Menu
2020-01-11T09:24:52-03:00
Após fechar acima da meta...

‘Inflação não causa preocupação, pois foi concentrada’, diz coordenador do IPC

Avaliação é do pesquisador André Braz, coordenador IPC medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV)

11 de janeiro de 2020
9:24
inflação consumo
Imagem: Shutterstock

O cenário de inflação em 2020 não preocupa, na avaliação do pesquisador André Braz, coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), porque a aceleração da inflação no fim de 2019 foi concentrada em poucos itens.

A carne, tanto vermelha quanto de aves e de porco, os bilhetes lotéricos da Caixa e os combustíveis foram os vilões dessa aceleração final da inflação, que acabou levando o IPCA, índice oficial calculado pelo IBGE, a fechar o ano passado com alta de 4,31%, ligeiramente acima da meta de 4,25% perseguida pelo Banco Central (BC).

Justamente por serem poucos os vilões, o quadro climático favorável e a demanda fraca em meio à recuperação lenta da economia deverão manter a inflação comportada em 2020, disse Braz. A seguir, os principais trechos da entrevista.

O que foi destaque na inflação ao consumidor em 2019?

A carne chamou muito atenção, a taxa do IPCA acumulado em 12 meses até outubro estava com alta de 2,54%. Aí, quando observamos as variações no último trimestre do ano, há uma aceleração mais forte dos preços, principalmente em torno das proteínas. Estamos falando muito da carne bovina, mas a carne de aves e a suína também subiram bastante. Não na magnitude da bovina, mas avançaram bastante também.

Só as carnes foram as vilãs?

Em paralelo, tivemos também, em novembro, o reajuste dos jogos lotéricos. Pouco ouvimos falar disso, mas ali estão as loterias da Caixa. Elas não sobem de preço todo ano. A Caixa fica alguns anos sem reajustar e, aí, quando promove o reajuste, é um choque e tanto. Este ano, o reajuste médio foi de 40%. Mesmo que tenha um peso pequeno, faz diferença. Dois terços desse reajuste ficaram em novembro e um terço, em dezembro. Fora isso, tivemos também a aceleração do preço da gasolina e do etanol, que ajudaram um pouco a engrossar esse caldo.

A aceleração da gasolina e do etanol não tem nada a ver com as tensões recentes no Oriente Médio, certo?

Não. Está por trás disso aquela desvalorização cambial, em que o dólar chegou a R$ 4,20 e tantos (em novembro). Agora, o câmbio está mais estável, em R$ 4,09, mas ele estava R$ 3,99 num dia (até 5 de novembro) e, no outro (em 11 de novembro), já estava em R$ 4,15. Tanto o câmbio quanto o preço do barril do petróleo ajudam a promover reajustes na gasolina.

Então é um choque passageiro? Preocupa a inflação como um todo?

Não preocupa. O que preocupa a inflação de um modo geral é quando os preços começam a aumentar de maneira mais persistente e espalhada, quando começamos a perceber que a inflação não está concentrada em carnes, gasolina e jogos lotéricos, mas está em tudo. Quando a inflação espalha muito, com o processo inflacionário persistindo em vários segmentos, é quando precisamos acender a luz amarela. Só que ela está muito concentrada em itens que sabemos explicar por que subiram.

E como fica a inflação de 2020, diante desses itens que subiram muito?

É provável que as carnes continuem na pauta de desafios, mas o resto é tranquilo.

Tranquilo por quê?

Não temos nenhuma previsão meteorológica que desafie a agricultura. Não é ano de El Niño nem de La Niña ou de falta de água. Isso é bom para a agricultura e bom para a geração de energia elétrica, porque vamos poder contar com os reservatórios (das usinas hidrelétricas) cheios. Então, nesses pontos, não teremos nem pressão de preços administrados (por causa da conta de luz) nem de alimentos. Além disso, como a inflação de 2019, apesar de um pouquinho acima da meta, foi baixa, para 2020, a inércia inflacionária é menor, ou seja, o reajuste de preços indexados será feito por uma inflação mais baixa, e isso não realimenta o processo inflacionário.

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

MUDANÇA DE CARGO

Marinho anuncia que secretário Leonardo Rolim será novo presidente do INSS

Atualmente, 1,3 milhão de solicitações de benefício estão sem análise há mais de 45 dias, prazo legal para que o INSS dê uma resposta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O que fazer diante do coronavírus

Caro leitor, A essa altura, você talvez já saiba que o coronavírus causa infecções do trato respiratório superior, cujos sintomas principais são coriza, dor de garganta e febre. A doença pode chegar ao trato respiratório inferior, o que é mais comum em pessoas com doenças cardiopulmonares, com sistema imunológico comprometido ou idosos. Você também já […]

De volta aos 116 mil pontos

Dia de correção: Ibovespa se recupera e fecha em alta de mais de 1,5%; dólar cai a R$ 4,19

Após amargar perdas de mais de 3% na segunda-feira, o Ibovespa teve um dia de alívio e encerrou com ganhos firmes, acompanhando o tom de maior calmaria no exterior. O coronavírus, no entanto, segue trazendo cautela às negociações

VEM, CHINESES

Doria diz que continua estimulando chineses a comprar instalações da Ford

No ano passado, Doria tentou ajudar o grupo brasileiro Caoa a comprar a planta da Ford e chegou a convocar uma coletiva de imprensa para anunciar um acerto entre as duas empresas. No entanto, as negociações não prosperam

DÍVIDA

Dívida pública federal sobe 1,03% em dezembro, e fecha 2019 em R$ 4,248 trilhões

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) subiu 1,22% em dezembro fechou o ano em R$ 4,033 trilhões

DE OLHO NOS GASTOS

Gasto de estrangeiro fica estagnado

Apesar do aumento no volume de pessoas de países com isenção de visto que vieram ao Brasil, isso não se refletiu no montante total de gastos dos turistas de fora

AVALIAÇÃO NEGATIVA

Após aumento de custos e queda nos lucros, Credit Suisse corta preço-alvo para ações da Cielo

Entre os pontos de atenção citados pelos analistas no relatório está a queda de margens, que alcançaram os menores níveis já vistos

as queridinhas dos jovens

Apple, Amazon e Tesla estão entre as ações preferidas dos millennials; confira ranking

Empresa diz ter analisado 734 mil contas de investimento de americanos com idade média de 31 anos

Azul, JBS, Cielo e Petrobras: os destaques do Ibovespa nesta terça-feira

O mercado reagiu positivamente às novidades anunciadas pela Azul em sua gestão de frota — e, como resultado, as ações da companhia aérea dispararam. Já a Cielo teve um dia intenso na bolsa, em meio à divulgação do balanço trimestral da companhia

motivo de preocupação dos mercados

Brasil investiga caso suspeito de coronavírus

Caso a infecção por coronavírus seja confirmada, o nível de alerta no país sobe para de Emergência de Saúde Pública Nacional, quando há a possibilidade de o vírus já estar em circulação no país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements