Menu
2020-06-15T16:37:03-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Mudança de rumo

Ibovespa reduz perdas e dólar se afasta das máximas após Fed anunciar compra de títulos corporativos

O BC americano anunciou há pouco que passará a comprar títulos corporativos — uma ferramenta para dar ainda mais suporte à economia do país. A novidade melhorou o humor dos mercados e deu ânimo ao Ibovespa, que chegou a cair quase 3% mais cedo

15 de junho de 2020
10:27 - atualizado às 16:37
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A semana começou bastante ruim para os ativos domésticos: durante a manhã desta segunda-feira (15), o Ibovespa chegou a recuar perto de 3% e o dólar à vista disparou para além dos R$ 5,20, em meio à cautela externa e doméstica. Só que uma notícia vinda dos EUA nesta tarde provocou uma reviravolta nos mercados.

Há pouco, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anunciou que começará a comprar títulos corporativos, de maneira "ampla e diversa" — uma iniciativa para dar suporte às empresas e injetar recursos na economia do país. E a novidade animou os investidores.

Por volta de 16h30, o Ibovespa operava em queda de 0,44%, aos 92.390,66 pontos, após tocar brevemente o campo positivo — nos EUA, o S&P 500 (+0,21%) e o Nasdaq (+0,94%) se firmaram em alta. No câmbio, o dólar à vista subia "apenas" 2,19%, a R$ 5,1532.

  • Eu gravei um vídeo para falar um pouco da dinâmica dos mercados na primeira metade desta sessão de segunda-feira — ou seja, antes do anúncio do Fed, quando a cautela era bem mais intensa. Veja abaixo:

Em sua decisão de juros, o Fed reforçou que não via a adoção de taxas negativas como adequada, mas disse estar disposto a usar "todas as ferramentas" para dar suporte à economia. Na ocasião, não ficou claro quais seriam esses instrumentos — e o anúncio de hoje parece fazer menção ao recado dado na semana passada.

A novidade, assim, foi capaz de neutralizar a forte cautela vista durante a manhã, quando temores quanto a uma segunda onda do coronavírus na Ásia e nos EUA empurraram os mercados acionários globais ao campo negativo.

Afinal, um eventual avanço da Covid-19, se confirmado, tende a atrasar o processo de recuperação econômica do mundo. China, Europa e EUA já estão relaxando as regras de isolamento, em maior ou menor grau, e uma nova onda da Covid-19 poderia causar retrocessos nesse movimento.

Deixando o governo

Por aqui, os agentes financeiros domésticos precisam lidar com um novo foco de preocupação: a saída de Mansueto Almeida do cargo de secretário do Tesouro Nacional — ele deve deixar o posto até agosto, ajudando no processo de transição para um sucessor ainda a ser definido.

Mansueto é bastante respeitado pelo mercado e tido como um dos pilares dos ajustes econômicos que vêm sendo conduzidos nos últimos anos no país — e, considerando isso, sua saída é vista como um mal sinal em relação ao futuro das reformas.

Esse aumento na percepção de que os ajustes econômicos tendem a ser deixados de lado sem o secretário do Tesouro eleva a aversão ao risco por parte dos investidores, por mais que o próprio Mansueto tenha destacado que o ministro Paulo Guedes é o grande fiador das reformas — e essa leitura é comprovada pelo tom negativo visto nos ativos domésticos hoje.

Alívio nos juros

Durante a manhã, o mercado de juros futuros mostrou-se mais estressado, reagindo ao ambiente mais cauteloso em termos domésticos e externos. No entanto, a novidade do Fed provocou uma onda de alívio nos ativos globais — o que ecoou especialmente sobre os DIs curtos.

Os vencimentos de menor prazo também ficam de olho na decisão do Copom, na próxima quarta-feira (17), e na expectativa de corte de 0,75 ponto na Selic:

  • Janeiro/2021: de 2,15% para 2,13%;
  • Janeiro/2022: de 3,06% para 3,05%;
  • Janeiro/2023: de 4,12% para 4,15%;
  • Janeiro/2025: de 5,66% para 5,72%.

Cielo dispara

No front corporativo, destaque para as ações ON da Cielo (CIEL3), em forte alta de 22,09%, a R$ 5,14. Mais cedo, o Facebook anunciou que começará a viabilizar transações de pagamento via WhatsApp no Brasil, tendo fechado parceria com a Cielo para o serviço.

Today we're starting to launch payments for people using WhatsApp in Brazil. We're making sending and receiving money as...

Posted by Mark Zuckerberg on Monday, June 15, 2020

Tirando a Cielo, são poucas as ações do Ibovespa que conseguem sustentar ganhos mais expressivos neste momento:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
CIEL3Cielo ON5,14 +22,09%
VVAR3Via Varejo ON15,65 +6,90%
GOLL4Gol PN19,61 +5,77%
CYRE3Cyrela ON21,13 +3,88%
MRVE3MRV ON16,95 +3,67%

Veja também as maiores baixas do índice no momento:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
IRBR3IRB ON11,02 -4,09%
VIVT4Telefônica Brasil PN48,78 -2,11%
BRML3BR Malls ON10,59 -1,85%
CSNA3CSN ON10,67 -1,84%
EMBR3Embraer ON8,66 -1,81%
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

pandemia

Covid-19: Brasil passa das 210 mil mortes causadas pela pandemia

Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registraram 452 óbitos pela covid-19

seu dinheiro na sua noite

Antes tarde do que mais tarde

Com o uso emergencial de duas vacinas contra o coronavírus aprovado no Brasil, ainda que com muito atraso em relação a outros países (incluindo emergentes), o brasileiro pode enfim vislumbrar a possibilidade de um retorno à vida normal. Está certo que ainda vai demorar, e provavelmente veremos o resto do mundo voltar à normalidade, enquanto […]

Fechamento

Vacina empolga, mas incertezas ainda são muitas e limitam os ganhos do Ibovespa; dólar fica estável

Embora o início da vacinação tenha criado um princípio de euforia, as incertezas ainda são muitas e nublam o cenário

atenção, acionista

Itaúsa anuncia o pagamento de juros sobre capital próprio adicionais

Base do pagamento é a posição acionária final do dia 22 de janeiro; provento tem retenção de 15% de imposto de renda na fonte, resultando em juros líquidos de R$ 0,01768 por ação

insatisfações com a estatal

Petrobras sai em defesa de sua política de preços

Estatal listou uma série de respostas para justificar eventuais aumentos concedidos ou que possam vir a ser feitos este ano, diante de preços de petróleo em franca recuperação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies