Menu
2020-06-16T14:55:32-03:00
Estadão Conteúdo
EM MEIO À CRISE

Qualquer devolução ao Tesouro está suspensa até o fim do ano, diz BNDES

O presidente do BNDES indicou que, atualmente, o BNDES adota política que não favorece setores ou empresas específicas.

16 de junho de 2020
14:55
BNDES
Imagem: Agência Brasil

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, afirmou nesta terça-feira, 16, que as devoluções de recursos do banco ao Tesouro estão suspensas até o fim deste ano, durante o período de crise provocada pelo novo coronavírus. Segundo ele, este ano o BNDES somente devolveu R$ 20 bilhões ao caixa do PIS/Pasep, para apoiar a liberação de recursos do fundo. Outras devoluções estão descartadas em função da pandemia.

Na prática, com isso o BNDES mantém recursos que poderão ser utilizados em operações de crédito neste período de crise. Montezano também criticou, durante audiência pública virtual com o Congresso Nacional, a política adotada pelo BNDES em governo anteriores, de apoio preferencial a grandes empresas. "No auge do subsídio (do Tesouro) que o BNDES recebia, o Estado gastava R$ 30 bilhões ou R$ 40 bilhões para apoiar as grandes empresas", afirmou.

O presidente do BNDES indicou que, atualmente, o BNDES adota política que não favorece setores ou empresas específicas. "Neste momento de crise, tivemos o cuidado extremo de tratar todas as companhias aéreas de forma igual", exemplificou. Montezano também fez uma defesa dos programas, lançados pelo governo, para apoiar o crédito voltado para micro, pequenas e médias empresas. "O governo colocou R$ 71 bilhões para o crédito chegar a micro e pequenas empresas", citou.

Ele se referiu aos aportes do Tesouro no Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), no valor de R$ 16 bilhões, ao Programa Emergencial de Suporte a Empregos (Pese), de R$ 20 bilhões, e ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, com valor de R$ 34 bilhões. "São necessários alguns ajustes ao Pese, para flexibilizar acesso", reconheceu Montezano.

Gargalo

O presidente do BNDES afirmou que o principal gargalo para a infraestrutura brasileira está ligado à falta de bons projetos. Disse ainda que, no último ano, o banco de fomento montou uma estrutura "robusta" para atuar, nos governos federal e estaduais, na área de formulação de projetos.

"Como banco de serviços, combinado com a capacidade financeira do BNDES, ampliamos a capacidade de ajudar o Brasil", disse Montezano.

O executivo defendeu ainda uma mudança da forma de avaliação do sucesso do banco. "Por muito tempo, o sucesso do banco era dimensionado pela quantidade de desembolso do banco ou pelo tamanho do lucro financeiro", pontuou. "Nosso sucesso vai além. Ele vai ser sentido quando o cidadão tiver mais acesso a serviços."

O presidente do BNDES afirmou ainda que o banco de fomento é "perene, neutro". "Queremos o BNDES o mais apolítico possível", disse.

As afirmações do presidente do BNDES foram feitas durante participação na manhã desta terça de audiência pública da Comissão Mista do Congresso destinada a acompanhar a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira das medidas relacionadas ao novo coronavírus.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

PRÉVIA DOS BALANÇOS

Os grandões vêm aí: Petrobras e Vale divulgam os resultados; veja o que esperar

Semana será marcada pela apresentação dos resultados de algumas das principais companhias da B3

agenda lotada

Os segredos da bolsa: balanços de pesos-pesados podem manter Ibovespa em alta em semana de Copom

Lá fora, resultados do terceiro trimestre de Amazon, Apple, Facebook, Google e Microsoft são destaques, além de decisões de bancos centrais

O GRANDE DRAGÃO VERMELHO

Pandemia deve reforçar poder chinês na economia

Movimento aponta para a continuidade das tensões com Estados Unidos e manutenção da alta demanda por matérias-primas produzidas pelo Brasil

PANOS QUENTES

‘Apresentei desculpas e colocamos ponto final’, diz Salles sobre atrito com Ramos

Salles e Ramos protagonizaram o mais recente atrito dentro do governo, tornado público após chefe do Meio Ambiente se referir ao general como “Maria Fofoca”

ALÍVIO

Mortes por covid-19 chegam ao menor nível desde maio, diz Fiocruz

Média móvel de novos casos ficou em 22.483 no sábado, alta de 11% em relação aos casos da semana anterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies