Menu
2019-04-24T12:00:48-03:00
Estadão Conteúdo
Só elogios

CCJ deu passo importante, mas outras iniciativas são necessárias, diz Levy

Levy mencionou o esforço do novo governo na venda para o setor privado das participações do BNDES e da Caixa

24 de abril de 2019
11:59 - atualizado às 12:00
Joaquim Levy
Joaquim Levy - Imagem: André Dusek/Estadão Conteúdo

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, elogiou a aprovação da admissibilidade, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, da proposta de reforma da Previdência, mas comentou que outras iniciativas são necessárias, citando as que o governo tem feito para enxugar o escopo de atuação dos bancos públicos.

"Ontem, a CCJ deu um grande passo na reforma da Previdência, o que é muito importante, mas além da reforma da Previdência, há várias outras iniciativas que estimularão a economia. Há uma visão de uma economia mais livre, em que os negócios podem crescer mais", disse Levy, durante Congresso de Fundos de Investimento da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Nesse sentido, Levy mencionou o esforço do novo governo na venda para o setor privado das participações do BNDES e da Caixa.

Levy reiterou que a reforma da Previdência será muito importante para fortalecer a confiança do mercado. "Tenho certeza que a bolsa irá ultrapassar os 100 mil pontos (Ibovespa) com o andamento da reforma", citou. O presidente do BNDES observou também que a "indústria de fundos agrega valor para as pessoas e a economia."

Momento de expectativa

O presidente do BNDES reconheceu que a economia atravessa um momento de muita expectativa. "A economia está num momento de expectativa. Empresas aguardam para tomar decisões. O número de consultas ao banco ainda é modesto", disse.

Ele observou, contudo, que a tomada de decisões deve aumentar a partir de eventos, "como o de ontem, na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça)", que aprovou a admissibilidade da proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo.

Antes de encerrar sua apresentação na abertura do evento, Levy reiterou que o banco "está na trajetória de transformação" e que seu papel deve ser mais de parceiro do mercado nesse momento.

Levy disse ainda que o banco está sendo mais pró ativo e "fazendo atividade de fomento, visitando empresas, em vez de ficar em seu 'castelo' esperando ser procurado".

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

TECNOLOGIA

Xiaomi supera Apple em venda de celulares

O levantamento também mostra que a Samsung voltou ser a líder global de vendas de smartphones, após perder a liderança do mercado para a também chinesa Huawei, que ficou no topo por um único trimestre.

BOMBOU NO SEU DINHEIRO

Melhores da Semana: O Halloween dos mercados

A segunda onda de coronavírus é um ‘fantasma’ que ronda os mercados desde o início do ano. Muita gente não acreditou. Nesta semana, ele mostrou as caras.

POLÍTICA

Bolsonaro grava para campanhas e aposta em 2º turno em RJ e SP

Presidente busca apoiar aliados para tentar formar base nos grandes colégios eleitorais para sua campanha de reeleição em 2022

responsabilização

JBS aprova em assembleia ação contra irmãos Batista

Processo diz respeito a prejuízos causados por crimes revelados nos acordos de colaboração e leniência firmados pela JBS com a Procuradoria Geral da República

em live

Se necessário, voltaremos a fazer transferência do BC para o Tesouro, diz secretário

Em agosto, CMN já havia autorizado o Banco Central a repassar R$ 325 bilhões para o Tesouro Nacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies