Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-12-17T17:26:47-03:00
Rafael Lara
Rafael Lara
Estudante de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero de São Paulo. Trabalhou em empresas como: TV Gazeta, Suno Research e Portal iG.
Ao infinito e além?

Bitcoin bate novo recorde e passa dos US$ 23 mil. Será que sobe mais?

A última vez que o Bitcoin bateu os US$ 20 mil foi em dezembro de 2017, mas em seguida despencou. Será que a alta desta vez é sustentável?

17 de dezembro de 2020
15:54 - atualizado às 17:26
Imagem mostra celular com símbolo do bitcoin
Imagem: Shutterstock

Se tem alguém que amou 2020 é quem investiu em Bitcoin. A principal criptomoeda do mercado atingiu novamente um nível histórico. Menos de 24 horas depois de ter passado dos US$ 20 mil, o bitcoin é negociado no patamar de US$ 23 mil na tarde desta quinta-feira (17), com uma alta da ordem de 12%. No Brasil, está avaliado na casa de R$ 117,5 mil.

Leia também:

No ano, a criptomoeda acumula um ganho de mais de 200%. O bitcoin tem se valorizado recentemente por conta da maior demanda por ativos de risco em meio aos estímulos fiscais e monetários inéditos para conter os danos econômicos da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Grandes especialistas de criptomoedas, como o CEO da Foxbit, João Canhada, acreditam que o bitcoin tem a mesma lógica do ouro contra a inflação, só que com maiores benefícios.

"Tem muito dinheiro institucional entrando no mercado, mais de 30% de todo dólar em circulação no mundo foi impresso esse ano, investidores estão buscando ativos que possam proteger seu poder de compra", disse.

Canhada destacou que uma série de empresas e fundos anunciaram publicamente posições em bitcoin, ou futuras compras em larga escala.

A última vez que o Bitcoin bateu o patamar de US$ 20 mil foi no dia 17 de dezembro de 2017, quando chegou a US$ 20.089,00, mas no ano seguinte amargou uma forte queda. Contudo, dessa vez, a alta é bastante diferente, segundo os entusiastas das criptomoedas.

"Apesar da alta de 15% ontem, os fundamentos seguem sólidos no longo prazo, e se essa demanda forte continuar, o bitcoin ainda está barato perto do potencial futuro. A alta de 2017 foi um movimento de pessoas físicas, a de 2020 é de pessoas jurídicas (empresas) que estão entrando no mercado de criptomoedas", disse o CEO da Foxbit.

O CEO do Alter, empresa de contas digitais focadas no usuário de criptomoedas, Vinícius Frias, também entende que o rali atual é diferente do que ocorreu em 2017, impulsionado pelo varejo. “Atualmente quem está empurrando os preços para cima são os players institucionais”.

De acordo com Frias, players como a gestora Grayscale (que já possui mais de US$ 11 bilhões em BTC) e a MicroStrategy (que recentemente comprou mais de US$ 1 bilhão em BTC) estão pressionando a demanda pelo mundo.

Contudo, ele alerta que "para o investidor comum é necessário ter cautela, afinal nenhum ativo só sobe e podemos estar num momento de euforia."

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nova variante vira a mesa nos mercados, bitcoin entra em ‘bear market’ e outros destaques do dia

Se você já estava pronto para tirar o pó da sua fantasia de Carnaval, talvez seja melhor esperar mais um pouco. Além de algumas cidades brasileiras terem decidido adiar a festança por mais um ano, uma reviravolta no andamento da pandemia deixou mais uma vez o mundo em pânico. A variante B.1.1.529 (batizada de ômicron […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Nova cepa do coronavírus pega mercado de surpresa; Ibovespa recua quase 4% no dia e apaga ganhos da semana

Ao longo da semana, o Ibovespa também foi pressionado pela indefinição em torno da PEC dos precatórios e a pausa para o feriado nos Estados Unidos

DINHEIRO NO FIM DO ANO

Yduqs (YDUQ3) pagará R$ 141 milhões em dividendos; confira o valor por ação

A empresa do setor de educação pagará cerca de R$ 0,40 por ação ordinária e o dinheiro cairá na conta dos acionistas em 7 de dezembro

OMICRON

5 fatos sobre a nova variante do covid que derrubou os mercados nesta sexta

O anúncio de que uma nova variante do coronavírus surgiu na África do Sul fez com que os mercados internacionais desabassem; veja o que sabemos até agora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies