Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-01-29T18:57:18-03:00
Estadão Conteúdo
TESOURO

Governo central tem déficit de R$ 95,065 bilhões em 2019

O resultado de 2019 foi pior do que as expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava déficit de R$ 79,9 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast junto a 24 instituições financeiras

29 de janeiro de 2020
18:57
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

O caixa do governo central registrou um déficit primário de R$ 95,065 bilhões em 2019, o melhor desempenho anual desde 2014 na série histórica, que tem início em 1997. O resultado, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 120,221 bilhões de 2018.

O déficit do governo central em 2019 equivalente a 1,31% do Produto Interno Bruto (PIB) e ficou abaixo da meta fiscal do ano, que admite um déficit de até R$ 139 bilhões (1,91% do PIB).

O resultado de 2019 foi pior do que as expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava déficit de R$ 79,9 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast junto a 24 instituições financeiras. O dado do ano passado ficou dentro do intervalo das estimativas, que eram de déficit R$ 113,1 bilhões a R$ 71,0 bilhões.

Em dezembro, o governo central registrou déficit de R$ 14,637 bilhões, o melhor resultado para o mês desde 2014. O dado veio dentro do o intervalo da pesquisa, que era de déficit de R$ 32,8 bilhões a superávit de R$ 9 bilhões, e pior que a mediana das expectativas, positiva em R$ 512 milhões.

Receitas

O resultado de dezembro representa alta real de 54,9% nas receitas em relação a igual mês do ano passado, em razão do pagamento do bônus do leilão da cessão onerosa. Já as despesas tiveram alta real de 33,7% no mês, devido à transferência de parte dos recursos do leilão para Estados e municípios.

No acumulado do ano, as receitas do governo central subiram 6,1% ante 2018, enquanto as despesas aumentaram 2,7% na mesma base de comparação.

Tesouro, INSS e BC

As contas do Tesouro Nacional - incluindo o Banco Central - registraram um superávit primário de R$ 118,114 bilhões em 2019. Em dezembro, o déficit primário nas contas do Tesouro Nacional (com BC) foi de R$ 2,520 bilhões.

Já o resultado do INSS foi um déficit de R$ 213,179 bilhões no ano passado. Só em dezembro, o resultado foi negativo em R$ 12,117 bilhões.

As contas apenas do Banco Central tiveram déficit de R$ 596 milhões no ano e superávit de R$ 17 milhões no mês passado.

Receita líquida

A receita líquida do governo central aumentou R$ 70,6 bilhões em dezembro de 2019, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, pelo recebimento de recursos da cessão onerosa, cujo efeito líquido de transferência foi de R$ 58,2 bilhões.

O resultado líquido para a União, porém, foi de R$ 23,8 bilhões, já que foram pagos ainda 34,4 bilhões à Petrobras relativo ao acordo com a União. Houve ainda em dezembro ingresso de R$ 8,9 bilhões da 16ª rodada de concessões de campos de petróleo e R$ 5 bilhões da 6ª rodada do pré-sal.

Déficit previdenciário

O Tesouro Nacional informou ainda que o rombo previdenciário total do País no ano passado chegou a R$ 317,9 bilhões, equivalentes a 4,3% do PIB.

A conta inclui o déficit de R$ 217,5 bilhões do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) - dado corrigido pelo IPCA de dezembro -, e o déficit de R$ 100,4 bilhões no Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) dos servidores civis e das pensões de militares.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Crise dos chips

Sem carro zero no mercado, preço de usados sobe até 20% e vendas disparam – carro usado chega a custar mais que um novo

Mercado enfrenta escassez de semicondutores, demanda alta por veículos e prazos longos para a entrega

sem escassez

Fábrica da Tesla em Xangai deve terminar setembro com 300 mil carros produzidos em 2021

Marca será atingida mesmo em meio a uma escassez global de semicondutores, disseram duas fontes da montadora à Reuters

Fim da pandemia

CEO da Pfizer prevê que voltaremos à vida normal dentro de um ano, mesmo com novas variantes do coronavírus

Albert Bourla acredita que vacinação contra a covid-19 se tornarão anuais, para cobrir novas variantes, e que vacinas durarão um ano

ainda não acabou

Controladores da Alliar (AALR3) contratam XP para vender o negócio, diz jornal

Empresa de diagnósticos foi alvo, recentemente, de disputa pelo controle pela Rede D’Or e fundos ligados ao empresário Nelson Tanure

Mais recursos

Democratas aprovam pacote de US$ 3,5 tri no Comitê de Orçamento da Câmara dos EUA

Recursos serão destinados à rede de segurança social e programas relacionados a mudanças climáticas. Obtenção de quase unanimidade para aprovação no Congresso é desafio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies