Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2020-06-18T19:38:53-03:00
seu dinheiro na sua noite

Do samba aos clássicos, essa renda fixa está diferente

18 de junho de 2020
19:38
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Alô povão, agora é sério! Canta Seu Dinheiro, seguuura! O Carnaval ainda está longe – e nem mesmo sei como será a folia em tempos de coronavírus no ano que vem.

Mas quando o assunto é investimentos, quem estiver em busca de algum retorno para suas aplicações terá de cair logo no samba.

Desde que a taxa básica de juros (Selic) começou a cair, o rendimento das aplicações mais conservadoras saiu daquele saudoso 1% ao mês para míseros 0,09% ao mês a partir de hoje.

Isso não significa que a renda fixa morreu, como os especialistas de YouTube alardeiam toda vez que o BC reduz os juros. Aliás, vida longa à renda fixa!

Dentro da categoria existe todo um mundo a ser explorado, dos títulos públicos prefixados aos corrigidos pela inflação, disponíveis em diversos vencimentos no Tesouro Direto.

Isso sem falar nos papéis de empresas, como as debêntures, e os CDBs e títulos isentos de IR dos bancos.

É importante dizer que em ambos os casos você vai correr algum risco, seja o de mercado com uma possível alta dos juros – no caso dos títulos públicos que não são pós-fixados – ou de crédito nos papéis privados.

É por isso que, seja qual for o nível da Selic, você precisará manter uma parcela da carteira nas aplicações mais conservadoras. É o caso da reserva de emergência – aquele dinheiro que você pode precisar a qualquer momento.

A grande questão é que o corte da Selic para 2,25% mudou o jogo de forças dos investimentos “clássicos”, como a caderneta de poupança e o Tesouro Selic.

Se você também é fã dos clássicos como a Julia Wiltgen, não perca a matéria que ela preparou sobre como fica o retorno dessas aplicações.

Um craque no nosso time

Eu nunca vi Pelé jogar, mas dizem que o espetáculo era tão fabuloso que os espectadores deveriam pagar o ingresso novamente ao fim de cada partida. Posso dizer o mesmo sobre os textos que o Ivan Sant'Anna escreve para o Seu Dinheiro Premium – o deste mês está imperdível. Você pode ter acesso às crônicas exclusivas do mestre e outros benefícios do nosso clube VIP de leitores por apenas R$ 5,00. Conheça por 30 dias sem compromisso.

Dólar sob pressão

O dia foi movimentado nos mercados, que repercutiram o juro básico na mínima histórica e também a prisão de Fabrício Queiroz, ligado à família do presidente Jair Bolsonaro. Com isso, o dólar operou sob pressão, terminando o dia em alta de mais de 2%, cotado a R$ 5,3708. A bolsa, no entanto, teve um dia relativamente tranquilo e subiu 0,60%. O Victor Aguiar explica as razões para esses desempenhos tão distintos.

Dividendo supera Selic

São novos tempos nos investimentos. Com mais uma queda da Selic para a mínima histórica, agora a 2,25%, o retorno dos dividendos das ações do Ibovespa superaram a taxa básica de juros pela primeira vez. Esse rendimento é hoje de 4%, pelos cálculos da XP Investimentos. Saiba quais são as empresas campeãs nos rendimentos aos acionistas.

Queiroz na área

A temperatura política em Brasília esquentou de tal forma hoje em Brasília que a saída do ministro da Educação, Abraham Weintraub, ficou em segundo plano. O assunto mais comentado foi a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, filho do presidente. Bolsonaro convocou os principais auxiliares para traçar uma estratégia de reação. Veja como foi a movimentação no Planalto.

Saudades do PIBinho

A prévia da atividade econômica brasileira mostra o tamanho do tombo que deve sofrer em consequência da pandemia do coronavírus. Em abril, a queda na atividade foi de 9,73%, segundo o IBC-Br do Banco Central. A contração do indicador se intensificou em relação a março, quando apontou retração de 6,16%. O BC atualmente espera que o PIB fique parado em 2020 — nova estimativa virá dia 25.

Recuperação na moda

Com dívidas de pouco mais de R$ 500 milhões desde o ano passado, a InBrands voltou para as mãos do empresário Nelson Alvarenga, fundador da Ellus, em 2017. As coisas não andaram bem e a empresa prepara uma recuperação judicial pelo fechamento das lojas em consequência da pandemia do coronavírus. Conheça a delicada situação financeira da InBrands, que também é dona da Richards, Salinas, VR e Alexandre Herchcovitch.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

coronavírus

Covid-19: Brasil tem 8,4 milhões de casos e 61 mil novos diagnósticos nas últimas 24h

Segundo ministério, 7.388.784 pacientes recuperaram-se da doença

Melou

Carrefour e Couche-Tard anunciam encerramento das negociações

O Couche-Tard e o Carrefour, contudo, destacaram que estenderão as discussões para avaliar “eventuais oportunidades na área de parcerias operacionais”

Estrada do futuro

Como as empresas mentem para você sobre o crescimento exponencial

A palavra “exponencial” está batida. Todo mundo se diz exponencial. O Google é exponencial, a Amazon é exponencial… então toda empresa de tecnologia é exponencial? Não. Entenda as diferenças

Mais uma opção

Empresa protocola na Anvisa pedido para uso emergencial da Sputnik V

Neste domingo, Anvisa se reunirá para tratar de pedidos para uso de vacinas CoronaVac e a da AstraZeneca/Oxford

Seguro obrigatório

Pagamento de indenizações do DPVAT passa a ser feito pela Caixa

Banco agora é o responsável pela gestão dos recursos do seguro e pelo pagamento das indenizações. A medida começa a valer a partir desta segunda-feira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies