Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-27T16:10:03-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Recuperação na bolsa

Ibovespa sobe mais de 3% com exterior calmo e menor tensão em Brasília; dólar avança a R$ 5,71

O Ibovespa sobe e recupera parte das perdas de sexta-feira, beneficiado pelo clima menos tenso em Brasília e pelos ganhos vistos lá fora. O dólar chegou a operar em queda durante a manhã, mas já sobe e busca novas máximas

27 de abril de 2020
10:43 - atualizado às 16:10
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Após o turbilhão visto na sexta-feira (24), o Ibovespa exibe um tom mais tranquilo nesta segunda-feira (27). A bolsa brasileira opera em alta de mais de 3%, recuperando parte das perdas da sessão passada — o dólar à vista, por outro lado, segue estressado.

Por volta de 16h05, o Ibovespa subia 3,97%, aos 78.321,29 pontos, pegando carona no tom mais ameno visto lá fora: na Europa, as principais praças avançaram em bloco; nos Estados Unidos, o Dow Jones (+1,63%), o S&P 500 (+1,61%) e o Nasdaq (+1,21%) também têm ganhos.

No câmbio, o dólar à vista até começou o dia mais tranquilo, chegando a cair 2,20% na mínima, aos R$ 5,5370. Mas a moeda americana foi ganhando força ao longo da manhã e, no momento, sobe 0,96%, a R$ 5,7158 — a divisa já vem de uma sequência de quatro altas seguidas.

  • Eu gravei um vídeo para explicar a dinâmica por trás dos mercados nesta segunda-feira. Veja abaixo:

O bom humor visto lá fora se deve à percepção menos negativa em relação ao surto de coronavírus. Com a curva de contágio desacelerando na Europa e em algumas regiões dos Estados Unidos, iniciativas para relaxamento gradual da quarentena nessas áreas já começam a ser ensaiadas, o que traz algum alento aos mercados.

Além disso, também há uma expectativa em relação a novos pacotes de estímulo por parte de governos e autoridades econômicas — nesta semana, o Federal Reserve e o Banco Central Europeu promovem suas reuniões de política monetária, podendo anunciar medidas de incentivo à atividade.

O clima externo, assim, tem um papel importante na recuperação dos ativos domésticos. Contudo, novidades no front do cenário político brasileiro também são importantes para diminuir o estresse dos investidores.

Colocando panos quentes

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro concedeu entrevista ao lado dos ministros Paulo Guedes (Economia), Tereza Cristina (Agricultura) e Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), além do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, numa tentativa de apaziguar os ânimos em Brasília após o ex-juiz federal Sergio Moro pedir demissão do ministério da Justiça.

A saída de Moro e a percepção de que Guedes vinha sendo deixado de lado desde o início da crise do coronavírus elevaram a tensão quanto à possível debandada do ministro da Economia — Tereza Cristina, outra figura que tem apoio do mercado, também estaria correndo risco.

"Homem que decide economia no Brasil é um só e se chama Paulo Guedes. Ele nos dá o norte, nos dá recomendações e o que nós realmente devemos seguir", disse Bolsonaro, tentando tirar força da narrativa de que Guedes também poderia deixar o governo.

Essa iniciativa serviu para trazer alívio à bolsa, mas não foi capaz de sustentar o dólar à vista no campo negativo — o cenário ainda nebuloso em Brasília inspira cautela aos investidores, e a moeda americana sempre é usada como um refúgio para quem busca proteção.

A nova alta do dólar ocorre mesmo após duas atuações do Banco Central no mercado de câmbio: mais cedo, o BC fez um leilão de dólar à vista, no montante de US$ 600 milhões, e um leilão extraordinário de swap, totalizando US$ 500 milhões.

No mercado de juros, o dia começou com ajustes negativos, em meio às projeções cada vez mais pessimistas em relação ao PIB do país em 2020, conforme mostrado pelo boletim Focus — o que, em tese, dá força à leitra de será necessário continuar cortando a Selic para dar sustentação à atividade doméstica.

No entanto, a pressão continuada sobre o câmbio e as incertezas ainda grandes no front político motivaram uma nova puxada nos DIs, tanto na ponta curta quanto na longa:

  • Janeiro/2021: de 3,11% para 3,19%;
  • Janeiro/2023: de 5,58% para 5,60%;
  • Janeiro/2025: de 7,61% para 7,34%.

Embraer em apuros

Em termos corporativos, destaque para as ações ON da Embraer (EMBR3), que têm forte queda de 6,40%, a R$ 7,75, em meio ao cancelamento da parceria com a Boeing no setor de aviação comercial.

O acordo foi anunciado em 2018, após meses de negociação — na prática, a Boeing compraria a divisão de aviação comercial da Embraer, por US$ 4,2 bilhões.

Contudo, a crise do 737 Max e a baixa demanda aérea desde o início da pandemia parecem ter feito a diferença para a empresa americana — a Embraer diz que a Boeing 'fabricou falsas alegações' para rescindir o acerto entre as partes.

Veja abaixo as cinco maiores altas do Ibovespa no momento:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
VVAR3Via Varejo ON7,34 +15,05%
BRKM5Braskem PNA21,27 +12,36%
BRFS3BRF ON20,40 +9,97%
TOTS3Totvs ON58,22 +9,64%
MRFG3Marfrig ON11,45 +9,57%

Confira também as maiores baixas do índice:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
EMBR3Embraer ON7,75 -6,40%
HYPE3Hypera ON29,51 -1,67%
QUAL3Qualicorp ON25,28 -1,56%
SMLS3Smiles ON13,76 -1,36%
RAIL3Rumo ON20,30 -1,22%
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

dinheiro no caixa

Petrobras vende participação em companhias de energia por R$ 160 milhões

Estatal assinou contratos para a venda de suas participações de 20% na Termelétrica Potiguar (TEP) e de 40% na Companhia Energética Manauara (CEM) para a Global Participações Energia S.A. (GPE)

seu dinheiro na sua noite

Mais micro, menos macro: quando os balanços são o destaque na bolsa

Como investidores, sabemos que os mercados estão sujeitos às mudanças no cenário macroeconômico – e, no caso do Brasil e outros países emergentes, os pregões são particularmente suscetíveis também ao noticiário político. Mas, no fim do dia, a bolsa reflete o desempenho das companhias que ali são negociadas. Nas temporadas de balanços trimestrais, analistas e […]

cardápio do dia

Fleury, EcoRodovias e Localiza: os balanços que mexem com o mercado nesta sexta

Companhias registram forte aumento no lucro, confirmando tendência entre empresas do Ibovespa

Fechamento do dia

Bolsa, dólar e juros fecham o dia no vermelho, com balanços no radar e Wall Street em alta

Em movimento raro, bolsa, dólar e juros fecharam o dia no vermelho. É que enquanto o apetite por risco reinava no exterior, os balanços levaram o Ibovespa a um movimento de correção

Vídeos

Elon Musk volta a falar sobre Bitcoin – Confira as últimas notícias sobre o mercado de criptoativos com André Franco, analista da Empiricus

André Franco comenta sobre as principais notícias que estão movimentando esse mercado. Fique por dentro agora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies