Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-20T13:56:10-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Aeroportos não serão fechados

Não vai haver fechamento de aeroportos no país, diz ministro da Infraestrutura

Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou nesta sexta-feira, 20, em entrevista ao canal GloboNews, que o governo federal não vai determinar o fechamento dos aeroportos, medida que, segundo ele, poderia gerar problemas de abastecimento

20 de março de 2020
13:37 - atualizado às 13:56
Tarcísio de Freitas, ministro da infraestrutura do governo Bolsonaro
Tarcísio de Freitas, ministro da infraestrutura do governo Bolsonaro. - Imagem: Alan Santos/PR

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou nesta sexta-feira, 20, em entrevista ao canal GloboNews, que o governo federal não vai determinar o fechamento dos aeroportos, medida que, segundo ele, poderia gerar problemas de abastecimento. De acordo com ele, não se pode "criar barreiras sanitárias" que impeçam o transporte de produtos essenciais.

Freitas disse ainda que o decreto do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, "padece de legalidade" e que o próprio governador sabe disso.

"Ele criou uma saída para isso, ao dizer que o decreto depende do aval da agência federal, jogando a responsabilidade para a União, mas não vai haver fechamento de aeroportos", disse o ministro, que lembrou que o tema é competência da União e disse que os contratos com o setor aeroportuário serão "reequilibrados."

Para o ministro, não é o momento para disputas políticas e para tomar medidas que não tenham sido devidamente pensadas. "Momentos de crise são momentos de disciplina, para seguir a legislação", afirmou Freitas, que disse que vai propor a criação de um conselho nacional de transportes, com a participação dele e dos secretários estaduais de transportes, para que as ações sejam coordenadas. "Medidas não coordenadas têm efeitos colaterais negativos sobre abastecimento", comentou.

O ministro demonstrou preocupação com a possibilidade de o País passar por uma crise de abastecimento semelhante à da greve dos caminhoneiros. "Precisamos manter a boa logística funcionando", disse. "Nós vamos garantir abastecimento e logística de insumos", afirmou. O ministro também disse que o governo deve editar medidas para mostrar essencialidade do setor portuário.

Freitas afirmou que o País não pode virar uma desordem e mostrou confiança que a crise será superada. "O brasileiro é criativo, competente e solidário", afirmou o ministro, que disse que algumas empresas estão se oferecendo para ajudar, dando o exemplo da Ambev e da Cosan, que se ofereceram para produzir álcool em gel.

Decreto sobre transportes

Freitas disse também que será publicado decreto com novas orientações para o transporte interestadual de passageiros, que vai tratar sobre a higienização dos ônibus, o espaçamento entre pessoas e a restrição de frequência. "O decreto vai tratar desse arranjo, desse conselho de transportes para que a gente possa fazer a interlocução interfederativa em ambiente de coordenação, observando a necessidade de achatar a curva de disseminação e, ao mesmo, preservar a logística."

Tarcísio também disse que o controle em aeroportos e rodovias vai aumentar para tentar conter a disseminação da pandemia de coronavírus, respeitando às orientações da Anvisa e do Ministério da Saúde.

Destacou ainda que vai mobilizar as unidades do Sest/Senat e pedir apoio das concessionárias de estrada para dar apoio à saúde dos caminhoneiros, com o objetivo de conciliar as medidas de contenção da disseminação do vírus com a preservação da logística e da circulação de pessoas e produtos para garantir o abastecimento no País.

Portos

Sobre os portos, o ministro disse que será feita imediatamente uma medida para o setor, mostrando que é uma atividade essencial e afastando os trabalhadores mais vulneráveis, regulamentando uma renda mínima. Segundo Tarcísio, essa medida já está prevista na Lei dos Portos, e o operador vai arcar com esse custo e depois o governo reequilibra o contrato com a empresa. "É uma medida para permitir a continuidade desses equipamentos, preservando a saúde dos trabalhadores."

Para a população, o ministro disse que é preciso seguir as medidas que foram orientadas pelo Ministério da Saúde e ressaltou que o isolamento é uma ação dura, mas eficaz.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Crise hídrica

Ministro de Minas e Energia descarta racionamento e diz trabalhar para evitar apagão

Com níveis alarmantes nas usinas hidrelétricas, até mesmo a volta do horário de verão é considerada por alguns membros do governo e indústria

Negócio da China?

SEC confirma pausa em IPOs de empresas chinesas; agência reguladora dos EUA fará novas orientações sobre riscos

Em meio à ofensiva regulatória de Pequim, a SEC busca novas orientações ao mercado sobre os riscos envolvidos em comprar ações de companhias do país asiático

Passo à frente

Rumo ao “outro patamar”: EQI, que trocou a XP pelo BTG, recebe autorização para abrir corretora

Depois de ser pivô de disputa entre os bancos, escritório de agentes autônomos dá um passo decisivo para ter “vida própria” no mercado

Estreia forte

Ações da ClearSale estreiam na bolsa com disparada de 20% após IPO

No 40º IPO na B3 no ano, empresa de soluções antifraude movimentou pouco mais de R$ 1 bilhão

Deu ruim, Jeff Bezos

Quando o bom não é suficiente: Amazon despenca e afunda o Nasdaq após trimestre frustrante

As ações da Amazon têm a maior queda desde março do ano passado, afetadas pela perspectiva de desaceleração no crescimento das receitas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies