Menu
2020-04-24T14:44:23-03:00
mudança de foco

BNDES nomeia diretor para cuidar de participações acionárias

Novo diretor comandará as ações relacionadas à bilionária carteira de participações do banco de fomento, que, antes da pandemia de covid-19, estavam focadas na venda de ações de grandes empresas

24 de abril de 2020
14:39 - atualizado às 14:44
BNDES
Imagem: Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) formalizou nesta semana a nomeação de Bruno Laskowsky como diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto. O novo diretor comandará as ações relacionadas à bilionária carteira de participações do banco de fomento, que, antes da pandemia de covid-19, estavam focadas na venda de ações de grandes empresas, mas, no esforço de mitigar a crise, contribuirão no apoio a grandes companhias em dificuldade.

Desde outubro do ano passado, quando o antigo diretor André Laloni pediu demissão, em meio a atritos com técnicos do banco sobre a melhor forma de acelerar as vendas de ações, a diretoria de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto era acumulada por Leonardo Cabral, diretor de Privatizações. Sob o comando de Cabral, o BNDES vendeu todas suas ações ordinárias (ON, com voto) da Petrobras, por R$ 22 bilhões, em oferta no início de fevereiro.

A oferta das ações da Petrobras foi a última grande venda por parte do BNDES. Em 11 de março, quando o agravamento da crise econômica global por causa da pandemia já estava mais claro, o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, sinalizou para a suspensão das vendas em meio à turbulência nos mercados financeiros, o que dificultava a tarefa de "encontrar preços de referencia para as ações". Apenas no pregão de 9 de março, o BNDES viu o valor de mercado de sua carteira encolher em R$ 12 bilhões.

Laskowsky assume a diretoria já com o cavalo de pau dado. No fim de março, em uma das transmissões ao vivo pela internet em que anunciou medidas para mitigar a crise, Montezano anunciou que o pacote de apoio a grandes empresas - que começou a ser desenhado como um socorro às companhias aéreas, mas foi ampliado para outros setores e passou a incluir um sindicato de bancos privados coordenado pelo BNDES - poderia incluir emissões de títulos de dívida conversíveis em ações. Ou seja, com a crise, de vendedor, o BNDES poderá voltar a comprar participações acionárias.

O novo diretor desenvolveu sua carreira no mercado financeiro e imobiliário. Desde 2017, trabalhava no Credit Suisse, onde chegou a diretor-geral. Foi presidente da incorporadora Viver. Segundo o perfil de Laskowsky já publicado no site do BNDES, o executivo tem 28 anos de carreira e, "ao longo de sua carreira, gerenciou diretamente e transacionou mais de R$ 14 bilhões em ativos e já liderou dezenas de transações". Arquiteto formado pela UFRJ, o novo diretor tem pós-graduação em finanças pelo Ibmec e mestrado na Coppead, pós-graduação em administração de UFRJ.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Pouco atraente

Participação do Brasil na carteira do investidor estrangeiro cai a 0,3%

Os diversos riscos associados à alocação de recursos no Brasil fizeram o peso do Brasil na carteira dos investidores estrangeiros — a incerteza política e a fraqueza econômica aparecem como importantes fatores

SEU DINHEIRO NO SÁBADO

MAIS LIDAS: Crise? Que crise?

O recente rali da bolsa pegou todo mundo de surpresa — e, não à toa, a matéria elencando cinco razões que explicam essa onda de otimismo foi a mais lida do Seu Dinheiro nesta semana

Crise setorial

Indústria deve deixar de vender mais de 1,3 milhão de veículos neste ano

A crise do coronavírus afetou as linhas de produção de veículos e também diminuiu as vendas em todo o país. Como resultado, o setor prevê uma queda de 40% no total vendido no ano

Seu mentor de investimentos

Um filme de terror: inflação volta a ter destaque no cenário brasileiro

Ivan Sant’Anna faz um paralelo entre a inflação galopante do fim dos anos 80 e o atual cenário de virtual estabilidade na variação dos preços — e mostra preocupação com o comportamento do mercado nesse novo panorama

Recuperação na bolsa

Até onde vai o Ibovespa? Para a XP, o índice voltará aos 112 mil pontos ao fim de 2020

A XP Investimentos revisou para cima sua projeção para o Ibovespa ao fim de 2020, passando de 94 mil pontos para 112 mil pontos — um patamar que implica num potencial de alta de mais de 18% em relação aos níveis atuais da bolsa

COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Como se preparar para a nova Era do Empreendedorismo

Quando as coisas mudam tão drasticamente quanto nos últimos meses, pode ser difícil perceber, mas esses momentos criam as maiores oportunidades.

Dados atualizados

Mortes por coronavírus no Brasil vão a 34.973; infectados são 643.766

Na quinta-feira, havia 34.021 mortes registradas, segundo o Ministério da Saúde. O balanço diário totalizava 614.941 infectados

Números da pandemia

‘Acabou matéria no Jornal Nacional’, diz Bolsonaro sobre atraso em dados do coronavírus

Questionado sobre o terceiro dia com atraso seguido na divulgação de mortos e infectados pela covid-19 pelo Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta sexta-feira, 5, que “acabou matéria no Jornal Nacional”, telejornal da TV Globo

seu dinheiro na sua noite

A crise do coronavírus vai ser uma marolinha?

Em 2008, ao ser questionado sobre a crise financeira, o ex-presidente Lula disse que o tsunami sobre a economia global chegaria ao Brasil como uma “marolinha”. O resultado você e eu conhecemos. Pois bem, com a rápida recuperação dos mercados nas últimas semanas já vejo muita gente resgatar a tese da marolinha. Na nova versão, […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements