Menu
2020-01-25T17:06:17-03:00
Estadão Conteúdo
ECONOMIA

‘Recessão profunda torna retomada lenta’, diz economista do Insper

“Um ponto a se considerar é que, somando com os resultados de 2018, já são quase 1,2 milhão de empregos desde a crise. O mercado de trabalho demorou para responder, porque a recessão foi muito profunda, mas está respondendo”, falou Sergio Fripo

25 de janeiro de 2020
17:06
Economia Teto Gastos
Imagem: Shutterstock

Na avaliação do economista, Sergio Fripo, do Insper, a recuperação de setores com grande emprego de mão de obra, como o comércio e a construção civil, foram importantes para um resultado do Caged melhor no ano passado. Ele lembra, no entanto, que a recuperação do mercado de trabalho ainda é lenta. A seguir, trechos da entrevista:

A geração de postos formais no ano passado surpreende?

De certa forma, já era esperado. Aos poucos, o mercado de trabalho vai melhorando. Um ponto a se considerar é que, somando com os resultados de 2018, já são quase 1,2 milhão de empregos desde a crise. O mercado de trabalho demorou para responder, porque a recessão foi muito profunda, mas está respondendo.

Essa recuperação do emprego formal é sustentável?

O que estamos vendo agora é uma recuperação lenta do emprego, mas que acontece em setores que empregam bastante e contratam pessoas de baixa qualificação, como o setor de serviços e a construção civil. Construção e comércio desempregaram muito durante a crise e agora devem voltar a empregar. É claro, é importante lembrar que o grosso da retomada da ocupação se deu pelo emprego informal e pelo trabalho por conta própria. Ainda há um longo caminho.

O que precisa ser feito para que o emprego continue se recuperando?

Se o País continuar a crescer, o emprego informal pode ir perdendo fôlego e dando espaço para o formal. O Brasil responde aos estímulos da economia internacional e estamos em uma situação de baixo crescimento mundial, o que se reflete sobre o ritmo da nossa economia.

As reformas podem mesmo ter impacto sobre os empregos?

Sim. Tem uma reforma tributária no Congresso. Se o sistema tributário for melhorado, muitas distorções comuns no sistema vigente podem ser evitadas. Com uma boa reforma administrativa, fica mais fácil mostrar para os investidores o compromisso do País com o equilíbrio.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Ano de eleição

Promessas de Bolsonaro estouram “folga” do Orçamento em 2022

A ampliação do Bolsa Família e um eventual aumento de 5% nos salários do funcionalismo público já superam o espaço adicional de R$ 25 bilhões para o próximo ano

Nova esperança?

Estados Unidos planejam investir US$ 3,2 bilhões em antivirais para tratar covid-19 e outras doenças

Segundo o Dr. Fauci, principal conselheiro do presidente Joe Biden no combate à pandemia, novo programa vai acelerar o que já está em andamento

PODCAST MESA QUADRADA

De pintor de parede a chef renomado, Alex Atala diz que competitividade foi empurrão: ‘se não fosse provocado, seria um bundão’

Chef de cozinha fala sobre sua trajetória e comenta crises e investimentos bem sucedidos

Amor e presentes

Demanda por crédito no País sobe 13% em maio, impulsionada por Dia das Mães

Índice Neurotech revela que o aumento das vendas no varejo, especialmente nas lojas de departamento e vestuário durante a data comemorativa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies