Menu
2020-01-22T10:29:31-03:00
Estadão Conteúdo
Fórum econômico mundial

Davos: clima pesa mais para investidor do que trapalhada política no Brasil

No início do segundo semestre do ano passado, os incêndios na Amazônia chamaram a atenção de todo o mundo. E três dos entrevistados ressaltaram a demora do governo em agir

22 de janeiro de 2020
10:13 - atualizado às 10:29
Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça
Imagem: Shutterstock

Polêmicas sobre meio ambiente respingam mais sobre a decisão do investidor internacional iniciar ou ampliar negócios no Brasil do que as recentes confusões políticas. Esse foi o sentimento de executivos brasileiros e estrangeiros consultados pelo Estadão/Broadcast informalmente nos corredores do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça.

Um assunto que tomou conta do noticiário internacional recentemente foi a demissão do dramaturgo Roberto Alvim, que parafraseou em discurso o ideólogo nazista Joseph Goebbels em vídeo no qual também se ouvia uma das obras favoritas de Hitler, a ópera Lohengrin, do compositor Richard Wagner. Após a exoneração, o ex-secretário da Cultura compartilhou mensagem no WhatsApp dizendo desconfiar de uma "ação satânica" por trás do vídeo e de sua demissão.

"Esse foi mais um caso em que o governo trocou os pés pelas mãos, mas, sinceramente, isso não mexe com os investimentos, apesar de afetar a imagem principalmente na Europa e, mais especificamente ainda, na Alemanha", disse um dos executivos consultados. Outro comentou que o caso chegou a ser "obsceno", mas ressaltou que a reação imediata das redes sociais pressionou o presidente Jair Bolsonaro a tirar Alvim do cargo.

Uma terceira fonte comentou ainda que, enquanto forem isolados, os casos são tratados no exterior apenas como alegoria. "Muita gente vê o Brasil aqui fora apenas como o país do carnaval, da música e do futebol. Esse seria mais um novo perfil a ser reconhecido no exterior: o das trapalhadas do governo. Pode até não impedir investimentos, mas claramente também não ajuda."

Para os entrevistados, porém, o governo não pode mais brincar em relação ao clima, que ganhou atenção de todo o mundo nos últimos anos. O próprio Fórum tem dado destaque para o tema e uma das conversas nas ruas de Davos é a de que o frio este ano na pequena cidade conhecida pelos resorts de ski não está tão forte quanto em anos anteriores, quando a temperatura chegou a -23ºC. No geral, o inverno tem se mostrado menos rigoroso em toda a Europa e muitos atribuem essas temperaturas não tão baixas assim justamente às mudanças climáticas.

No início do segundo semestre do ano passado, os incêndios na Amazônia chamaram a atenção de todo o mundo. E três dos entrevistados ressaltaram a demora do governo em agir. "Se isso acontecer novamente neste ano, se houver queimadas na época mais seca e o governo demorar para agir, será um problema", anteviu um deles.

Outro entrevistado salientou que é "uma pena" o Brasil ser apontado no exterior por causa dos incêndios na Amazônia justamente em um momento em que o setor produtivo e financeiro parece ter aderido à causa por meio de seus produtos, serviços e instrumentos. "O Brasil tinha tudo para estar nessa vanguarda, mas provavelmente perderá mais uma vez o bonde, e por bobagem", lamentou.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

reajuste

Petrobras aumenta preço da gasolina em 4%

Os preços do óleo diesel para consumo automotivo e marítimo foram mantidos. O reajuste passa a valer amanhã

ações sobem 65% em 2020

3ª maior alta do Ibovespa em 2020, Marfrig tem rating elevado de BB- para BB pela Fitch

Fitch elevou o rating da companhia de BB- para BB com melhora do perfil financeiro e de negócios. Ações da Marfrig apenas têm menor alta percentual que as de Weg e Magalu no Ibovespa no ano

SOB NOVA DIREÇÃO

Bolsonaro nomeia André Brandão como presidente do Banco do Brasil

Nomeação foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira

mercado agora

Dólar dispara ante moedas emergentes e flerta com a faixa dos R$ 5,50

Moeda norte-americana registra alta acentuada no início de uma série de depoimentos de Jerome Powell perante o Congresso dos EUA

dia da bateria

Elon Musk provoca forte queda das ações da Tesla em dia de anúncio da empresa

Bilionário disse que as melhorias nas baterias a serem reveladas não serão produzidas em larga escala até 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements