Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-01-28T20:22:35-03:00
SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O que fazer diante do coronavírus

28 de janeiro de 2020
19:22 - atualizado às 20:22
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Caro leitor,

A essa altura, você talvez já saiba que o coronavírus causa infecções do trato respiratório superior, cujos sintomas principais são coriza, dor de garganta e febre. A doença pode chegar ao trato respiratório inferior, o que é mais comum em pessoas com doenças cardiopulmonares, com sistema imunológico comprometido ou idosos.

Você também já deve saber que a transmissão do vírus pode se dar pelo ar, pelo contato pessoal próximo ou com superfícies contaminadas, e que a prevenção envolve alguns hábitos que a gente já conhece bem - lavar as mãos com frequência, manter os ambientes ventilados, não compartilhar objetos de uso pessoal etc.

Pode ser que você já tenha até mesmo garantido um estoque de álcool gel e algumas máscaras caso o vírus chegue ao Brasil - já há três casos suspeitos no país - e a corrida às farmácias leve a uma crise de desabastecimento desses itens.

Mas e em relação ao seu dinheiro, você sabe o que fazer? Afinal, a disseminação da doença causada pelo coronavírus contaminou os mercados e deixou as bolsas mundiais em estado de cautela máxima. Hoje, felizmente, tivemos um dia de alívio. Depois do tombo de 3,29% ontem, o Ibovespa teve, nesta terça, um dia de recuperação parcial. O dólar também teve um leve recuo.

Para o nosso colunista Felipe Miranda, não é hora de agir. No seu texto de hoje, ele relembra como outras epidemias afetaram os mercados e tece as suas recomendações (para o bolso, não para a saúde) neste momento delicado.

Já o Victor Aguiar, que acompanhou o pregão, lembra que a alta de hoje foi fruto de um movimento puramente técnico, pois a tensão dos mercados com o vírus que já matou 106 pessoas na China permanece.

Sem preocupação

Como o Banco Central observa a variação do dólar e quando decide atuar no mercado de câmbio? Foi a essa pergunta que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, respondeu nesta terça a uma plateia formada por investidores e executivos de empresas, durante evento promovido pelo Credit Suisse. Campos Neto afirmou que o BC monitora se a alta da moeda americana altera as variáveis de risco, seja retardando as decisões de investimento, seja afetando as variáveis de inflação. Mas, segundo ele, nenhuma das duas coisas foi observada na escalada recente. O Vinícius Pinheiro estava lá e conta mais sobre as razões do presidente do BC, que também falou sobre competição bancária.

Cada vez mais ambiciosa

No mesmo evento do Credit, o presidente do Magazine Luiza, Frederico Trajano, disse que tem planos “extremamente ambiciosos” para a varejista nos próximos anos. Segundo ele, o varejo on-line brasileiro ainda guarda grandes oportunidades. O Vini conta tudo sobre a fala do CEO do Magalu nesta matéria.

De mal a pior 

A expectativa do mercado para o resultado da Cielo não era das mais positivas. Mas depois de ver que as margens ficaram ainda mais comprimidas e que o lucro sofreu uma queda feia, os analistas do Credit Suisse optaram por cortar o preço-alvo das ações da gigante das maquininhas de pagamento. A Bruna Furlani te explica melhor a avaliação dos analistas aqui. 

Bem baixinho

As estatais federais executaram apenas 45,7% dos investimentos previstos para 2019, o menor índice dos últimos cinco anos. Segundo relatório do Ministério da Economia, a maioria dos recursos foram aplicados na região Sudeste, enquanto a região Centro-Oeste não teve investimento algum. Confira, nesta matéria, quais foram as estatais que investiram mais e menos no ano passado.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO

‘Estamos em um mundo caro. Não dá mais para comprar ações aleatoriamente’, diz sócio da Geo Capital

Para Gustavo Aranha, a recente queda no preço das ações provocada pelo surto de coronavírus abre oportunidades para comprar ações de boas companhias no exterior que antes estavam caras.

OLHO NO VÍRUS

Coronavírus está contido em solo americano sem impactos na cadeia produtiva

O assessor da Casa Branca também disse que não vê nenhum movimento do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) para cortes de juros em uma resposta ao “pânico” do coronavírus

MERCADOS HOJE

Bolsas europeias terminam mais um dia em queda acentuada, de olho no coronavírus

Outro que registrou perdas foi o índice acionário italiano, mas em menor grau. Após registrar a maior contração entre as bolsas ontem, o índice da Itália (FTSE-MIB) recuou 1,44% e fechou em 23.090,44 pontos nesta terça-feira

AVIAÇÃO

‘Portugal pode ajudar na venda do C-390’, diz ministro da Defesa do país

O governo de Portugal é sócio da Embraer na OGMA, de manutenção de aeronaves, com uma participação de 35%

CORONAVÍRUS

EUA pedem que Congresso autorize gasto de US$ 2,5 bilhões para conter coronavírus

Os Estados Unidos confirmaram 14 casos de infecção pelo coronavírus em sete Estados diferentes, mas não relataram mortes

ENERGIA

País tem ‘folga’ de energia pelo menos até 2024

“Temos uma folga estrutural, pois tivemos um aumento de capacidade instalada sem a contrapartida de aumento de consumo”, diz Cristopher Vlavianos

ESTÍMULO PARA AS EMPRESAS

China anuncia medidas para ampliar crédito a empresas atingidas pelo coronavírus

Em reunião presidida pelo primeiro-ministro Li Keqiang, o conselho disse que aumentará em 500 bilhões de yuans (US$ 71,2 bilhões) a cota de refinanciamento para empréstimos de bancos a pequenas empresas e fazendeiros

EM BUSCA DE PROTEÇÃO

Temor global com coronavírus faz ouro alcançar maior cotação desde 2013

Apenas neste ano, o ETF acumula alta de 8,25%. A razão para a valorização é uma só: ele é considerado porto seguro de quem investe quando o cenário externo parece mais incerto

JUROS

Crescem apostas do mercado de que FED pode cortar juros nas próximas reuniões

Dados do CME Group mostram que os investidores enxergam 18,8% de chance de um novo corte de juros de 0,25 ponto porcentual na reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) de março

CRIPTOMOEDAS

Buffett volta a dizer que “criptomoedas não têm valor e que nunca terá uma”

Apesar de não gostar muito das moedas digitais, o bitcoin não vem fazendo feio. Nos últimos 12 meses, a criptomoeda acumula valorização de 191,50%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu