Menu
2020-03-13T14:37:06-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Forte recuperação

Tombos e saltos: após desabar 14% ontem, Ibovespa sobe mais de 8%; dólar tem leve alta

Depois do caos da sessão passada, o Ibovespa e as bolsas globais operam em forte alta, sustentados pelas iniciativas de estímulo tomadas pelos BCs e governos

13 de março de 2020
10:22 - atualizado às 14:37
Ibovespa sobe Ibovespa desce
Imagem: Looney Tunes / Montagem Andrei Morais

O Ibovespa e as bolsas globais têm enfrentado dias de volatilidade extrema, e a sessão desta sexta-feira (13) é mais um exemplo do humor errático dos mercados. Após uma abertura bastante positiva, as principais praças perderam força e se aproximaram da estabilidade. No entanto, neste início de tarde, voltam a ganhar impulso.

Por volta de 14h30, o Ibovespa subia 8,83%, aos 79.011,10 pontos — logo depois da abertura, o índice chegou a disparar 15,40%, aos 83.757,51 pontos, mas, perto das 12h, praticamente zerou os ganhos.

Com o desempenho do momento, a bolsa brasileira vai revertendo parte das perdas contabilizadas ontem, dia em que o Ibovespa despencou 14,78% — foi o terceiro pior pregão desde o início o plano Real, de acordo com um levantamento feito pela Economatica a pedido do Seu Dinheiro.

Lá fora, a sessão também é marcado por uma recuperação que já foi mais intensa: na Europa, as principais praças seguem em alta, mas longe dos ganhos de mais de 5% vistos mais cedo; nos Estados Unidos, o Dow Jones (+4,46%), o S&P 500 (+4,09%) e o Nasdaq (+3,86%) avançam em bloco.

  • Eu gravei um vídeo para comentar a recuperação vista nesta sexta-feira e a enorme volatilidade dos mercados. Veja abaixo:

É claro que o bom desempenho visto nesta sexta não apaga, nem de longe, todas as perdas contabilizadas nesta semana. Mesmo com a alta de hoje, o Ibovespa ainda acumula queda de mais de 20% na semana; no ano, o recuou é superior aos 30%.

A recuperação desta sexta-feira deixa evidente a alta volatilidade e o caráter errático dos mercados num momento de grande incerteza. O panorama do surto de coronavírus segue grave, com consequências ainda desconhecidas para a economia global.

No entanto, após as quedas dos últimos dias, parte dos investidores começa a buscar "pechinchas" na bolsa, voltando a assumir uma postura compradora em papéis específicos. E, além disso, os anúncios de estímulo por parte de governos e bancos centrais contribuem para trazer algum alívio às preocupações.

Ontem, o Federal Reserve (Fed, o BC americano) já anunciou um programa de injeção de liquidez de até US$ 1,5 trilhão, através da recompra de títulos. Hoje, notícias de iniciativas semelhantes e de cortes de juros no Japão, China, Suécia, Noruega e muitos outros países somam-se a esse contexto, de modo a criar um 'colchão' para amortecer os mercados.

No câmbio, o dia também é de volatilidade: no mesmo horário, o dólar à vista tinha leve alta de 0,08%, a R$ 4,7930, mas, durante a manhã, chegou a cair a R$ 4,6458 (-2,99%). Lá fora, a sessão é marcada pela desvalorização da moeda americana em relação às divisas de países emergentes.

Ontem, no pico de estresse, o dólar à vista chegou a ultrapassar a barreira dos R$ 5,00, mas afastou-se das máximas após o anúncio do Fed e as diversas atuações do Banco Central, que injetou recursos novos no sistema por meio diversos leilões no segmento à vista.

E, nesta sexta-feira, a autoridade monetária já arregaçou as mangas: convocou leilões de linha com oferta de até US$ 2 bilhões, um movimento que contribuiu para derrubar ainda mais a cotação da moeda americana.

Nas curvas de juros, o clima também é de calmaria, após a forte abertura da sessão anterior. Tanto na ponta curta quanto na longa, são vistos fortes movimentos de baixa, que, inclusive, travaram o mercado de DIs mais cedo. Veja abaixo o comportamento dos principais ativos no momento:

  • Janeiro/2021: de 4,95% para 4,26%;
  • Janeiro/2022: de 6,20% para 5,34%;
  • Janeiro/2023: de 7,26% para 6,24%;
  • Janeiro/2025: de 8,22% para 7,24%.

Top 5

Em meio à recuperação da bolsa brasileira, veja quais eram os cinco ativos de melhor desempenho do Ibovespa por volta de 14h30:

CÓDIGONOME PREÇO (R$)VARIAÇÃO
BPAC11BTG Pactual units39,29 20,97%
AZUL4Azul PN24,23 19,36%
JBSS3JBS ON19,98 19,28%
MGLU3Magazine Luiza ON40,45 18,97%
MRFG3Marfrig ON8,54 16,35%

Na ponta oposta do índice, apenas duas ações aparecem em baixa no momento: Yduqs ON (YDUQ3), em queda de 6,83%, e Suzano ON (SUZB3), com perda de 0,74%

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Turbulência

Latam reduz prejuízo em 79% e anota perda de US$ 430,8 milhões no 1º trimestre

A receita operacional total da aérea foi de US$ 913,1 milhões no primeiro trimestre, queda de 61,2% sobre o mesmo período de 2020

Bitcoin popular

Goldman Sachs e Citibank anunciam novos investimentos em bitcoin

A ideia é tentar oferecer a maior variedade de serviços e evitar as oscilações, típicas e comuns no mundo das criptomoedas

Movimentação societária

CCR em disparada: por que a saída da Andrade Gutierrez do bloco de controle ajuda as ações?

As ações ON da CCR lideram os ganhos no Ibovespa após a Andrade Gutierrez receber proposta para a venda de sua fatia na companhia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies