⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2020-01-30T08:27:35-03:00
Estadão Conteúdo
Idas e vindas

BNDES não descarta auditoria na Odebrecht

Segundo Montezano, a contratação da auditoria para as operações com a J&F foi feita por recomendação da KPMG, auditor independente que dá o parecer sobre as demonstrações contábeis do banco

30 de janeiro de 2020
8:27
BNDES
Imagem: Shutterstock

O BNDES não descarta a possibilidade de deflagrar no futuro uma nova leva de auditorias em contratos que a instituição considere suspeitos, embora assegure não ter encontrado indícios de ilegalidades nas operações realizadas em gestões anteriores. Como mostrou o jornal O Estado de São Paulo, o plano original era apurar eventuais irregularidades nas transações do banco com a Odebrecht logo após a conclusão das análises nas operações com o grupo J&F. Qualquer nova apuração, no entanto, dependerá da avaliação de "custo-benefício", disse o diretor de compliance do BNDES, Claudenir Pereira.

A sinalização do banco ocorre depois de a instituição ter de dar explicações sobre o gasto de R$ 48 milhões com uma auditoria externa para analisar oito operações com empresas do grupo J&F. O custo foi revelado pelo jornal O Estado de São Paulo após o próprio BNDES prestar as informações via Lei de Acesso à Informação. Nessa quarta-feira, 29, o banco disse ter revisto as taxas de câmbio usadas nos pagamentos em dólar a escritórios internacionais, reduzindo o custo para R$ 42,7 milhões.

A mudança no valor ocorre um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro dizer que achava "esquisito" o gasto com a auditoria e parecia que "alguém quis raspar o tacho". Em entrevista convocada para prestar esclarecimentos, o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, disse que "não foi o caso" de alguém ter cobrado acima do preço devido e o gasto "foi necessário".

Segundo Montezano, a contratação da auditoria para as operações com a J&F foi feita por recomendação da KPMG, auditor independente que dá o parecer sobre as demonstrações contábeis do banco. É ela que confere uma espécie de selo de que as informações são confiáveis e fidedignas.

O custo inicial projetado em 2018 era de R$ 23,4 milhões, sendo R$ 19,6 milhões aprovados em fevereiro daquele ano para o escritório estrangeiro Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP, além de mais R$ 3,766 milhões para que a própria KPMG atuasse como uma espécie de "revisor" do trabalho da banca internacional.

Em novembro de 2018, com ampliação da quantidade de dados a serem processados e o maior número de depoimentos a serem coletados, o conselho de administração e a diretoria do banco aprovaram uma primeira suplementação no contrato, no valor de R$ 5,067 milhões.

Montezano disse ainda que, em 2 de julho de 2019, foi aprovado o aumento do escopo da auditoria para abarcar informações levantadas pela Operação Bullish (da Polícia Federal e do Ministério Público Federal) e pelas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) instauradas no Congresso sobre o tema. Com isso, o custo da auditoria aumentou em R$ 11,9 milhões. O presidente do banco, porém, ressaltou que a aprovação se deu um dia antes de ele tomar posse oficialmente no cargo. "Sem o aumento do escopo, o relatório da auditoria teria ressalva que praticamente o invalidaria", argumentou Montezano.

O presidente do BNDES disse que o único aditivo aprovado em sua gestão foi um adicional de R$ 2,3 milhões no contrato com a auditoria KPMG, para que ela acompanhasse os trabalhos da investigação externa como revisora.

Na semana passada, o jornal O Estado de São Paulo mostrou que um aditivo de US$ 3,5 milhões no contrato com o Cleary foi aprovado em outubro de 2019, já na gestão Montezano. O diretor jurídico do BNDES, Saulo Puttini, argumentou que esse aumento foi feito para ampliar o valor do "contrato guarda-chuva" e permitir que o escritório continuasse prestando serviços jurídicos ao banco, sem relação com a auditoria externa.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

ESTRADA DO FUTURO

Uma nova safra de balanços vem aí: o que esperar dos resultados das maiores empresas de tecnologia do mundo?

6 de outubro de 2022 - 6:39

Há uma enorme diferença entre as expectativas para Amazon, Apple, Google e Microsoft; o mais importante é o que elas têm a dizer sobre os próximos trimestres

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Embate entre Opep+ e Biden, nova pesquisa do Ipec e a pedra no sapato da Oi (OIBR3); confira os destaques do dia

5 de outubro de 2022 - 19:16

A decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) de cortar a produção em dois milhões de barris por dia (bpd) para manter o mercado estável não agradou o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Com a inflação batendo insistentemente em sua porta e uma resistência da alta dos preços aos remédios […]

CONSOLIDAÇÃO

Líder em consolidação no setor de saúde, Hapvida (HAPV3) compra operadora de baixo custo por R$ 120 milhões

5 de outubro de 2022 - 18:57

A compra será feita por meio da subsidiária Intermédica e custará cerca de R$ 120 milhões

PRÉVIA DO BALANÇO

Multiplan (MULT3) vende R$ 4,7 bilhões e renova recorde de performance para um terceiro trimestre — confira os destaques da prévia operacional da companhia

5 de outubro de 2022 - 18:51

Todos os ativos do portfólio da empresa apresentaram crescimento de dois dígitos na comparação anual, com destaque para um shopping paulistano

ELEIÇÕES 2022

Ipec mostra Lula com 51% e Bolsonaro com 43% — confira a primeira pesquisa após o primeiro turno

5 de outubro de 2022 - 18:33

Considerando apenas os votos válidos, ou seja, excluindo os brancos e nulos, o petista aparece com 55%, ante 45% do presidente que tenta a reeleição

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies