Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-07T16:47:30-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho no setor

Vendas no varejo caem 16,2% março, maior tombo da série histórica

Todos os setores que compõem o indicador registraram queda na margem. Os destaques foram Veículos, Motos e Peças, com retração de 23,1%, e Materiais de Construção, com queda de 21,9%

7 de abril de 2020
12:27 - atualizado às 16:47
varejo compras
Imagem: Shutterstock

A atividade do comércio recuou 16,2% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta terça-feira, 7, a Serasa Experian. É a maior queda da série histórica do Indicador de Atividade do Comércio da empresa, que acompanha o setor desde 2000.

Todos os setores que compõem o indicador registraram queda na margem. Os destaques foram Veículos, Motos e Peças, com retração de 23,1%, e Materiais de Construção, com queda de 21,9%.

Também tiveram retrações acima dos dois dígitos Móveis, Eletrodomésticos, Eletroeletrônicos e Informática (-19,3%) e Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios (-16,6%). As menores quedas foram observadas em Supermercados, Hipermercados, Alimentos e Bebidas (-8,1%) e em Combustíveis e Lubrificantes (-5,5%).

"Com as pessoas ficando mais em casa e muitas lojas físicas fechadas, cai automaticamente o consumo de itens, principalmente os não essenciais, como Veículos e Materiais de Construção.

Na contramão estão áreas essenciais, como Supermercados e Combustíveis, cujo impacto foi menor pelo consumo e necessidade de abastecimento das cidades", afirma, em nota, o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

Na comparação com março de 2019, as vendas do varejo tiveram retração de 13,7%, com destaque para Veículos, Motos e Peças (-26,3%) e Materiais de Construção (-17,9%).

Também nesta base, todos os setores pesquisados tiveram retração: Móveis, Eletrodomésticos, Eletroeletrônicos e Informática (-15,1%), Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios (-11,1%) e Combustíveis e Lubrificantes (-8,7%) e Supermercados, Hipermercados, Alimentos e Bebidas (-2,4%).

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

COMO ESPERADO

Evergrande paga credores locais; estrangeiros seguem a ver navios

Apesar da perspectiva de calote aos credores externos, reação à notícia foi positiva nos mercados de bônus chineses

bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) se aproxima das máximas históricas após estreia do primeiro ETF em criptomoeda nos EUA; acompanhe

Nos primeiros minutos de negociação, o ETF da ProShares movimentou cerca de US$ 280 milhões de acordo com o analista de fundos de índice da Bloomberg

NA ESTEIRA DA VACINA

Beneficiada por venda de imunizante contra covid-19, Johnson & Johnson lucra mais que o esperado no 3º trimestre

Depois dos grandes bancos, agora é a vez de a J&J surpreender positivamente o mercado, impulsionada por sua divisão farmacêutica

MERCADOS HOJE

Auxílio emergencial ‘turbinado’ e fora do teto pesa e faz Ibovespa perder os 113 mil pontos; dólar avança mesmo com leilão do BC

A agenda local está esvaziada neste início de semana, mas os investidores aguardam ansiosamente por um desfecho para a PEC dos precatórios.

RadioCash

Com cenário macroeconômico instável, não dá pra ser Warren Buffet no Brasil, diz Paolo Di Sora, fundador da RPS Capital

Para o megainvestidor e CEO da Berkshire Hathaway, que compra ações de empresas na maior economia do mundo, é fácil se concentrar na análise microeconômica. Já o investidor brasileiro, por sua vez, está sempre sujeito a instabilidades e crises domésticas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies