Menu
2020-02-05T11:39:03-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
um pouco acima do esperado

Déficit comercial dos EUA avança 12% em dezembro e chega a US$ 49 bilhões

Analistas consultados pelo The Wall Street Journal previam déficit comercial um pouco menor em dezembro, de US$ 48,3 bilhões

5 de fevereiro de 2020
11:36 - atualizado às 11:39
Estados Unidos
Imagem: shutterstock

O déficit comercial dos Estados Unidos cresceu 11,9% em dezembro de 2019 ante o mês anterior, chegando a US$ 48,88 bilhões, segundo dados com ajustes sazonais publicados hoje pelo Departamento do Comércio americano.

Analistas consultados pelo The Wall Street Journal previam déficit comercial um pouco menor em dezembro, de US$ 48,3 bilhões.

O saldo negativo da balança de novembro foi ligeiramente revisado para cima, de US$ 43,09 bilhões para US$ 43,69 bilhões.

As exportações dos EUA subiram 0,8% em dezembro ante novembro, a US$ 209,64 bilhões, mas as importações tiveram expansão maior no mesmo período, de 2,7%, a US$ 258,52 bilhões.

Ao longo de 2019, o déficit comercial dos EUA em bens e serviços encolheu 1,7%, a US$ 616,8 bilhões, apresentando sua primeira redução desde 2013.

Apenas com a China, o déficit americano no comércio de bens registrou queda de 17,6% no ano passado, a US$ 345,62 bilhões, atingindo o menor patamar desde 2014. As exportações de bens dos EUA para a China recuaram 11,3% no ano passado, enquanto as importações de bens do país asiático caíram 16,2%.

Em meados de janeiro, os EUA fecharam um acordo comercial preliminar com a China, revertendo parte de tarifas adicionais que haviam imposto a produtos um do outro.

*Com Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

saúde

Brasil confirma primeiro caso do novo coronavírus

Hospital Israelita Albert Einstein registrou no Ministério a notificação de caso suspeito em um paciente de 61 anos, que esteve recentemente na Itália

ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO

‘Estamos em um mundo caro. Não dá mais para comprar ações aleatoriamente’, diz sócio da Geo Capital

Para Gustavo Aranha, a recente queda no preço das ações provocada pelo surto de coronavírus abre oportunidades para comprar ações de boas companhias no exterior que antes estavam caras.

OLHO NO VÍRUS

Coronavírus está contido em solo americano sem impactos na cadeia produtiva

O assessor da Casa Branca também disse que não vê nenhum movimento do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) para cortes de juros em uma resposta ao “pânico” do coronavírus

MERCADOS HOJE

Bolsas europeias terminam mais um dia em queda acentuada, de olho no coronavírus

Outro que registrou perdas foi o índice acionário italiano, mas em menor grau. Após registrar a maior contração entre as bolsas ontem, o índice da Itália (FTSE-MIB) recuou 1,44% e fechou em 23.090,44 pontos nesta terça-feira

AVIAÇÃO

‘Portugal pode ajudar na venda do C-390’, diz ministro da Defesa do país

O governo de Portugal é sócio da Embraer na OGMA, de manutenção de aeronaves, com uma participação de 35%

CORONAVÍRUS

EUA pedem que Congresso autorize gasto de US$ 2,5 bilhões para conter coronavírus

Os Estados Unidos confirmaram 14 casos de infecção pelo coronavírus em sete Estados diferentes, mas não relataram mortes

ENERGIA

País tem ‘folga’ de energia pelo menos até 2024

“Temos uma folga estrutural, pois tivemos um aumento de capacidade instalada sem a contrapartida de aumento de consumo”, diz Cristopher Vlavianos

ESTÍMULO PARA AS EMPRESAS

China anuncia medidas para ampliar crédito a empresas atingidas pelo coronavírus

Em reunião presidida pelo primeiro-ministro Li Keqiang, o conselho disse que aumentará em 500 bilhões de yuans (US$ 71,2 bilhões) a cota de refinanciamento para empréstimos de bancos a pequenas empresas e fazendeiros

EM BUSCA DE PROTEÇÃO

Temor global com coronavírus faz ouro alcançar maior cotação desde 2013

Apenas neste ano, o ETF acumula alta de 8,25%. A razão para a valorização é uma só: ele é considerado porto seguro de quem investe quando o cenário externo parece mais incerto

JUROS

Crescem apostas do mercado de que FED pode cortar juros nas próximas reuniões

Dados do CME Group mostram que os investidores enxergam 18,8% de chance de um novo corte de juros de 0,25 ponto porcentual na reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) de março

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements