDES
Imagem: Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) formalizou nesta semana a nomeação de Bruno Laskowsky como diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto. O novo diretor comandará as ações relacionadas à bilionária carteira de participações do banco de fomento, que, antes da pandemia de covid-19, estavam focadas na venda de ações de grandes empresas, mas, no esforço de mitigar a crise, contribuirão no apoio a grandes companhias em dificuldade.

Desde outubro do ano passado, quando o antigo diretor André Laloni pediu demissão, em meio a atritos com técnicos do banco sobre a melhor forma de acelerar as vendas de ações, a diretoria de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto era acumulada por Leonardo Cabral, diretor de Privatizações. Sob o comando de Cabral, o BNDES vendeu todas suas ações ordinárias (ON, com voto) da Petrobras, por R$ 22 bilhões, em oferta no início de fevereiro.

A oferta das ações da Petrobras foi a última grande venda por parte do BNDES. Em 11 de março, quando o agravamento da crise econômica global por causa da pandemia já estava mais claro, o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, sinalizou para a suspensão das vendas em meio à turbulência nos mercados financeiros, o que dificultava a tarefa de "encontrar preços de referencia para as ações". Apenas no pregão de 9 de março, o BNDES viu o valor de mercado de sua carteira encolher em R$ 12 bilhões.

Laskowsky assume a diretoria já com o cavalo de pau dado. No fim de março, em uma das transmissões ao vivo pela internet em que anunciou medidas para mitigar a crise, Montezano anunciou que o pacote de apoio a grandes empresas - que começou a ser desenhado como um socorro às companhias aéreas, mas foi ampliado para outros setores e passou a incluir um sindicato de bancos privados coordenado pelo BNDES - poderia incluir emissões de títulos de dívida conversíveis em ações. Ou seja, com a crise, de vendedor, o BNDES poderá voltar a comprar participações acionárias.

O novo diretor desenvolveu sua carreira no mercado financeiro e imobiliário. Desde 2017, trabalhava no Credit Suisse, onde chegou a diretor-geral. Foi presidente da incorporadora Viver. Segundo o perfil de Laskowsky já publicado no site do BNDES, o executivo tem 28 anos de carreira e, "ao longo de sua carreira, gerenciou diretamente e transacionou mais de R$ 14 bilhões em ativos e já liderou dezenas de transações". Arquiteto formado pela UFRJ, o novo diretor tem pós-graduação em finanças pelo Ibmec e mestrado na Coppead, pós-graduação em administração de UFRJ.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Negócio fechado

Petrobras assina venda de sua fatia de 50% no campo terrestre de Rabo Branco

O campo teve produção média em 2020 de 131 barris de petróleo por dia (bpd).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Fundo Verde e a tragédia grega do Brasil

Ao despertar a fúria de Zeus por ter entregue o fogo do Olimpo aos mortais, Prometeu foi acorrentado e punido: durante o dia, uma águia devorava seu fígado; durante a noite, o órgão se regenerava — um ciclo de tormento eterno. Tragédias gregas, infelizmente, costumam ser úteis ao falarmos sobre o Brasil. Reformas econômicas demandam […]

FECHAMENTO

Commodities amenizam a queda da bolsa, mas exterior negativo e nova crise em Brasília falam mais alto

As commodities mais uma vez tentaram salvar a bolsa brasileira de um dia no vermelho, mas o exterior negativo e a cautela em Brasília falaram mais alto

Presidente otimista

EUA devem ter retomada econômica mais rápida em quase 40 anos, diz Biden

Segundo o democrata, o foco de seu governo se manterá em criar empregos e combater a pandemia de covid-19

Gestão na crise

Brasil vive uma espécie trágica de dia da marmota, diz Verde Asset

Navegar os mercados locais vem sendo uma odisseia extremamente complexa e nada indica que vai melhorar, diz a gestora de Luis Stuhlberger

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies