Menu
2020-09-11T07:29:44-03:00
desinvestimento

BNDES confirma que quer vender debêntures participativas da Vale

Banco selecionou o Bradesco BBI para ser coordenador líder de uma potencial oferta pública secundária de até 214,3 milhões de debêntures

11 de setembro de 2020
7:29
BNDES
Imagem: Agência Brasil

O BNDES confirmou que a BNDESPar selecionou o Bradesco BBI para ser coordenador líder de uma potencial oferta pública secundária de até 214,3 milhões de debêntures participativas de emissão da Vale.

Seriam 141,7 milhões de debêntures detidas pela União, e o restante detido pelo BNDES e pela BNDESPar. Formarão também o consórcio de coordenação o Citibank, JP Morgan e Itaú BBA, diz a empresa.

"A realização da potencial transação ainda se encontra em estudos para detalhar seus termos e condições, incluindo a quantidade de debêntures objeto da transação e o seu cronograma, e depende de deliberações dos órgãos societários do BNDES e da BNDESPar", informa a instituição.

No último dia 10, a revista Veja havia publicado uma matéria intitulada “BNDES inicia roadshow para vender direitos de exploração da Vale”. Ainda no dia 4, o banco confirmou também que avalia vender todas as ações da Suzano que detém.

As decisões acontecem em linha com a política do atual governo, eleito com a promessa de realizar desinvestimentos não essenciais ao Estado. No primeiro semestre, a venda de participações societárias do BNDES resultaram em R$ 8 bilhões ao banco.

O destaque foi a oferta pública de ações da Petrobras, em fevereiro. Recentemente, o BNDES também vendeu 2,56% de ações da Vale em leilão na B3.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

coronavírus

Doria anuncia que São Paulo receberá 5 milhões de doses de CoronaVac

Segundo o governador de São Paulo, previsão é de que haja 46 milhões de doses até dezembro

o app dos jovens

TikTok banido dos EUA? Entenda a polêmica em torno do aplicativo

Trump prometeu tirar o aplicativo chinês do país neste domingo, mas medida não deve ser colocada em prática; entenda as razões por trás da ofensiva americana

entrevista

‘Não se pode esperar para cortar privilégio’, diz ex-secretário do Ministério da Economia

Paulo Uebel defende que o Congresso aprove uma regra de transição na proposta da reforma administrativa para incluir o fim dos privilégios que grupo de servidores atuais ainda goza

Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)

100 dias entre o fundo e topo do mercado

Até aqui, 2020 foi o ano de Amyr Klink, em que aqueles que souberam capotar (entre janeiro e o final de março), passaram pela tempestade sem afundar de vez em mar aberto

inflação de alimentos

Após ouvir cobrança, Bolsonaro reforça que preço do arroz não será tabelado

Ministra da Agricultura avisou que atual patamar de preços só deve baixar mesmo a partir de 15 de janeiro, quando entrar a safra brasileira.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements