Menu
2020-02-14T16:58:27-03:00
Melhora desigual

Pico de carteira assinada do final de 2019 ficou concentrado especialmente em SP, avalia IBGE

Dados de emprego divulgados pelo instituto sinalizam que a melhora no mercado de trabalho no Brasil ainda não é disseminada

14 de fevereiro de 2020
16:58
Carteira de trabalho
Imagem: Shutterstock

A melhora na geração de vagas com carteira assinada no País ficou concentrada em poucos locais, especialmente em São Paulo, sinalizando que a melhora no mercado de trabalho ainda não é disseminada, avaliou Adriana Beringuy, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"O pico de carteira que a gente teve no final do ano não foi algo disseminado pelo País", resumiu Adriana. "O leve aumento da carteira no quarto trimestre não foi difundido, ficou concentrado em quatro Estados, principalmente em São Paulo."

Na passagem do terceiro trimestre de 2019 para o quarto trimestre do ano, foram abertas 593 mil vagas com carteira assinada no setor privado, sendo mais da metade delas em São Paulo, 324 mil postos formais no Estado.

Em todo o País, apenas quatro Estados tiveram avanço significativo na carteira assinada no período: São Paulo, Rondônia, Paraíba e Sergipe.

O Estado de São Paulo abriu 473 mil vagas formais em relação ao quarto trimestre de 2018. "Olhando para o quadro sintético de São Paulo, a gente não vê nenhuma atividade se destacando. Tudo indica que foi uma soma de pequenas reações setoriais. Não foi a indústria que reagiu em São Paulo e começou a contratar com carteira na região. Não parece ser isso."

No quarto trimestre, a maior proporção de trabalhadores com carteira assinada no setor privado estava em Santa Catarina (87,7%), seguido por Paraná (81,2%) e Rio Grande do Sul (80,7%). A menor proporção de formais era a do Maranhão (47,6%), seguido por Piauí (52,5%) e Pará (52,6%).

No sentido oposto, o maior porcentual de trabalhadores sem carteira assinada no setor privado estava no Maranhão (52,4%), única Unidade da Federação em que essa fatia superou a metade do total dos empregados no setor privado.

"O ano de 2019 é importante, porque é o terceiro ano seguido com aumento na ocupação. Mas outros indicadores mostram que a qualidade desse trabalho que está sendo gerado ainda carece de uma melhora", lembrou Adriana Beringuy.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Recuperação da estatal

Lucro da Petrobras salta 55,7% em 2019 e chega a R$ 40,1 bilhões, impulsionado pela venda de ativos

A Petrobras fechou 2019 com o maior lucro líquido anual de sua história, sustentada pelos fortes desinvestimentos e ganhos de eficiência na extração de petróleo — fatores que compensaram os menores preços da commodity no exterior

De olho no balanço

Marfrig reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 27 milhões no 4º trimestre de 2019

No acumulado do ano, o lucro líquido caiu para R$ 218 milhões, ante R$ 1,4 bilhão no ano anterior

Confira os números

Petrobras, Ultrapar, Marfrig, RaiaDrogasil e GPA: os balanços que vão mexer com a bolsa nesta quinta-feira

O dia começa recheado de balanços anuais das companhias listadas no Ibovespa

Recurso da estatal

TRF-4 nega recurso da Petrobras e mantém Odebrecht fora de ação da Lava Jato

No recurso, a estatal buscava o prosseguimento dos réus na ação cível e a manutenção do bloqueio de bens dos executivos

Seu Dinheiro na sua noite

Guedes fora, alta do dólar

Você se lembra de quando o dólar a R$ 4,20 era o grande “patamar psicológico” da moeda americana? Não faz tanto tempo assim, mas esse nível de cotação ficou para trás, e agora parece até um pouco distante. Hoje, o dólar à vista bateu um novo recorde de fechamento. Eu sei que você já leu […]

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

O impasse continua

Após TRT suspender demissões, Petrobras quer negociar desligamentos em fábrica

Encerramento da operação da Ansa é o principal motivo da greve dos petroleiros

Ponto polêmico

Relator mantém trabalho aos domingos na MP do contrato verde e amarelo

Deputado Áureo manteve a permissão para que todos os trabalhadores sejam convocados para trabalhar aos domingos e feriados

Novidade no IR

Programa do IR virá sem dedução da contribuição patronal sobre domésticos

Fim da dedução é a principal novidade para as declarações de IR em 2020

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements