Menu
Robert Kiyosaki
Coluna do Pai Rico, Pai Pobre
Robert Kiyosaki
Robert Kiyosaki é autor do best seller Pai Rico, Pai Pobre e outros 25 livros sobre finanças
2020-02-05T12:32:13-03:00
COLUNA DO PAI RICO, PAI POBRE

Bitcoin renasce das cinzas

O bitcoin entrou em cena em 2009, bem quando o sistema bancário estava à beira do colapso. Uma grande vantagem das criptomoedas e das tecnologias blockchain é a confiança e a segurança fora do sistema bancário. À medida que as criptomoedas evoluem, o poder do sistema bancário perde o controle da liberdade financeira do mundo.

1 de fevereiro de 2020
5:00 - atualizado às 12:32
bitcoin bolsa
Imagem: Shutterstock

Em 2018, quando comecei a escrever meu livro mais recente, FAKE: Fake Money, Fake Teachers, Fake Assets, a maioria das pessoas ainda não entendia a importância da mensagem de Nixon em 1971.

Como meu pai rico me alertou, "o mundo está prestes a mudar". E mudou.

Ao tirar o dólar dos EUA do padrão ouro, o Presidente Nixon fez uma das maiores mudanças na história do mundo. Infelizmente, poucas pessoas compreendem — ainda hoje — o quanto essa mudança afeta todas as nossas vidas, em todo o mundo.

Isso inclui o que chamo de "dinheiro do povo", ou criptomoeda.

Ao longo da história, "dinheiro" tem significado muitas coisas diferentes. O dinheiro assumiu a forma de conchas, miçangas coloridas, penas, animais vivos e pedras grandes.

Nos últimos anos, o governo dos EUA criou dinheiro do nada por meio do que é conhecido como flexibilização quantitativa. Isso significa que ele reforçou o balanço do Fed comprando títulos do Tesouro dos EUA para manter as taxas de juros baixas, na esperança de estimular a economia por esses meios artificiais. É o equivalente a você ou qualquer outra pessoa imprimir dinheiro para pagar as dívidas pessoais com cartão de crédito. E funcionou... Por enquanto.

De acordo com a Bloomberg:  “De 2008 a 2015, o valor nominal das ações globais de ativos investíveis aumentou cerca de 40%, para mais de US$ 500 trilhões, a partir de US $ 350 trilhões. No entanto, os ativos reais por trás desses números mudaram pouco, refletindo, de fato, a natureza inflacionária de ativos da flexibilização quantitativa. Os efeitos da inflação de ativos são tão profundos quanto os da inflação ao consumidor, bem mais conhecida. ”

Os efeitos da flexibilização quantitativa foram impulsionar o balanço patrimonial daqueles que já eram ricos. Bem como manter os salários estagnados e criar uma bolha no mercado de ações.

Isso significa que, quando o mercado de ações entrar em colapso, e quando a inflação do consumidor surgir a partir do dinheiro da bolsa movendo-se para lugares diferentes, os poupadores serão os maiores perdedores.

Eles não terão lucrado com a bolha de ações e a inflação ao consumidor, que terão o potencial de serem hiperinflacionárias. Isso vai minar suas economias. Pior ainda, pode acontecer em um momento em que será impossível se recuperar para a aposentadoria.

Acompanhe a moeda

Como o dinheiro não é mais dinheiro, mas sim moeda, deve sempre fluir em algum lugar. Como uma corrente elétrica, a moeda financeira deve se mover ou morre. Poupar é basicamente deixar sua moeda morrer.

A razão pela qual vemos oscilações intensas em lugares como mercado de ações, moradia e até criptomoeda é porque o dinheiro está se movendo. Os ricos entendem isso e usam sua educação financeira para saber para onde o dinheiro está indo, cedo e constantemente.

Seguindo o velho ditado, eles compram na baixa e vendem na alta. Além disso, usam seus ganhos para comprar ativos que produzem fluxo de caixa e aumentam exponencialmente seu patrimônio.

Brincando com o fogo da criptomoeda

O bitcoin entrou em cena em 2009, bem quando o sistema bancário estava à beira do colapso. Uma grande vantagem das criptomoedas e das tecnologias blockchain é a confiança e a segurança fora do sistema bancário. À medida que as criptomoedas evoluem, o poder do sistema bancário perde o controle da liberdade financeira do mundo.

De acordo com o The Cointelegraph, 18% dos investidores em bitcoin estão usando dinheiro emprestado para comprar seus estoques, e 22% desses investidores não pagaram suas dívidas no cartão de crédito depois de fazer sua compra.

Com milhões de pessoas investindo em criptomoedas, isso significa que uma quantidade substancial de pessoas está contraindo dívidas com juros altos por um ativo extremamente volátil, subindo e descendo milhares de pontos percentuais em semanas e às vezes em dias.

Nos últimos seis meses, a volatilidade do bitcoin fez com que os investidores rebaixassem o bitcoin. Afinal, o preço do bitcoin — que chegou a US $ 20.000 no final de 2017 — chegou a 2019 valendo menos de US$ 4.000.

O bitcoin está voltando. A primeira criptomoeda do mundo está chegando a US $ 9.000 pela primeira vez desde novembro, informa a Bloomberg.

Até agora este ano, ganhou mais de 50%, um retorno indiscutivelmente sedutor. Um executivo de uma empresa de blockchain e consultoria e investimentos declarou ao serviço de notícias que cada vez mais investidores institucionais estão interessados em moedas digitais.

A Fidelity Investments planeja lançar operações com bitcoin para clientes institucionais dentro de algumas semanas, de acordo com outro relatório da Bloomberg.

Como o título do artigo do Cointelegraph afirma: “Não recomendado”. Basicamente, esses especuladores podem perder tudo e ainda devem dinheiro todos os meses com juros em seus cartões de crédito. Eu uso a palavra "especuladores" de propósito. Para ser claro, eles não são investidores. São jogadores, esperando ganhar dinheiro rapidamente. E é um jogo de alto risco.

Com toda a propaganda em torno do bitcoin recentemente, quero aproveitar esta oportunidade para lembrar aos leitores os fundamentos essenciais do investimento.

Quando um ativo parece estar em uma bolha, é essencial conhecer seus fundamentos

Com flutuações maciças de valor e ganhos de curto prazo na faixa de 1.000%,possibilidade de grandes ganhos pode se tornar algo potencialmente perigoso, se você não sabe o que está fazendo.

Fundamento nº 1 do Pai Rico: a diferença entre um ativo e um passivo

Quando eu era criança, meu pai rico, o pai de meu melhor amigo, me ensinou uma lição muito simples. Um ativo é qualquer coisa que coloca dinheiro em seu bolso e um passivo é qualquer coisa que tira dinheiro de seu bolso.

Em essência, a criptomoeda não é um ativo porque não coloca dinheiro em seu bolso. Na verdade, se você usa dívidas ou seu próprio dinheiro, ela tira dinheiro de seu bolso ao ser comprada.

Por estar explodindo em valor, muitas pessoas se sentem ricas, mas não são. O bitcoin e outras criptomoedas não são úteis para o comércio, então a única maneira de obter valor é vender. Somente então, se você obtiver lucro, eles se tornarão um ativo.

É essa simples definição de um ativo que também me levou a ensinar décadas atrás que sua casa não é um ativo. As pessoas vaiaram em protesto quando eu fiz isso, mas se calaram rapidamente quando o mercado imobiliário entrou em colapso.

Não estou dizendo que as criptomoedas sofrerão uma queda como a do mercado imobiliário, mas é possível.

O que estou dizendo é que é financeiramente perigoso pensar em si mesmo como rico quando na verdade "investe" em passivos que tiram dinheiro de seu bolso.

Fundamento nº 2 do Pai Rico: invista para fluxo de caixa (Renda Passiva)

A beleza de investir em ativos é que eles produzem fluxo de caixa. Assim, por exemplo, se você investir em um imóvel alugado (em vez de em uma residência pessoal), poderá, por meio do aluguel, obter lucro mensal.

Portanto, independentemente de a propriedade aumentar ou diminuir em valor, você ganha dinheiro. Ou, se você construir um negócio próspero, perceberá o fluxo de caixa todo mês na forma de lucros comerciais.

Meu pai rico me ensinou que a razão pela qual a maioria das pessoas fracassa financeiramente é porque presumem serem investidoras apenas porque investem dinheiro em ativos na esperança de que sejam valorizados, coisas como ações, títulos e fundos de renda fixa.

Todo mundo simplesmente estaciona seu dinheiro assistindo (e esperando) cresça em pequenas quantidades — a menos que os mercados quebrem como em 2008. Então eles perdem tudo. Meu medo é que o mesmo possa acontecer para as pessoas sem instrução que entram nos mercados de criptomoedas.

Não digo para você não investir neste produto, mas também tenha uma carteira diversificada, que gere fluxos de caixa que possam lhe comprar criptoativos também em diversos momentos, seja alta ou baixa. E quando eles se valorizarem, troque por outros ativos que gerem renda passiva e faça assim um ciclo vicioso de fluxo de caixa misturando com ótimas oportunidades.

Fundamento nº 3 do Pai Rico: a diferença entre dívida boa e ruim

Na juventude, dediquei 90 dias a um curso imobiliário, onde tivemos que avaliar 100 propriedades de investimento. No início dessa aula, havia muitos alunos. No final, éramos apenas seis de nós. Foi um trabalho cansativo, mas uma das melhores orientações que já recebi.

Quando terminei a aula, encontrei o imóvel que estava procurando. Era um apartamento de um quarto em execução hipotecária na praia de Maui. Custava apenas US$ 18.000 e exigia 10% de entrada. Passei esse valor em meu cartão de crédito e financiei o restante pelo banco.

Embora essa não seja uma estratégia que eu aprovaria para a maioria das pessoas, foi muito diferente de financiar algo como criptomoeda no cartão de crédito. Por quê? Porque mesmo com o empréstimo bancário e meu débito no cartão de crédito, meu apartamento gerava fluxo de caixa. Ele se tornou um ativo e também transformou minha dívida em uma dívida boa.

Um dos maiores segredos que os ricos dominam é a diferença entre dívida boa e dívida ruim.

Basicamente, uma boa dívida permite comprar ativos com fluxo de caixa. Dívidas ruins são usadas para passivos como TVs e carros. Dívidas ruins consomem dinheiro a cada mês.

Quando você associa uma boa dívida com um financiamento imobiliário - EUA é chamado de  OPM - (dinheiro de outras pessoas ou bancos com baixas taxas de juros), as coisas são impulsionadas. Essencialmente, o OPM funciona como o que fiz com meu cartão de crédito para comprar o apartamento em Maui, apenas a uma taxa de juros muito menor e com estruturas de negócios flexíveis.

Por exemplo, usar dinheiro de capital de risco é uma forma de OPM que muitos empreendedores usam. Pessoalmente, aumento o patrimônio de meus investimentos imobiliários com OPM.

No final das contas, não posso ensiná-lo a ser um investidor inteligente, mas posso fornecer os fundamentos necessários para chegar lá. O resto depende de ação e teste, extraindo lições dos fracassos e do sucesso.

Minha esperança é que, ao entender os fundamentos, esses fracassos não sejam tão grandes quanto poderiam ser — e esses sucessos ocorram com muito mais frequência.

Jogue com inteligência!

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

O melhor do Seu Dinheiro

Tiradentes e as bolhas financeiras, o balanço da Netflix e outros destaques do dia

Joaquim José da Silva Xavier percebeu que alguma coisa estava fora da ordem ali pelos idos de 1789. A extração de ouro estava em franco declínio, mas a Coroa portuguesa não parava de exigir o quinto sobre tudo o que saía das Minas Gerais. Mais ou menos na mesma época, ideias surgidas na Europa que pregavam […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies