Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-03T00:22:45-03:00
Estadão Conteúdo
AINDA RUIM

Taxa de desemprego atinge 14,4% no trimestre até agosto, a maior desde 2012

País registrou 13,794 milhões de desempregados no período, aumento de 8,5%

30 de outubro de 2020
12:13 - atualizado às 0:22
desemprego coronavírus
Imagem: Shutterstock

A forte queda da atividade econômica provocada pela pandemia da covid-19 continua causando um forte estrago nos empregos.

A taxa de desemprego no trimestre encerrado em agosto subiu para 14,4%, o maior nível já registrado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que teve início em 2012. No trimestre encerrado em julho, a taxa estava em 13,8%.

A população desocupada cresceu a 1,083 milhão em apenas um trimestre, aumento de 8,5%, totalizando 13,794 milhões de desempregados. Em relação a um ano antes, há 1,229 milhão de desocupados a mais, alta de 9,8%.

De acordo com a analista da pesquisa, Adriana Beringuy, o aumento na taxa de desemprego é um reflexo da flexibilização das medidas de isolamento social para controle da pandemia.

"Esse aumento da taxa está relacionado ao crescimento do número de pessoas que estavam procurando trabalho. No meio do ano, havia um isolamento maior, com maiores restrições no comércio, e muitas pessoas tinham parado de procurar trabalho por causa desse contexto. Agora, a gente percebe um maior movimento no mercado de trabalho em relação ao trimestre móvel encerrado em maio", diz.

Segundo a Pnad Contínua, o País registrou uma perda de 4,270 milhões de pessoas ocupadas no mercado de trabalho em apenas um trimestre. A população ocupada desceu ao menor patamar da série histórica iniciada em 2012, com 81,666 milhões de pessoas. Em um ano, foram extintos 11,965 milhões de empregos, uma queda de 12,8% no total de pessoas trabalhando.

A taxa de desemprego só não subiu ainda mais porque houve um aumento de 5,6% no número de pessoas na inatividade em relação ao trimestre imediatamente anterior.

A população inativa alcançou o auge de 79,141 milhões no trimestre encerrado em agosto, 4,177 milhões a mais que no trimestre terminado em maio. Em um ano, 14,213 milhões de brasileiros migraram para a inatividade, um salto de 21,9% no total de pessoas fora da força de trabalho.

O nível da ocupação - porcentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar - caiu de 49,5% no trimestre encerrado em maio para 46,8% no trimestre até agosto de 2020, o menor da série histórica. No trimestre terminado em agosto de 2019, o nível da ocupação era de 54,7%.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

efeito pandemia

Sem peças importadas, indústria busca produção local, mas esbarra em custo

Escassez de produtos como máscaras e respiradores, que marcou o início da pandemia, depois se estendeu a semicondutores, insumos e autopeças e se agravou com o aumento dos preços

é possível, sim

O segredo para ser feliz no trabalho, segundo esta especialista

Beverly Jones, autora do “Find Your Happy at Work”, arriscou algumas respostas em entrevista recente e falou sobre desconforto, networking e tédio; veja abaixo

em família

Sobrinho-neto do bilionário Warren Buffett supera Berkshire Hathaway no ano

Ações da Boston Omaha, holding de capital aberto co-liderada pelo sobrinho-neto do bilionário, Alex Buffett Rozek, estão batendo os papéis da Berkshire Hathaway

novo serviço

Grupo pão de Açúcar vai fazer entrega para lojistas de seu marketplace

No próximo ano, a companhia passará a oferecer a possibilidade de que os lojistas virtuais armazenem produtos nos centros de distribuição do GPA

inovação

Varejo online agora quer conquistar a fronteira da venda de produto fresco

A partir do mês que vem, começa a funcionar no País uma startup mexicana de tecnologia do setor de supermercados que vai explorar exatamente esse filão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies